A maior rede de estudos do Brasil

Por preciso saber tudo sobre homem cultura e sociedade desde qndo surgiu e que criou?

Pedagogia

Anhanguera


1 resposta(s)

User badge image

Pedro Manoel

Há mais de um mês

Sócrates não foi muito bem aceito por parte da aristocracia grega, pois defendia algumas idéias contrárias ao funcionamento da sociedade grega. Criticou muitos aspectos da cultura grega, afirmando que muitas tradições, crenças religiosas e costumes não ajudavam no desenvolvimento intelectual dos cidadãos gregos.

Apesar de nunca ter escrito uma obra, a atividade filosófica de Sócrates está documentada nos livros do também filósofo grego Platão. Os célebres diálogos de Platão incluem o "Êutifron", o "Critão", o "Fédon" e "Um Banquete". Em todos eles, Sócrates aparece como personagem.

Platão:
Em resumo, para Platão a realidade se dividia em duas partes. A primeira parte é o mundo dos sentidos, do qual não podemos ter senão um conhecimento aproximado ou imperfeito, já que para tanto fazemos uso de nossos cinco (aproximados e imperfeitos) sentidos. Neste mundo dos sentidos, tudo "flui" e, consequentemente, nada é perene. Nada é nomundo dos sentidos; nele, as coisas simplesmente surgem e desaparecem. A outra parte é o mundo das idéias, do qual podemos chegar a ter um conhecimento seguro, se para tanto fizermos uso de nossa razão. Este mundo das idéias não pode, portanto, ser conhecido através dos sentidos. Em compensação, asidéias (ou formas) são eternas e imutáveis.

Aristoteles:

Aristóteles, por sua vez, dizia que os sentidos são um ponto de partida importante para a compreensão do mundo.

Só há um mundo e é este que pode ser percebido por nossos sentidos.

É neste mundo sensível que vivemos e é dele que devemos retirar o conhecimento.

Somente a partir da análise criteriosa do mundo que nos cerca poderemos perceber as relações que as coisas apresentam entre si.

Para Aristóteles, seu mestre cometeu um grave equívoco: duplicou o mundo, e esse não é o melhor caminho para compreendê-lo.

Os europeus entram em contato com a filosofia aristotélica durante a invasão dos povos árabes, inicialmente tal filosofia é vista como ameaça à fé cristã, pois Aristóteles afirmava ser impossível o homem ter contato direto com a divindade. Através de Santo Tomás de Aquino, o pensamento aristotélico fornece ao cristianismo da época, uma estrutura racional para sobreviver no ambiente laico e acadêmico.

Até Hegel, século XIX, toda a filosofia ficou calcada nos preâmbulos das afirmações de Aristóteles. Atualmente, a filosofia não desconsidera Aristóteles, mas o coloca em vários pontos e idéias já superadas.

Durante séculos, a própria ciência trabalhou sob o pensamento aristotélico. O surgimento de uma ciência moderna ocorre com o rompimento com a ciência aristotélica através dos trabalhos de Galileu e tantos outros cientistas que questionaram o geocentrismo.

Maquiavel:

Quando queremos dizer que alguém é ardiloso, astuto ou pérfido, costumamos dizer que émaquiavélico. O adjetivo não é nada lisonjeiro, mas o responsável por ele é um dos filósofos mais importantes da história da filosofia política. Niccolò Maquiavel (1469-1527) nasceu em Florença, na época do Renascimento.

A Europa passava então por grandes transformações. Uma nova classe social, aburguesia comercial, buscava espaço político junto à nobreza, ao mesmo tempo em que assistia a um movimento de centralização do poder que daria origem aos Estados absolutistas (Portugal, Espanha, França e Inglaterra).

Em "O Príncipe" (palavra que designa todos os governantes), a política não é vista mais através de um fundamento exterior a ela própria (como Deus, a razão ou a natureza), mas sim como uma atividade humana. O que move a política, segundo Maquiavel, é a luta pela conquista e pela manutenção do poder.

A contribuição de Nicolau Maquiavel para o mundo é imensa. Ensinou, através da sua obra , a vários políticos e governantes. Aliás, a obra de Maquiavel entrou para sempre não só na história, como na nossa vida cotidiana atual, já que é aplicável a todos os tempos.

Sartre:

Jean-Paul Charles Aymard Sartre (Paris, 21 de Junho de 1905 — Paris, 15 de Abril de 1980) foi um filósofo, escritor e crítico francês, conhecido como representante do existencialismo. Acreditava que os intelectuais têm de desempenhar um papel ativo na sociedade. Era um artista militante, e apoiou causas políticas de esquerda com a sua vida e a sua obra.

 

Sócrates não foi muito bem aceito por parte da aristocracia grega, pois defendia algumas idéias contrárias ao funcionamento da sociedade grega. Criticou muitos aspectos da cultura grega, afirmando que muitas tradições, crenças religiosas e costumes não ajudavam no desenvolvimento intelectual dos cidadãos gregos.

Apesar de nunca ter escrito uma obra, a atividade filosófica de Sócrates está documentada nos livros do também filósofo grego Platão. Os célebres diálogos de Platão incluem o "Êutifron", o "Critão", o "Fédon" e "Um Banquete". Em todos eles, Sócrates aparece como personagem.

Platão:
Em resumo, para Platão a realidade se dividia em duas partes. A primeira parte é o mundo dos sentidos, do qual não podemos ter senão um conhecimento aproximado ou imperfeito, já que para tanto fazemos uso de nossos cinco (aproximados e imperfeitos) sentidos. Neste mundo dos sentidos, tudo "flui" e, consequentemente, nada é perene. Nada é nomundo dos sentidos; nele, as coisas simplesmente surgem e desaparecem. A outra parte é o mundo das idéias, do qual podemos chegar a ter um conhecimento seguro, se para tanto fizermos uso de nossa razão. Este mundo das idéias não pode, portanto, ser conhecido através dos sentidos. Em compensação, asidéias (ou formas) são eternas e imutáveis.

Aristoteles:

Aristóteles, por sua vez, dizia que os sentidos são um ponto de partida importante para a compreensão do mundo.

Só há um mundo e é este que pode ser percebido por nossos sentidos.

É neste mundo sensível que vivemos e é dele que devemos retirar o conhecimento.

Somente a partir da análise criteriosa do mundo que nos cerca poderemos perceber as relações que as coisas apresentam entre si.

Para Aristóteles, seu mestre cometeu um grave equívoco: duplicou o mundo, e esse não é o melhor caminho para compreendê-lo.

Os europeus entram em contato com a filosofia aristotélica durante a invasão dos povos árabes, inicialmente tal filosofia é vista como ameaça à fé cristã, pois Aristóteles afirmava ser impossível o homem ter contato direto com a divindade. Através de Santo Tomás de Aquino, o pensamento aristotélico fornece ao cristianismo da época, uma estrutura racional para sobreviver no ambiente laico e acadêmico.

Até Hegel, século XIX, toda a filosofia ficou calcada nos preâmbulos das afirmações de Aristóteles. Atualmente, a filosofia não desconsidera Aristóteles, mas o coloca em vários pontos e idéias já superadas.

Durante séculos, a própria ciência trabalhou sob o pensamento aristotélico. O surgimento de uma ciência moderna ocorre com o rompimento com a ciência aristotélica através dos trabalhos de Galileu e tantos outros cientistas que questionaram o geocentrismo.

Maquiavel:

Quando queremos dizer que alguém é ardiloso, astuto ou pérfido, costumamos dizer que émaquiavélico. O adjetivo não é nada lisonjeiro, mas o responsável por ele é um dos filósofos mais importantes da história da filosofia política. Niccolò Maquiavel (1469-1527) nasceu em Florença, na época do Renascimento.

A Europa passava então por grandes transformações. Uma nova classe social, aburguesia comercial, buscava espaço político junto à nobreza, ao mesmo tempo em que assistia a um movimento de centralização do poder que daria origem aos Estados absolutistas (Portugal, Espanha, França e Inglaterra).

Em "O Príncipe" (palavra que designa todos os governantes), a política não é vista mais através de um fundamento exterior a ela própria (como Deus, a razão ou a natureza), mas sim como uma atividade humana. O que move a política, segundo Maquiavel, é a luta pela conquista e pela manutenção do poder.

A contribuição de Nicolau Maquiavel para o mundo é imensa. Ensinou, através da sua obra , a vários políticos e governantes. Aliás, a obra de Maquiavel entrou para sempre não só na história, como na nossa vida cotidiana atual, já que é aplicável a todos os tempos.

Sartre:

Jean-Paul Charles Aymard Sartre (Paris, 21 de Junho de 1905 — Paris, 15 de Abril de 1980) foi um filósofo, escritor e crítico francês, conhecido como representante do existencialismo. Acreditava que os intelectuais têm de desempenhar um papel ativo na sociedade. Era um artista militante, e apoiou causas políticas de esquerda com a sua vida e a sua obra.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes