A maior rede de estudos do Brasil

cite e explique os principais métodos de controle de estoque


1 resposta(s)

User badge image

Priscila Amorim

Há mais de um mês

1. Método PEPS

método PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai) obedece a uma ordem cronológica à medida que as mercadorias entram e saem do estoque.

Assim, quando as vendas acontecem, dá-se baixa nas primeiras unidades que entraram, ou seja, as mercadorias que chegaram primeiro, são as primeiras a serem despachadas, seja para produção, seja na efetivação das vendas.

Neste método de gestão de estoque, usam-se os custos dos lotes mais antigos quando as mercadorias deixam o estoque, partindo para o segundo lote mais antigo e, assim, sucessivamente.

A circulação dos produtos ocorre de forma ordenada e contínua, refletindo com precisão o seu custo real.

2. Método UEPS

método UEPS (Último a Entrar, Primeiro a Sair) segue o raciocínio contrário ao do método anterior, o PEPS. Funciona assim: o custo do estoque leva em consideração o preço das ultimas unidades que foram adquiridas e lançadas no controle de estoque.

Neste método de gestão de estoqueos preços mais recentes é que valem, já que repercutem os últimos gastos com a reposição de mercadorias.

O PEPS é um dos métodos recomendados, sendo inclusive utilizado pelo Fisco. O problema é que este método não é aplicável em todos os setores, tornando-se inviável, por exemplo, nas empresas que lidam com gêneros perecíveis como alimentos.

3. Método MPM

O método MPM (Média Ponderada Móvel ou Preço Médio Ponderado) é bastante utilizado no Brasil pela sua facilidade de implementação.

Funciona da seguinte forma: o estoque é controlado permanentemente e, a cada aquisição de mercadorias, o cálculo de custos é refeito. Somam-se os custos do primeiro lote com os do segundo lote e divide-se pela quantidade total de produtos.

Este controle faz com que o preço médio do patrimônio estocado ofereça uma rentabilidade mediana e segura.

1. Método PEPS

método PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai) obedece a uma ordem cronológica à medida que as mercadorias entram e saem do estoque.

Assim, quando as vendas acontecem, dá-se baixa nas primeiras unidades que entraram, ou seja, as mercadorias que chegaram primeiro, são as primeiras a serem despachadas, seja para produção, seja na efetivação das vendas.

Neste método de gestão de estoque, usam-se os custos dos lotes mais antigos quando as mercadorias deixam o estoque, partindo para o segundo lote mais antigo e, assim, sucessivamente.

A circulação dos produtos ocorre de forma ordenada e contínua, refletindo com precisão o seu custo real.

2. Método UEPS

método UEPS (Último a Entrar, Primeiro a Sair) segue o raciocínio contrário ao do método anterior, o PEPS. Funciona assim: o custo do estoque leva em consideração o preço das ultimas unidades que foram adquiridas e lançadas no controle de estoque.

Neste método de gestão de estoqueos preços mais recentes é que valem, já que repercutem os últimos gastos com a reposição de mercadorias.

O PEPS é um dos métodos recomendados, sendo inclusive utilizado pelo Fisco. O problema é que este método não é aplicável em todos os setores, tornando-se inviável, por exemplo, nas empresas que lidam com gêneros perecíveis como alimentos.

3. Método MPM

O método MPM (Média Ponderada Móvel ou Preço Médio Ponderado) é bastante utilizado no Brasil pela sua facilidade de implementação.

Funciona da seguinte forma: o estoque é controlado permanentemente e, a cada aquisição de mercadorias, o cálculo de custos é refeito. Somam-se os custos do primeiro lote com os do segundo lote e divide-se pela quantidade total de produtos.

Este controle faz com que o preço médio do patrimônio estocado ofereça uma rentabilidade mediana e segura.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes