A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença de crime culposo e doloso?


6 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

O que difere um crime doloso de um crime culposo é a intenção do agente.

O dolo direto ou determinado resta configurado quando o agente prevê um resultado, e dirige sua conduta na busca de realizá-lo.

No dolo indireto ou indeterminado, o agente, por meio de sua conduta, não busca resultado certo e determinado. O dolo indireto possui duas formas:

  • Dolo alternativo: ocorre quando o agente prevê e quer agum dos resultados possíveis de sua conduta;
  • Dolo eventual: ocorre quando a intenção do agente se dirige a um resultado, aceitando outro também previsto que poderia ocorrer em consequencia de sua conduta.

A culpa também tem duas modalidades:

  • Culpa consciente: ocorre quando o agente prevê o resultado, mas espera que ele não ocorra, supondo poder evitá-lo com a sua habilidade;
  • Culpa inconsciente: o agente não prevê o resultado, que, entretanto, era objetiva e subjetivamente previsível.

Temos, de maneira resumida, que o dolo direto ocorre quando o agente prevê o resultado e quer o resultado.

No dolo eventual o agente prevê o resultado e, apesar de não querer, assume o risco.

Na culpa consciente o agente prevê o resultado, não quer, não assume o risco, e pensa poder evitá-lo.

Na culpa inconsciente o agente não prevê o resultado que era previsível, não quer, e não o aceita.

O que difere um crime doloso de um crime culposo é a intenção do agente.

O dolo direto ou determinado resta configurado quando o agente prevê um resultado, e dirige sua conduta na busca de realizá-lo.

No dolo indireto ou indeterminado, o agente, por meio de sua conduta, não busca resultado certo e determinado. O dolo indireto possui duas formas:

  • Dolo alternativo: ocorre quando o agente prevê e quer agum dos resultados possíveis de sua conduta;
  • Dolo eventual: ocorre quando a intenção do agente se dirige a um resultado, aceitando outro também previsto que poderia ocorrer em consequencia de sua conduta.

A culpa também tem duas modalidades:

  • Culpa consciente: ocorre quando o agente prevê o resultado, mas espera que ele não ocorra, supondo poder evitá-lo com a sua habilidade;
  • Culpa inconsciente: o agente não prevê o resultado, que, entretanto, era objetiva e subjetivamente previsível.

Temos, de maneira resumida, que o dolo direto ocorre quando o agente prevê o resultado e quer o resultado.

No dolo eventual o agente prevê o resultado e, apesar de não querer, assume o risco.

Na culpa consciente o agente prevê o resultado, não quer, não assume o risco, e pensa poder evitá-lo.

Na culpa inconsciente o agente não prevê o resultado que era previsível, não quer, e não o aceita.

User badge image

Gean Raffo

Há mais de um mês

O homicídio doloso é quando uma pessoa mata outra intencionalmente. Este tipo de homicídio pode ser classificado como de dolo direto, ou seja, quando o indivíduo realmente deseja matar outra pessoa; oudolo indireto, quando o indivíduo não tem o propósito de matar.

O homicídio culposo é quando uma pessoa mata outra sem a intenção, quando aculpa é inconsciente. As causas do homicídio culposo são norteadas pelanegligênciaimprudência ou imperícia

User badge image

Christianno Cohin

Há mais de um mês

O crime culposo e doloso estão previstos no artigo 18, I e II, do Código Penal Brasileiro com a seguinte redação:

Art. 18 - Diz-se o crime:

(...)

II - culposo, quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência ou imperícia.

São elementos do crime culposo:

Conduta humana voluntária . A voluntariedade está relacionada à ação, e não ao resultado.

b) Violação de um dever de cuidado objetivo . O agente atua em desacordo com o que é esperado pela lei e pela sociedade. São formas de violação do dever de cuidado, ou mais conhecidas como modalidades de culpa, a imprudência, a negligência e a imperícia.

c) Resultado naturalístico . Não haverá crime culposo se, mesmo havendo falta de cuidado por parte do agente, não ocorrer o resultado lesivo a um bem jurídico tutelado. Assim, em regra, todo crime culposo é um crime material.

d) Nexo causal .

e) Previsibilidade . É a possibilidade de conhecer o perigo. Na culpa consciente, mais do que a previsibilidade, o agente tem a previsão (efetivo conhecimento do perigo).

f) Tipicidade CP, Art. 18 - Diz-se o crime: Parágrafo unicoo - Salvo os casos expressos em lei, ninguém pode ser punido por fato previsto como crime, senão quando o pratica dolosamente.

 

O crime doloso, também chamado de crime ou dano comissivo ou intencional, é aquele em que o agente prevê o resultado lesivo de sua conduta e, mesmo assim, leva-a adiante, produzindo o resultado.

User badge image

Marcela Aguiar

Há mais de um mês

Muito obrigada @Christianno complementou o que o Gean tinha me fl... Obrigada pela a ajuda de vocês...

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas