A maior rede de estudos do Brasil

qual a função dos acidentes osseos


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O sistema esquelético humano consiste em todos os ossos, cartilagens , tendões e ligamentos do corpo.

O esqueleto de um adulto contém 206 ossos. Os esqueletos infantis na verdade contêm mais ossos porque alguns deles, incluindo os do crânio, se fundem à medida que crescem.

O esqueleto masculino é geralmente mais longo e tem uma alta massa óssea. O esqueleto feminino, por outro lado, possui uma pelve mais ampla para acomodar a gravidez e o nascimento da criança.

Independentemente da idade ou sexo, o sistema esquelético pode ser dividido em duas partes, conhecidas como esqueleto axial e esqueleto apendicular.

O sistema esquelético humano consiste em todos os ossos, cartilagens , tendões e ligamentos do corpo.

O esqueleto de um adulto contém 206 ossos. Os esqueletos infantis na verdade contêm mais ossos porque alguns deles, incluindo os do crânio, se fundem à medida que crescem.

O esqueleto masculino é geralmente mais longo e tem uma alta massa óssea. O esqueleto feminino, por outro lado, possui uma pelve mais ampla para acomodar a gravidez e o nascimento da criança.

Independentemente da idade ou sexo, o sistema esquelético pode ser dividido em duas partes, conhecidas como esqueleto axial e esqueleto apendicular.

User badge image

Nicoly Silva

Há mais de um mês

Após o término do crescimento e desencolvimento ósseo, observa-se marcas em sua superfície denominadas acidentes ósseoa, que são estruturas naturais adaptadas a funçoes específicas como origem e inserção de músculos e ligamentos ou ainda, trajeto de nervos ou vasos. 
Algumas terminologias anatômicas usadas para a descrição das superfícies ósseas 
(Acidentes Ósseos) 

As superfícies ósseas são de duas ordens: articulares e não-articulares. 

SUPERFÍCIES ARTICULARES 

Cabeça 
Uma extremidade articular globosa. Ex.: cabeça do úmero e do fêmur. 

Côndilo 
Uma projeção articular de grande porte, de aspecto arredondado. 

Ex.: côndilos femorais. 

Face 
Uma superfície articular achatada ou pouco profunda. Ex.: face articular do rádio. 

Superfícies não-articulares 

Crista 
Eminência estreita e alongada. Ex.: crista ilíaca do osso ilíaco. 

Espinha 
Uma projeção delgada e pontiaguda. Ex.: espinha isquiática. 

Epicôndilo 
É um processo proeminente acima do côndilo. Ex.: epicôndilos do úmero. 

Linhas 
As linhas são cristas pequenas e rasas. Ex.: linha áspera do fêmur. 

Processo 
Refere-se a uma saliência óssea acentuada. Ex.: processo mastóideo do osso temporal. 

Trocanter 
Um grande processo para inserção muscular. Ex.: trocanter maior e menor do fêmur. 

Tuberosidade 
Um grande processo de superfície áspera e rugosa. Ex.: tuberosidade ulnar. 

Tubérculo 
Um pequeno processo de formato arredondado. Ex.: tubérculo maior e menor do úmero. 

Cavidades, depressões, aberturas 

Cavidades articulares 
São ora rasas, ora profundas, daí a denominação de glenóide no primeiro caso e cotilóide no segundo. 

Forame 
São cavidades de transmissão, para passagem de vasos e nervos. Ex.: forame magno do osso occipital. 

Fossa 
Refere-se a uma “vala” rasa. Ex.: fossa mandibular do osso temporal. 

Fóvea 
Uma pequena escavação formando uma cavidade, normalmente circular. Ex.: fóvea da cabeça do rádio. 

Meato ou canal 
É uma passagem de forma tubular. Ex.: meato acústico externo do osso temporal. 

Seio 
Cavidade ou espaço oco. Ex.: seio frontal do osso frontal. 


Sulco 
Depressão alongada em forma de canaleta; são cavidades onde deslizam os tendões, acomodam um vaso ou um nervo. Ex.: sulco bicipital do úmero.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas