A maior rede de estudos do Brasil

Como funciona a lei do tudo ou nada no sistema cardiovascular???

Fisiologia IFAPAL

4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder esta pergunta devemos colocar em prática o nosso conhecimento sobre Fisiologia.


Os canais de sódio e potássio que se abrem ou fecham através de alterações no potencial de membrana são chamados de canais iónicos sensíveis à voltagem ou voltagem-dependentes. Contudo, convém sublinhar que o potencial de ação só ocorre quando o estímulo é susceptível de atingir (em termos de intensidade e duração) o limiar de excitação da célula - potencial umbral. A célula responde assim, segundo a lei do “tudo ou nada”.


Portanto, só há resposta se o estímulo for suficiente para atingir o limiar de excitação da célula. Caso se atinja o limiar de excitação, a célula responde sempre com a mesma magnitude, mesmo tendo sido excitada com estímulos supra limiares (de maior intensidade e duração que um estímulo normal).

Para responder esta pergunta devemos colocar em prática o nosso conhecimento sobre Fisiologia.


Os canais de sódio e potássio que se abrem ou fecham através de alterações no potencial de membrana são chamados de canais iónicos sensíveis à voltagem ou voltagem-dependentes. Contudo, convém sublinhar que o potencial de ação só ocorre quando o estímulo é susceptível de atingir (em termos de intensidade e duração) o limiar de excitação da célula - potencial umbral. A célula responde assim, segundo a lei do “tudo ou nada”.


Portanto, só há resposta se o estímulo for suficiente para atingir o limiar de excitação da célula. Caso se atinja o limiar de excitação, a célula responde sempre com a mesma magnitude, mesmo tendo sido excitada com estímulos supra limiares (de maior intensidade e duração que um estímulo normal).

User badge image

ROSE

Há mais de um mês

A estimulação de um neurônio segue a lei do tudo ou nada. Isso significa que ou o estímulo é suficientemente intenso para excitar o neurônio, desencadeando o potencial de ação, ou nada acontece. Não existe potencial de ação mais forte ou mais fraco; ele é igual independente da intensidade do estímulo. O menor estímulo capaz de gerar potencial de ação é denominado estímulo limiar.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para responder esta pergunta devemos colocar em prática o nosso conhecimento sobre Fisiologia.

Os canais de sódio e potássio que se abrem ou fecham através de alterações no potencial de membrana são chamados de canais iónicos sensíveis à voltagem ou voltagem-dependentes. Contudo, convém sublinhar que o potencial de ação só ocorre quando o estímulo é susceptível de atingir (em termos de intensidade e duração) o limiar de excitação da célula - potencial umbral. A célula responde assim, segundo a lei do “tudo ou nada”.


Portanto, só há resposta se o estímulo for suficiente para atingir o limiar de excitação da célula. Caso se atinja o limiar de excitação, a célula responde sempre com a mesma magnitude, mesmo tendo sido excitada com estímulos supra limiares (de maior intensidade e duração que um estímulo normal).

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para responder esta pergunta devemos colocar em prática o nosso conhecimento sobre Fisiologia.


Os canais de sódio e potássio que se abrem ou fecham através de alterações no potencial de membrana são chamados de canais iónicos sensíveis à voltagem ou voltagem-dependentes. Contudo, convém sublinhar que o potencial de ação só ocorre quando o estímulo é susceptível de atingir (em termos de intensidade e duração) o limiar de excitação da célula - potencial umbral. A célula responde assim, segundo a lei do “tudo ou nada”.


Portanto, só há resposta se o estímulo for suficiente para atingir o limiar de excitação da célula. Caso se atinja o limiar de excitação, a célula responde sempre com a mesma magnitude, mesmo tendo sido excitada com estímulos supra limiares (de maior intensidade e duração que um estímulo normal).

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas