A maior rede de estudos do Brasil

qual a resposta correta

A Lei nº 9.718/1998 impõe quais agentes econômicos deverão ser tributados pelo lucro real. Todavia, é possível pessoas jurídicas não obrigadas a mencionado regime optarem pelo lucro real como forma de melhor administrar suas obrigações tributárias.

A partir desse contexto, identifique abaixo quais são as principais vantagens em optar pelo lucro real e, após, assinale a alternativa que apresenta os itens corretos.

I. Cálculo do imposto com base no efetivo lucro.

II. Compensação de prejuízos; diferimentos de lucros e ganhos.

III. Apropriação de despesas incorridas.

IV. Opção por incentivos fiscais.

V. Distribuição do lucro efetivo aos sócios.


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para a resolução deste exercício, utilizaremos conhecimentos relacionados à Disciplina de Direito Constitucional.


De acordo com Portal Tributário, existem três formas de tributação empresarial: Lucro Real, Lucro Atribuído e Simples Nacional.


No Lucro Real importa muito a apuração do Lucro Líquido da Empresa para se ter como referência o cálculo de impostos. Tendo como base essa informação, são calculados o IRPJ e CSLL. Já no PIS e COFINS, e também outros tributos importantes, a base de cálculo é a receita, porém no chamado regime não cumulativo, este no caso permite realizar o desconto de créditos com os insumos adquiridos.


Antes as alternativas apresentadas, conclui-se que os itens I, II, III e IV correspondem a vantagens proporcionadas pelo lucro real. Portanto, distribuição do lucro efetivo aos sócios não se enquadra para o caso proposto.

Para a resolução deste exercício, utilizaremos conhecimentos relacionados à Disciplina de Direito Constitucional.


De acordo com Portal Tributário, existem três formas de tributação empresarial: Lucro Real, Lucro Atribuído e Simples Nacional.


No Lucro Real importa muito a apuração do Lucro Líquido da Empresa para se ter como referência o cálculo de impostos. Tendo como base essa informação, são calculados o IRPJ e CSLL. Já no PIS e COFINS, e também outros tributos importantes, a base de cálculo é a receita, porém no chamado regime não cumulativo, este no caso permite realizar o desconto de créditos com os insumos adquiridos.


Antes as alternativas apresentadas, conclui-se que os itens I, II, III e IV correspondem a vantagens proporcionadas pelo lucro real. Portanto, distribuição do lucro efetivo aos sócios não se enquadra para o caso proposto.

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

Para a resolução deste exercício, utilizaremos conhecimentos relacionados à Disciplina de Direito Constitucional.


De acordo com Portal Tributário, existem três formas de tributação empresarial: Lucro Real, Lucro Atribuído e Simples Nacional.


No Lucro Real importa muito a apuração do Lucro Líquido da Empresa para se ter como referência o cálculo de impostos. Tendo como base essa informação, são calculados o IRPJ e CSLL. Já no PIS e COFINS, e também outros tributos importantes, a base de cálculo é a receita, porém no chamado regime não cumulativo, este no caso permite realizar o desconto de créditos com os insumos adquiridos.


Antes as alternativas apresentadas, conclui-se que os itens I, II, III e IV correspondem a vantagens proporcionadas pelo lucro real. Portanto, distribuição do lucro efetivo aos sócios não se enquadra para o caso proposto.

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

Para a resolução deste exercício, utilizaremos conhecimentos relacionados à Disciplina de Direito Constitucional.


De acordo com Portal Tributário, existem três formas de tributação empresarial: Lucro Real, Lucro Atribuído e Simples Nacional.


No Lucro Real importa muito a apuração do Lucro Líquido da Empresa para se ter como referência o cálculo de impostos. Tendo como base essa informação, são calculados o IRPJ e CSLL. Já no PIS e COFINS, e também outros tributos importantes, a base de cálculo é a receita, porém no chamado regime não cumulativo, este no caso permite realizar o desconto de créditos com os insumos adquiridos.


Antes as alternativas apresentadas, conclui-se que os itens I, II, III e IV correspondem a vantagens proporcionadas pelo lucro real. Portanto, distribuição do lucro efetivo aos sócios não se enquadra para o caso proposto.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas