A maior rede de estudos do Brasil

agravo de instrumento é conhecido para qual momento processual?

Processo Civil III

ESTÁCIO EAD


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

O agravo de instrumento deve ser interposto como meio de impugnação de decisão interlocutória, desde que prevista no rol do art. 1.015, do CPC:

Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões interlocutórias que versarem sobre:

I - tutelas provisórias;

II - mérito do processo;

III - rejeição da alegação de convenção de arbitragem;

IV - incidente de desconsideração da personalidade jurídica;

V - rejeição do pedido de gratuidade da justiça ou acolhimento do pedido de sua revogação;

VI - exibição ou posse de documento ou coisa;

VII - exclusão de litisconsorte;

VIII - rejeição do pedido de limitação do litisconsórcio;

IX - admissão ou inadmissão de intervenção de terceiros;

X - concessão, modificação ou revogação do efeito suspensivo aos embargos à execução;

XI - redistribuição do ônus da prova nos termos do art. 373, § 1º ;

[...]

XIII - outros casos expressamente referidos em lei.

Parágrafo único. Também caberá agravo de instrumento contra decisões interlocutórias proferidas na fase de liquidação de sentença ou de cumprimento de sentença, no processo de execução e no processo de inventário."

Ressalto que as hipóteses podem ser ampliadas, por meio de dispositivo legal diverso, conforme se depreende do inciso XIII do citado artigo.

Ademais, em decisão recente, o STJ mitigou a taxatividade do art. 1.015, do CPC, admitindo interposição de agravo de instrumento em face de decisões interlocutórias não previstas expressamente em lei, desde que haja urgência. (REsp 1.696.396 / REsp 1.704.520, Min. Rel. Nancy Andrighi)

O agravo de instrumento deve ser interposto como meio de impugnação de decisão interlocutória, desde que prevista no rol do art. 1.015, do CPC:

Art. 1.015. Cabe agravo de instrumento contra as decisões interlocutórias que versarem sobre:

I - tutelas provisórias;

II - mérito do processo;

III - rejeição da alegação de convenção de arbitragem;

IV - incidente de desconsideração da personalidade jurídica;

V - rejeição do pedido de gratuidade da justiça ou acolhimento do pedido de sua revogação;

VI - exibição ou posse de documento ou coisa;

VII - exclusão de litisconsorte;

VIII - rejeição do pedido de limitação do litisconsórcio;

IX - admissão ou inadmissão de intervenção de terceiros;

X - concessão, modificação ou revogação do efeito suspensivo aos embargos à execução;

XI - redistribuição do ônus da prova nos termos do art. 373, § 1º ;

[...]

XIII - outros casos expressamente referidos em lei.

Parágrafo único. Também caberá agravo de instrumento contra decisões interlocutórias proferidas na fase de liquidação de sentença ou de cumprimento de sentença, no processo de execução e no processo de inventário."

Ressalto que as hipóteses podem ser ampliadas, por meio de dispositivo legal diverso, conforme se depreende do inciso XIII do citado artigo.

Ademais, em decisão recente, o STJ mitigou a taxatividade do art. 1.015, do CPC, admitindo interposição de agravo de instrumento em face de decisões interlocutórias não previstas expressamente em lei, desde que haja urgência. (REsp 1.696.396 / REsp 1.704.520, Min. Rel. Nancy Andrighi)

User badge image

kelson rubens lemes de britto

Há mais de um mês

para decisão parcial de  merito

User badge image

kelson rubens lemes de britto

Há mais de um mês

que ocorre antes da sentença, caso o juiz decida uma parte apenas do processo

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas