A maior rede de estudos do Brasil

Caso exploradores de caverna tese para defesa?


1 resposta(s)

User badge image

Fabiana Teodoro

Há mais de um mês

Você pode começar a sua tese de defesa fundamentando o seguinte:

1° o terror psicologico sofrido pelos exploradores a se encontrarem diante de um sacrificio, que ali era a unica saida pois se esperassem mais uma semana antes de prosseguir com o acordo poderia ser fatal por razões óbvias: desequilíbrios no organismo, debilidades gerais, etc. Os exames clínicos feitos em dois acusados revelou que os mesmos estão com baixa visão e problemas nos rins. Se tivessem passado mais alguns dias sem comer poderia haver quedas de pressão, arritmias cardíacas, redução das proteínas, diminuição do tamanho dos órgãos-incluindo o cérebro-, etc. Enfim, sem alimentação o quadro se converteria em morte por insuficiência hepática ou falência dos órgãos.

2° fundamento seria estado de necessidade e perigo atual que é o instinto de sobrevivência, frente ao art. 4º do CP “Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado”, porém estamos diante da inexistência de um ambiente jurídico ou político o que caracteriza um fato atípico, além uma condição não prevista no ordenamento, e na ocasião as normas jurídicas se encontravam inválidas.

Art. 23 - Não há crime quando o agente pratica o fato: I - em estado de necessidade; II - em legítima defesa; III - em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito.

Art. 24 - Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato para salvar de perigo atual, que não provocou por sua vontade, nem podia de outro modo evitar, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, nas circunstâncias, não era razoável exigir-se.

3° fundamento seria a legitima defesa ( art. 25 CP) "Havia uma única certeza durante o período em que os exploradores viveram seu cárcere, a de que um deles seria sacrificado em prol dos demais, porém havia também uma dúvida, quem seria? A qualquer momento, alguém seria escolhido, ou ocorreria de todos se unirem contra um o que certamente gera uma situação de injusta agressão iminente, contra um deles. Neste caso, o indivíduo valoriza mais a própria vida que á vida de quem lhe quer morto, tendo como única defesa tirar a vida de quem lhe ameaça. Ocorre ainda que a ideia de canibalismo veio do próprio Whetmore, o que o tornou o principal alvo de desconfiança, pois obviamente por ter proposto tal atrocidade era o que possuía maior vontade de manter-se vivo e ainda sendo este o causador do terror social vivenciado por todos. Portanto, observa-se evidentemente a presença da legitima defesa como excludente de ilicitude a fim de provar a inexistência de crime, pois os demais usaram de meio necessário, para salvar suas vidas, onde o elemento subjetivo era única e exclusivamente a repelir o comportamento perigoso de Whetmore".

E 4° e último fundamento é o perdão judicial, pode soar desumano, mas a vida de um diante de uma plualidade de outras vidas não tem tanto valor, os homens enclausurados não tinham muitas opções para terem condutas adversas da que estava sendo cogitada,tem-se uma situação que não importa o tempo que passem na prisão ou mesmo que paguem com qualquer outro tipo de pena, por mais que ao final do cumprimento de suas sentenças não devam mais nada nem para o Estado e nem para a sociedade, ainda assim estariam com o peso da culpa e as fortes cenas protagonizadas por eles naquela caverna ao tirarem a vida de um amigo com o intuito de alimentarem-se dele, sentença alguma será capaz de remediar esse sentimento que os acompanhará pelo resto de suas vidas, então temos aqui também afastada a conduta do elemento da culpabilidade(art. 120 do CP).

Por fim você pode pedir que sejam inocentados os que sobreviveram e que por conseguinte a completa absolvição e extinção do processo pela ausência de fato típico.

Você pode começar a sua tese de defesa fundamentando o seguinte:

1° o terror psicologico sofrido pelos exploradores a se encontrarem diante de um sacrificio, que ali era a unica saida pois se esperassem mais uma semana antes de prosseguir com o acordo poderia ser fatal por razões óbvias: desequilíbrios no organismo, debilidades gerais, etc. Os exames clínicos feitos em dois acusados revelou que os mesmos estão com baixa visão e problemas nos rins. Se tivessem passado mais alguns dias sem comer poderia haver quedas de pressão, arritmias cardíacas, redução das proteínas, diminuição do tamanho dos órgãos-incluindo o cérebro-, etc. Enfim, sem alimentação o quadro se converteria em morte por insuficiência hepática ou falência dos órgãos.

2° fundamento seria estado de necessidade e perigo atual que é o instinto de sobrevivência, frente ao art. 4º do CP “Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado”, porém estamos diante da inexistência de um ambiente jurídico ou político o que caracteriza um fato atípico, além uma condição não prevista no ordenamento, e na ocasião as normas jurídicas se encontravam inválidas.

Art. 23 - Não há crime quando o agente pratica o fato: I - em estado de necessidade; II - em legítima defesa; III - em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito.

Art. 24 - Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato para salvar de perigo atual, que não provocou por sua vontade, nem podia de outro modo evitar, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, nas circunstâncias, não era razoável exigir-se.

3° fundamento seria a legitima defesa ( art. 25 CP) "Havia uma única certeza durante o período em que os exploradores viveram seu cárcere, a de que um deles seria sacrificado em prol dos demais, porém havia também uma dúvida, quem seria? A qualquer momento, alguém seria escolhido, ou ocorreria de todos se unirem contra um o que certamente gera uma situação de injusta agressão iminente, contra um deles. Neste caso, o indivíduo valoriza mais a própria vida que á vida de quem lhe quer morto, tendo como única defesa tirar a vida de quem lhe ameaça. Ocorre ainda que a ideia de canibalismo veio do próprio Whetmore, o que o tornou o principal alvo de desconfiança, pois obviamente por ter proposto tal atrocidade era o que possuía maior vontade de manter-se vivo e ainda sendo este o causador do terror social vivenciado por todos. Portanto, observa-se evidentemente a presença da legitima defesa como excludente de ilicitude a fim de provar a inexistência de crime, pois os demais usaram de meio necessário, para salvar suas vidas, onde o elemento subjetivo era única e exclusivamente a repelir o comportamento perigoso de Whetmore".

E 4° e último fundamento é o perdão judicial, pode soar desumano, mas a vida de um diante de uma plualidade de outras vidas não tem tanto valor, os homens enclausurados não tinham muitas opções para terem condutas adversas da que estava sendo cogitada,tem-se uma situação que não importa o tempo que passem na prisão ou mesmo que paguem com qualquer outro tipo de pena, por mais que ao final do cumprimento de suas sentenças não devam mais nada nem para o Estado e nem para a sociedade, ainda assim estariam com o peso da culpa e as fortes cenas protagonizadas por eles naquela caverna ao tirarem a vida de um amigo com o intuito de alimentarem-se dele, sentença alguma será capaz de remediar esse sentimento que os acompanhará pelo resto de suas vidas, então temos aqui também afastada a conduta do elemento da culpabilidade(art. 120 do CP).

Por fim você pode pedir que sejam inocentados os que sobreviveram e que por conseguinte a completa absolvição e extinção do processo pela ausência de fato típico.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes