A maior rede de estudos do Brasil

A partir do início do século XX, Como a instrumentação política do esporte aconteceu na Alemanha Nazista?

A partir do início do século XX, o esporte passou a ser utilizado como ferramenta de uso político dos Estados nacionais. Adolf Hitler utilizou os Jogos Olímpicos de Berlim – 1936 para seus propósitos políticos. Como a instrumentação política do esporte aconteceu na Alemanha Nazista?


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A pergunta exige conhecimentos prévios em Filosofia, ligados também à História.


Basicamente, foi organizada uma edição exemplar dos Jogos Olímpicos, pelo Estado alemão.

Ao conferir participação apenas de atletas brancos, era passada a mensagem de uma suposta supremacia ariana do povo germano, elemento de destaque no Nazismo.

A pergunta exige conhecimentos prévios em Filosofia, ligados também à História.


Basicamente, foi organizada uma edição exemplar dos Jogos Olímpicos, pelo Estado alemão.

Ao conferir participação apenas de atletas brancos, era passada a mensagem de uma suposta supremacia ariana do povo germano, elemento de destaque no Nazismo.

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

A pergunta exige conhecimentos prévios em Filosofia, ligados também à História.


Basicamente, foi organizada uma edição exemplar dos Jogos Olímpicos, pelo Estado alemão.

Ao conferir participação apenas de atletas brancos, era passada a mensagem de uma suposta supremacia ariana do povo germano, elemento de destaque no Nazismo.

User badge image

Elizangela Cely

Há mais de um mês

A Alemanha utilizou os Jogos Olímpicos com propósitos propagandísticos. Os nazistas criaram uma imagem de uma nova Alemanha, forte e unida, ao mesmo tempo em que mascarava as políticas anti-semitas e racistas de seu regime, assim como o crescente militarismo daquele país.

Pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos, o povo europeu e o norte-americano conclamavam seus governos a um boicote às Olimpíadas devido ao abuso dos direitos humanos no país anfitrião.

Embora o movimento de boicote não tenha obtido sucesso, ele abriu um importante precedente para que futuras campanhas chamassem a atenção mundial para os abusos dos direitos humanos contemporâneos nos países que hospedam os Jogos Olímpicos.

PROPAGANDA

A Alemanha promoveu habilmente os Jogos com cartazes coloridos e páginas inteiras de encartes em revistas que comentaram o evento. As imagens esportivas procuraram estabelecer um elo entre a Alemanha nazista e a Grécia antiga, simbolizando o mito racial nazista de que a superioridade da civilização alemã era a herdeira real da cultura "ariana" de antiguidade clássica. Esta visão particular da antiguidade clássica enfatizava os tipos "arianos" ideais: heróicos, loiros de olhos azuis e com traços bem definidos, bem diferentes da realidade.

Os esforços concentrados na propaganda política continuaram após o final dos Jogos Olímpicos, com o documentário "Olimpíadas" sendo lançado em 1938, um trabalho polêmico dirigido por uma simpatizante do nazismo, a produtora e diretora cinematográfica Leni Riefenstahl, que havia sido contratada pelo regime nazista para produzir este filme.

VITÓRIAS ALEMÃS

A Alemanha foi a grande campeã da 11ª Olimpíada. Os atletas alemães ganharam o maior número de medalhas, e a hospitalidade e a organização alemãs receberam elogios dos visitantes. A maioria dos jornais concluiu, assim como o fez o jornal The New York Times que os Jogos colocaram os alemães "de volta à comunidade das nações" e que até os tornaram "mais humanos novamente". Alguns, inclusive, encontraram razões para acreditar que aquele intervalo pacífico fosse durar. Somente alguns repórteres, como William Shirer, compreenderam que o brilho de Berlim era meramente uma fachada para esconder o opressivo, racista e violento regime nazista.

APÓS OS JOGOS

À medida que os relatórios compilados sob a reação internacional sobre a Alemanha e sobre o evento eram arquivados, Hitler retomou seus grandiosos planos de expansão. As perseguições aos judeus foram retomadas. Dois dias após o final dos Jogos Olímpicos, o Capitão Wolfgang Fuerstner, chefe da Vila Olímpica, suicidou-se ao saber que havia sido demitido dos serviços militares por ter origem judaica.

A Alemanha invadiu a Polônia no dia 1 de setembro de 1939. Três anos após os Jogos Olímpicos, o "hospitaleiro" e "pacífico" anfitrião dos Jogos desencadeou a Segunda Guerra Mundial, conflito que resultou em uma destruição nunca dantes vista na história da humanidade. Terminados os Jogos, as políticas expansionistas da Alemanha e a perseguição aos judeus e a outros grupos considerados como "inimigos do estado" se intensificaram, culminando no Holocausto.

Fonte: https://encyclopedia.ushmm.org/content/pt-br/article/the-nazi-olympics-berlin-1936

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas