A maior rede de estudos do Brasil

Como era a vida dos escravos no Brasil?

História

Colegio Fazer Crescer


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder essa pergunta devemos colocar em prática nosso conhecimento sobre História.
O início do trabalho escravo foi com a atividade açucareira nos engenhos de cana. Esse tipo de trabalho atravessou o período colonial e foi instinto em 1888.
Inicialmente foram escravizados apenas indígenas; depois os africanos, que logo se tornaram maioria, iniciando um intenso tráfico negreiro.
Entre 1550 e 1850, estima-se que chegaram 4 milhões de negros trazidos do continente africano. Para aprisioná-los os portugueses promoviam invasões, incentivavam lutas entre tribos rivais para depois negociar com os vendedores a troca pelos derrotados.
Os negros eram trazidos para América nos porões superlotados. Os maus-tratos, sujeira e má-alimentação matavam até metade dos escravos transportados.

No Brasil, eles eram vendidos, tornando propriedade do senhor e ficando sujeitos a punições. Os castigos mais comuns sofridos, eram: chicote, açoite e palmatória.


Ao chegar no Brasil, a resistência desses negros predominava. Uma das práticas adotadas era a fuga, além da queima de plantações, atentados a feitorias e a senhores e até mesmo a morte de recém-nascidos e suicídio.

Mas a forma mais expressiva foram os quilombos, comunidades autossuficientes formadas por escravos fugidos.


O papel dos escravos era o de servir como mão-de-obra para os senhores, fazendo tudo que fosse pedido, independente da condição e do tempo, sob pena dos castigos já citados.
Para responder essa pergunta devemos colocar em prática nosso conhecimento sobre História.
O início do trabalho escravo foi com a atividade açucareira nos engenhos de cana. Esse tipo de trabalho atravessou o período colonial e foi instinto em 1888.
Inicialmente foram escravizados apenas indígenas; depois os africanos, que logo se tornaram maioria, iniciando um intenso tráfico negreiro.
Entre 1550 e 1850, estima-se que chegaram 4 milhões de negros trazidos do continente africano. Para aprisioná-los os portugueses promoviam invasões, incentivavam lutas entre tribos rivais para depois negociar com os vendedores a troca pelos derrotados.
Os negros eram trazidos para América nos porões superlotados. Os maus-tratos, sujeira e má-alimentação matavam até metade dos escravos transportados.

No Brasil, eles eram vendidos, tornando propriedade do senhor e ficando sujeitos a punições. Os castigos mais comuns sofridos, eram: chicote, açoite e palmatória.


Ao chegar no Brasil, a resistência desses negros predominava. Uma das práticas adotadas era a fuga, além da queima de plantações, atentados a feitorias e a senhores e até mesmo a morte de recém-nascidos e suicídio.

Mas a forma mais expressiva foram os quilombos, comunidades autossuficientes formadas por escravos fugidos.


O papel dos escravos era o de servir como mão-de-obra para os senhores, fazendo tudo que fosse pedido, independente da condição e do tempo, sob pena dos castigos já citados.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas