A maior rede de estudos do Brasil

Em quantas camadas se divide o modelo de referência OSI? 12 camadas 5 camadas 3 camadas 7 camadas 6 camadas

Redes 3

ESTÁCIO


2 resposta(s)

User badge image

Danielle Campos

Há mais de um mês

Quando as redes de computadores surgiram, ainda não existia uma padronização, por isso as soluções eram proprietárias, o que abrigava cada fabricante implementar todos dispositivos de uma rede.
Por esse motivo o cliente ficava dependente das soluções desenvolvidas por apenas um fabricante, e a interconexão entre redes era um grande problema.

Para facilitar a interconexão entre redes de computadores a ISO (International Standards Organization) desenvolveu o modelo OSI (Open Systems Interconnection) para que os fabricantes criassem protocolos a partir desse modelo.

As camadas do modelo OSI podem ser vistas na figura a seguir, vale lembrar que esta modelo é teórico, nenhum dos protocolos existentes, como por exemplo TCP/IP, IPX/SPX ou NetBEUI seguem esse modelo a risca, eles são baseados no padrão OSI e implementam algumas das camadas propostas pelo modelo.

Para a transmissão de dados cada camada recebe as informações passadas pela camada superior, acrescenta as informações pelas quais é responsável e passa os dados para a camada imediatamente inferior. Esse processo é conhecido por encapsulamento. No recebimento dos dados o processo é realizado ao contrario, a camada de baixo recebe os dados, e após tratar-los passa para a camada imediatamente superior.

As camadas do modelo OSI também podem ser divididas em três grupos: o grupo de aplicação que abrange as camadas de sessão, apresentação e aplicação, transporte que abrange apenas a camada de transporte e o grupo de rede que abrange as camadas física, enlace(link de dados) e de rede, está divisão está mostrada na figura a seguir.

A seguir será apresentado os detalhes de cada uma das camadas do modelo OSI:

Camada 7 – Aplicação

A camada de Aplicação também chamada de Camada 7 do modelo OSI é a responsável pela interface entre o aplicativo e o protocolo de comunicação.

Protocolos da Camada de Aplicação
HTTP, SMTP, FTP, SSH, RTP, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS e Ping sendo está a camada que possui mais protocolos implementados.

Camada 6 – Apresentação

A camada de Apresentação também conhecida com camada de Tradução é responsável pela conversão do dados recebidos da camada de Aplicação e que serão transmitidos pela rede, convertendo os dados num formato entendido pelo protocolo que está sendo utilizado.
Alem da conversão de dados esta camada pode realizar as funções de compressão e criptografia dos dados que serão enviados.

Camada 5 – Sessão

A Camada de Sessão é responsável por permitir que duas aplicação em computadores diferentes estabeleçam uma sessão de comunicação.
Na transmissão as aplicações definem como será feita a transmissão dos dados, e colocam marcações nos dados que estão sendo transmitidos para ter controle em caso de falhas na rede, com isso o transmissor sabe quais dados devem ser reenviados. Esta transmissão de dados pode ser feita de duas formas Half-duplex ou Full-duplex. Na Half-duplex a conexão interliga somente duas estações na rede, havendo um canal ponto-a-ponto entre elas, quando um nó transmite o outro recebe, um de cada vês; na Full-duplex uma estação pode estabelecer um canal entre vários hosts na rede a fim de enviar uma mensagem em broadcast para as demais estações.
Um dos protocolos usado nessa camada é o RPC (Remote Procedure Call) que trata as sincronizações (checkpoints) de transferência de arquivos.

Camada 4 – Transporte

No processo de envio esta camada é responsável por dividir em pacotes os dados recebidos da Camada de Sessão e após repassa os dados para a Camada de Rede. No receptor esta camada é responsável por pegar os pacotes recebidos da Camada de Rede e remontar o dado original para enviá-lo à Camada de Sessão.
O processo de montagem dos pacotes recebidos inclui o controle de fluxo (colocar os pacotes recebidos em ordem, caso tenham chegados fora de ordem) e correção de erros, o que geralmente é controlado através do envio para o transmissor de um pacote de reconhecimento (acknowledge), informando que o pacote foi recebido com sucesso.
Esta camada também é responsável por separar as camadas de nível de aplicação (Camadas 5 a 7) das camadas de nível físico (Camadas de 1 a 3).
Alguns dos protocolos dessa camada incluem: TCP (Transmission Control Protocol), UDP(User Datagram Protocol), RTP(Real-time Transport Protocol), SCTP(Stream Control Transmission Protocol). Eu escrevi um artigo detalhando melhor essa camada, acesse neste link http://www.adonai.eti.br/wordpress/2011/03/camada-de-transporte-transport-layer/

Camada 3 – Rede

A Camada de Rede é responsável pelo endereçamento dos pacotes, convertendo endereços lógicos em endereços físicos, de forma que os pacotes consigam chegar corretamento ao destino.
Esta camada também determina a rota (roteamento) que os pacotes irão seguir até chegar o destino, baseada em fatores como condições de tráfego da rede e prioridades.
Está camada é a responsável por definir como fragmentar um pacote em tamanhos menores tendo em vista o MTU (Maximum Transmision Unit) da rede utilizada.
Alguns dos protocolos usados nessa camda são: IP, ICMP, ARP, RARP, IGMP, RIP, OSPF
Os protocolos da Camada de Rede podem ser classificados em 3 grupos: Protocolos Roteáveis, Protocolos de Roteamento e Protocolos Não-Roteáveis, a seguir será detalhado cada um deles.

* Protocolos Roteáveis: São protocolos que especificam o endereçamento lógico referente à camada inter-rede. Os endereços especificados por estes protocolos são utilizados para a decisão de encaminhamento de um pacote. Alguns exemplo desses protocolos são o IP, IPX e o AppleTalk.

* Protocolos de Roteamento: São responsáveis pelo preenchimento da tabela de roteamento. Esses protocolos especificam como as rotas serão aprendidos e divulgadas a outros roteadores, por isso são protocolos utilizados pelos roteadores. Alguns dos protocolos são o RIP (Routing Information Protocol) e o OSPF (Open Shortest Path First).

* Protocolos Não-Roteáveis: Um protocolo não-roteável é um protocolo que não pode ser encaminhado por roteadores. Geralmente isso ocorre com protocolos que não rodam sobre um protocolo de camada 3 (Rede).
Alguns exemplos de protocolos não-roteaveis são: NetBIOS e o NetBEUI.

Camada 2 – Enlace ou Link de Dados

Esta camada pega os dados recebidos da camada de Rede e os transforma em quadros que serão enviados pela rede, adicionando informações como o endereço da placa de rede de origem, o endereço da placa de rede de destino, dados de controle, os dados em si e o CRC.
No receptor esta camada é responsável pela verificação dos dados recebidos, refazendo o CRC. Se os dados estão corretos, é enviado uma confirmação de recebimento (chamada de acknowledgeou simplesmente ack). Caso essa confirmação não seja recebida, a camada de enlace do transmissor reenvia o quadro, já que ele não chegou até o receptor ou então chegou com os dados corrompidos.
Alguns dos protocolos usados nessa camada são: PPP (Point-to-Point Protocol), HDLC (High-Level Data Link Control) e o ADCCP (Advanced Data Communication Control Procedures).

Camada 1 – Camada Física

A Camada Física é responsável por converter os quadros enviados pela Camada de Enlace em sinais compatíveis com o meio que serão transmitidos, como por exemplo sinais elétricos para um meio elétrico, ou sinais luminosos para fibra óptica.

Protocolos da Camada de Rede
IP (Internet Protocol): Recebe segmentos de dados da camada de transporte e os encapsula em datagramas, é um protocolo não confiável por não exigir confirmação.
ICMP (Internet Control Message Protocol): É um padrão TCP/IP necessário, são documentos regidos IETF que estabelecem os padrões de cada protocolo com o ICMP os hosts e roteadores que usam comunicação IP podem relatar erros e trocar informações de status e controle limitado.
ARP (Address Resolution Protocol): Permite certo computador se comunicar com outro computador em rede quando somente o endereço de IP é conhecido pelo destinatário.
RARP (Reverse Address Resolution Protocol): Faz o contrario do protocolo ARP, ao invés de obter o informações como o MAC e o IP de máquinas remotas, o protocolo RARP requisita informações para a própria maquina. Foi substituido pelo DHCP e pelo BOOTP.
IGMP (Internet Group Management Protocol): É usado por hosts para reportar seus participantes de grupos de hosts a roteadores multicast vizinhos, é um protocolo assimétrico.

Quando as redes de computadores surgiram, ainda não existia uma padronização, por isso as soluções eram proprietárias, o que abrigava cada fabricante implementar todos dispositivos de uma rede.
Por esse motivo o cliente ficava dependente das soluções desenvolvidas por apenas um fabricante, e a interconexão entre redes era um grande problema.

Para facilitar a interconexão entre redes de computadores a ISO (International Standards Organization) desenvolveu o modelo OSI (Open Systems Interconnection) para que os fabricantes criassem protocolos a partir desse modelo.

As camadas do modelo OSI podem ser vistas na figura a seguir, vale lembrar que esta modelo é teórico, nenhum dos protocolos existentes, como por exemplo TCP/IP, IPX/SPX ou NetBEUI seguem esse modelo a risca, eles são baseados no padrão OSI e implementam algumas das camadas propostas pelo modelo.

Para a transmissão de dados cada camada recebe as informações passadas pela camada superior, acrescenta as informações pelas quais é responsável e passa os dados para a camada imediatamente inferior. Esse processo é conhecido por encapsulamento. No recebimento dos dados o processo é realizado ao contrario, a camada de baixo recebe os dados, e após tratar-los passa para a camada imediatamente superior.

As camadas do modelo OSI também podem ser divididas em três grupos: o grupo de aplicação que abrange as camadas de sessão, apresentação e aplicação, transporte que abrange apenas a camada de transporte e o grupo de rede que abrange as camadas física, enlace(link de dados) e de rede, está divisão está mostrada na figura a seguir.

A seguir será apresentado os detalhes de cada uma das camadas do modelo OSI:

Camada 7 – Aplicação

A camada de Aplicação também chamada de Camada 7 do modelo OSI é a responsável pela interface entre o aplicativo e o protocolo de comunicação.

Protocolos da Camada de Aplicação
HTTP, SMTP, FTP, SSH, RTP, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS e Ping sendo está a camada que possui mais protocolos implementados.

Camada 6 – Apresentação

A camada de Apresentação também conhecida com camada de Tradução é responsável pela conversão do dados recebidos da camada de Aplicação e que serão transmitidos pela rede, convertendo os dados num formato entendido pelo protocolo que está sendo utilizado.
Alem da conversão de dados esta camada pode realizar as funções de compressão e criptografia dos dados que serão enviados.

Camada 5 – Sessão

A Camada de Sessão é responsável por permitir que duas aplicação em computadores diferentes estabeleçam uma sessão de comunicação.
Na transmissão as aplicações definem como será feita a transmissão dos dados, e colocam marcações nos dados que estão sendo transmitidos para ter controle em caso de falhas na rede, com isso o transmissor sabe quais dados devem ser reenviados. Esta transmissão de dados pode ser feita de duas formas Half-duplex ou Full-duplex. Na Half-duplex a conexão interliga somente duas estações na rede, havendo um canal ponto-a-ponto entre elas, quando um nó transmite o outro recebe, um de cada vês; na Full-duplex uma estação pode estabelecer um canal entre vários hosts na rede a fim de enviar uma mensagem em broadcast para as demais estações.
Um dos protocolos usado nessa camada é o RPC (Remote Procedure Call) que trata as sincronizações (checkpoints) de transferência de arquivos.

Camada 4 – Transporte

No processo de envio esta camada é responsável por dividir em pacotes os dados recebidos da Camada de Sessão e após repassa os dados para a Camada de Rede. No receptor esta camada é responsável por pegar os pacotes recebidos da Camada de Rede e remontar o dado original para enviá-lo à Camada de Sessão.
O processo de montagem dos pacotes recebidos inclui o controle de fluxo (colocar os pacotes recebidos em ordem, caso tenham chegados fora de ordem) e correção de erros, o que geralmente é controlado através do envio para o transmissor de um pacote de reconhecimento (acknowledge), informando que o pacote foi recebido com sucesso.
Esta camada também é responsável por separar as camadas de nível de aplicação (Camadas 5 a 7) das camadas de nível físico (Camadas de 1 a 3).
Alguns dos protocolos dessa camada incluem: TCP (Transmission Control Protocol), UDP(User Datagram Protocol), RTP(Real-time Transport Protocol), SCTP(Stream Control Transmission Protocol). Eu escrevi um artigo detalhando melhor essa camada, acesse neste link http://www.adonai.eti.br/wordpress/2011/03/camada-de-transporte-transport-layer/

Camada 3 – Rede

A Camada de Rede é responsável pelo endereçamento dos pacotes, convertendo endereços lógicos em endereços físicos, de forma que os pacotes consigam chegar corretamento ao destino.
Esta camada também determina a rota (roteamento) que os pacotes irão seguir até chegar o destino, baseada em fatores como condições de tráfego da rede e prioridades.
Está camada é a responsável por definir como fragmentar um pacote em tamanhos menores tendo em vista o MTU (Maximum Transmision Unit) da rede utilizada.
Alguns dos protocolos usados nessa camda são: IP, ICMP, ARP, RARP, IGMP, RIP, OSPF
Os protocolos da Camada de Rede podem ser classificados em 3 grupos: Protocolos Roteáveis, Protocolos de Roteamento e Protocolos Não-Roteáveis, a seguir será detalhado cada um deles.

* Protocolos Roteáveis: São protocolos que especificam o endereçamento lógico referente à camada inter-rede. Os endereços especificados por estes protocolos são utilizados para a decisão de encaminhamento de um pacote. Alguns exemplo desses protocolos são o IP, IPX e o AppleTalk.

* Protocolos de Roteamento: São responsáveis pelo preenchimento da tabela de roteamento. Esses protocolos especificam como as rotas serão aprendidos e divulgadas a outros roteadores, por isso são protocolos utilizados pelos roteadores. Alguns dos protocolos são o RIP (Routing Information Protocol) e o OSPF (Open Shortest Path First).

* Protocolos Não-Roteáveis: Um protocolo não-roteável é um protocolo que não pode ser encaminhado por roteadores. Geralmente isso ocorre com protocolos que não rodam sobre um protocolo de camada 3 (Rede).
Alguns exemplos de protocolos não-roteaveis são: NetBIOS e o NetBEUI.

Camada 2 – Enlace ou Link de Dados

Esta camada pega os dados recebidos da camada de Rede e os transforma em quadros que serão enviados pela rede, adicionando informações como o endereço da placa de rede de origem, o endereço da placa de rede de destino, dados de controle, os dados em si e o CRC.
No receptor esta camada é responsável pela verificação dos dados recebidos, refazendo o CRC. Se os dados estão corretos, é enviado uma confirmação de recebimento (chamada de acknowledgeou simplesmente ack). Caso essa confirmação não seja recebida, a camada de enlace do transmissor reenvia o quadro, já que ele não chegou até o receptor ou então chegou com os dados corrompidos.
Alguns dos protocolos usados nessa camada são: PPP (Point-to-Point Protocol), HDLC (High-Level Data Link Control) e o ADCCP (Advanced Data Communication Control Procedures).

Camada 1 – Camada Física

A Camada Física é responsável por converter os quadros enviados pela Camada de Enlace em sinais compatíveis com o meio que serão transmitidos, como por exemplo sinais elétricos para um meio elétrico, ou sinais luminosos para fibra óptica.

Protocolos da Camada de Rede
IP (Internet Protocol): Recebe segmentos de dados da camada de transporte e os encapsula em datagramas, é um protocolo não confiável por não exigir confirmação.
ICMP (Internet Control Message Protocol): É um padrão TCP/IP necessário, são documentos regidos IETF que estabelecem os padrões de cada protocolo com o ICMP os hosts e roteadores que usam comunicação IP podem relatar erros e trocar informações de status e controle limitado.
ARP (Address Resolution Protocol): Permite certo computador se comunicar com outro computador em rede quando somente o endereço de IP é conhecido pelo destinatário.
RARP (Reverse Address Resolution Protocol): Faz o contrario do protocolo ARP, ao invés de obter o informações como o MAC e o IP de máquinas remotas, o protocolo RARP requisita informações para a própria maquina. Foi substituido pelo DHCP e pelo BOOTP.
IGMP (Internet Group Management Protocol): É usado por hosts para reportar seus participantes de grupos de hosts a roteadores multicast vizinhos, é um protocolo assimétrico.

User badge image

TomasAngelo Lazaro

Há mais de um mês

O modelo OSI, que na verdade é o modelo de referência se divide, em 7 Camadas.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes