A maior rede de estudos do Brasil

Desafios conteporaneos

As perspectivas mais recentes dos estudos de gênero, trazem inovações importantes para se pensar as diferentes condições do que é ser mulher no mundo. Considerando as sentenças apresentadas abaixo, marque a opção correta.

I - As pesquisas feministas produzidas por mulheres negras e/ou do “terceiro mundo” trouxeram à tona a ideia de que as opressões sobre as mulheres não são as mesmas ao redor do mundo, variando em função do lugar, da cor, da classe social, da religião e que não podem ser entendidas de forma separada ou hierarquizada, pois muitas vezes se dão simultaneamente. Essa análise criticava o feminismo tradicional, majoritariamente reivindicado pelas mulheres brancas de classe média que, embora sofressem inúmeras opressões, não vivenciavam outras, exclusivas de outros segmentos e classes de mulheres.

II – A crítica ao feminismo tradicional baseava-se no fato de que contrapunha homens e mulheres, levando em consideração argumentos moralistas e que questionavam a ordem natural das coisas, sobretudo a Biologia e a genética

III – Em realidade, o debate de feminismo apresenta um contraponto às teses de caráter biologizante, porque entende a construção da identidade de gênero como uma construção social, que não é determinada apenas pela genitália com a qual se nasce.


8 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

As primeiras opiniões feministas sobre pessoas trans eram frequentemente hostis, mas as feministas mais modernas vêem a luta pelos direitos trans como uma parte importante do feminismo.

Feministas que defendem opiniões que outras feministas consideram transfóbicas , que se opõem aos direitos dos transgêneros ou à inclusão de mulheres trans nos espaços e organizações de mulheres, ou que dizem que mulheres trans não são mulheres, foram chamadas de "feministas radicais trans-excludentes" ou "TERFs ".

Além disso, alguns pessoas trans e transexuais, como Julia Serano e Jacob Anderson-Minshall , formaram um movimento dentro do feminismo chamado transfeminismo , que vê os direitos das pessoas trans e das mulheres trans em particular como parte integrante da luta feminista por todos os direitos das mulheres.

As primeiras opiniões feministas sobre pessoas trans eram frequentemente hostis, mas as feministas mais modernas vêem a luta pelos direitos trans como uma parte importante do feminismo.

Feministas que defendem opiniões que outras feministas consideram transfóbicas , que se opõem aos direitos dos transgêneros ou à inclusão de mulheres trans nos espaços e organizações de mulheres, ou que dizem que mulheres trans não são mulheres, foram chamadas de "feministas radicais trans-excludentes" ou "TERFs ".

Além disso, alguns pessoas trans e transexuais, como Julia Serano e Jacob Anderson-Minshall , formaram um movimento dentro do feminismo chamado transfeminismo , que vê os direitos das pessoas trans e das mulheres trans em particular como parte integrante da luta feminista por todos os direitos das mulheres.

User badge image

Jamile Dias

Há mais de um mês

Olá!

Diante do exposto acima, podemos concluir corretamente que:

As afirmativas 2 e 3 estão corretamente colocadas. Já o que foi afirmado na questão 1 pode ser corretamente tratado com incorreto em decorrência de que no mundo todo podemos observar a ocorrência de opressão para com as mulheres. Todavia, de fato, há locais em que essas violências são mais evidenciadas que em outros.

Por exemplo, o machismo é mais evidente em locais do Oriente Médio que em locais do Brasil, por exemplo com o feliz avanço do feminismo.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas