A maior rede de estudos do Brasil

) A apreciação ergonômica é composta pela caracterização e posição serial do sistema e a modelagem comunicacional.

) A apreciação ergonômica é composta pela caracterização e posição serial do

sistema e a modelagem comunicacional. Descreva quais os itens que compõem

a caracterização e posição serial do sistema.

 


1 resposta(s)

User badge image

Claudia Silvestre

Há mais de um mês

Sistematização do SHTM Com base no enfoque sistêmico são elaboradas, nesta fase, modelagens do SHTM (modelo do sistema operando), para compreender melhor o sistema estudado, saber os subsistemas que o compõe suas características e objetivo. Para este enfoque, o termo objetivo é utilizado para referir-se ao que se almeja atingir com a execução ou projetação do sistema. Sistema é um conjunto de componentes (partes ou órgãos do sistema), dinamicamente inter-relacionados entre si em uma rede de comunicações (em decorrência da interação dos diversos componentes), formando uma atividade (comportamento ou processamento do sistema), para atingir um determinado objetivo (finalidade do sistema), agindo sobre sinais, energia e materiais (insumos ou entradas a serem processadas pelo sistema), para fornecer informação, energia ou produto (saídas do sistema). PROCESSAMENTO Dados Energia Materiais Informação Energia Produtos ENTRADA SAÍDA CONCEITO DE ENTRADA (input): Entrada é o que o sistema importa do meio ambiente para ser processado. Pode ser: Dados: permitem planejar e programar o comportamento do sistema; Energia de entrada: permitem movimentar e dinamizar o sistema; Materiais: são os recursos a serem utilizados pelo sistema para produzir a saída. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE SAÍDA (output): Saída é o resultado final do processamento de um sistema. Pode ser: Informação: são os dados tratados pelo sistema; Energia de saída: é a energia processada pelo sistema; Produtos: são os objetivos do sistema (bens, serviços, lucros, resíduos,...) FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA Abordagem sistêmica em ergonomia Posição Serial O sistema alvo situa-se numa posição serial e recebe entradas de um sistema que lhe é anterior – o sistema alimentador – e, por sua vez, produz saídas para um sistema que lhe é posterior – o sistema ulterior. As entradas são processadas pelo processo característico do sistema alvo. 11/59 “O que deve ter o sistema para funcionar?” META (Missão do sistema) “Para que serve o sistema?” SAÍDAS Resultados do processo realizado pelo sistema alvo (produtos, informações, serviços...) SISTEMA ALVO Sistema Homem-TarefaMáquina recortado SISTEMA ULTERIOR Sistema que recebe as saídas do sistema alvo REQUISITOS SISTEMA ALIMENTA DOR Sistema que fornece as entradas para o sistema alvo RESTRIÇÕES Coações fixas que dificultam a implementação dos requisitos ENTRADAS Elementos que serão processados pelo sistema (matérias primas, informações, pessoas...) AMBIENTE DO SISTEMA: Coações fixas no entorno do sistemas: culturais, sociais, políticas, econômicas que obstaculizam o atingimento da meta do sistema Caracterização e posição serial do sistema Resultados Despropositados Saídas Indesejadas: Resultados gerados pela falta de conformidade das entradas ou pelo não atingimento dos requisitos Aquilo que não estava previsto. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina Definições importantes para a modelagem do SHTM:  Meta do sistema: compreende o propósito, a missão principal, a função básica do sistema – o para que serve o sistema. É por onde se começa a análise do sistema em operação – do o que é o sistema. A meta define determinantes para o desempenho do sistema. Implica, portanto, requisitos e funções. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Requisitos do sistema: características que o sistema deve ter para que se atinjam as metas. Consistem em definições qualitativas e, sempre que possível, quantitativas. Os requisitos derivam da meta e estão em oposição aos problemas, já que são justamente os problemas que prejudicam o atingir da meta. A consecução dos requisitos implica o desempenho de determinadas funções. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Funções do sistema: a função é o objetivo de uma ação, implica na consecução de um requisito do sistema e é desempenhada por um subsistema ou componente. As funções implementam os requisitos. O ponto de partida para a determinação das funções do sistema é a análise dos requisitos do sistema. Deve-se sempre definir a função como um verbo (atuando sobre algo) e um substantivo (objeto sobre o qual o verbo atua). Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Componentes do sistema: são os responsáveis pelo desempenho das funções. O pensamento com relação aos componentes visa descobrir os componentes cujas medidas de rendimento são verdadeiramente relacionadas com a medida de rendimento do sistema global. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Restrições do sistema: influências do ambiente no sistema sobre as quais não se tem controle, ou nada pode ser feito para alterá-las e que afetarão o funcionamento, a obtenção e, consequentemente, os resultados do sistema. É possível que uma limitação imposta ou uma restrição atue por um certo tempo no desenvolvimento do sistema, mas, em algum momento, cesse de afetar o sistema, seja pelo seu desaparecimento ou mudança. A restrição funciona como um impeditivo à implementação das funções e, consequentemente, à consecução dos requisitos. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Entradas (recursos requeridos): entradas (recursos) são o conjunto de objetos fornecidos ao sistema para que sua existência seja preservada e seus objetivos sejam atingidos. Entradas ou insumos (inputs) compreende tudo o que ingressa no sistema para fazê-lo funcionar – caracterizam as forças que fornecem ao sistema o material, os dados, a informação e a energia para a operação ou processo. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Saídas (resultados esperados): correspondem aos resultados do processo de transformação das entradas. As entradas devidamente processadas e convertidas em resultados são exportadas de novo para o ambiente, na forma de informações, produtos, serviços ou novos comportamentos. As saídas devem apresentar coerência com a meta do sistema. Sistematização do SHTM Caracterização e Posição Serial SISTEMA ALVO Posto de Trabalho do Arrecadador de pedágio META Executar a tarifação, interagindo com os usuários da via SAÍDAS Veículos autorizados a seguir viagem SISTEMA ULTERIOR Rodovia SISTEMA ALIMENTADOR Rodovia ENTRADAS Veículos motorizados a passar usuário REQUISITOS Ambiente físico favorável Boas acomodações Comunicação Bobinas para reposição Numerário para troco Ritmo de trabalho adequado Manutenção constante Segurança Pessoal para substituição temporária no Posto Treinamento RESTRIÇÕES Arranjo espacial Condições ambientais Atual Política de RH e Saúde Ocupacional SAÍDAS INDESEJADAS Acidentes do Trabalho Doença Ocupacional Congestionamento AMBIENTE DO SISTEMA Praça do Pedágio Ordenação Hierárquica Posiciona o sistema alvo de acordo com sua continência ou inclusão em outros sistemas hierarquicamente superiores. Mais ainda: explicita os sistemas contidos no sistema alvo. Tem-se, portanto, a partir do sistema alvo, níveis hierárquicos superiores que são o supra sistema e o supra-supra-sistema, até o ecossistema, e níveis hierárquicos inferiores constituídos de subsistemas e subsubsistemas. ORDENAÇÃO HIERÁRQUICA DO SISTEMA ECOSSISTEMA SUPRA-SUPRA-SISTEMA SUPRA-SISTEMA SISTEMA ALVO Subsistema 1 Subsistema 2 Subsubsistema 1 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 3 Subsubsistema 2 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 4 Subsub subsistema 3 Subsubsistema 1 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 5 Subsub subsistema 4 Subsub subsistema 3 Subsub subsistema 4 ECOSSISTEMA: CONCESSIONÁRIA SUPRA-SUPRA-SISTEMA – PRAÇAS DE PEDÁGIO DA EMPRESA SUPRA-SISTEMA – PRAÇA DO PEDÁGIO KM 104,4 SISTEMA- ALVO – Posto de Trabalho do Arrecadador de Pedágio Subsistema 3: Apoios Sub-subsistema 1 Apoios do funcionário Cadeira Suporte para pés Sub-subsistema 2 Apoios do Equipamento Sub-sub-subsistema 2: Painel das leitoras Face externa Face interna Sinalizador sonoro alto Sinalizador sonoro baixo Leitora alta Leitora baixa Sub-sub-subsistema 1: Bancada Superfícies Gaveteiro Subsistema 1: Controle de numerário Gaveta móvel Tampa da gaveta Subsistema 2: Comunicações Interfone Alarme pedioso Subsistema 4: Controle de variáveis físicas Ar condicionado Lâmpadas da cabine Tubo Insuflador Subsistema 5: Processamento de informações Sub-subsistema 1: Processamento Informatizado CPU Monitor Teclado Impressora Leitora de cartões Sub-subsistema 2: Processamento Manual Planilha de controle de numerário Planilha de ocorrências na via Ordenação Hierárquica Modelagem Comunicacional- Funcionamento do sistema homem-máquina Lida basicamente com a transmissão de informação, compreendendo os subsistemas humanos de tomada de informação (sentidos humanos envolvidos), respostas humanas (através da palavra, gestos, postura e deslocamentos ) e componentes acionais. Modelagem Comunicacional- Funcionamento do sistema homem-máquina  A máquina emite informações para o homem através de dispositivos para tomada de decisões.  Informações: recebidas através de orgãos sensoriais: visão, audição, tato e as articulações do corpo(cinestesia).  Gerando as ações sobre as ativid . Marília de Carvalho Almeida/Acesso:md.claretiano.edu.br em 07/07/2019.

Sistematização do SHTM Com base no enfoque sistêmico são elaboradas, nesta fase, modelagens do SHTM (modelo do sistema operando), para compreender melhor o sistema estudado, saber os subsistemas que o compõe suas características e objetivo. Para este enfoque, o termo objetivo é utilizado para referir-se ao que se almeja atingir com a execução ou projetação do sistema. Sistema é um conjunto de componentes (partes ou órgãos do sistema), dinamicamente inter-relacionados entre si em uma rede de comunicações (em decorrência da interação dos diversos componentes), formando uma atividade (comportamento ou processamento do sistema), para atingir um determinado objetivo (finalidade do sistema), agindo sobre sinais, energia e materiais (insumos ou entradas a serem processadas pelo sistema), para fornecer informação, energia ou produto (saídas do sistema). PROCESSAMENTO Dados Energia Materiais Informação Energia Produtos ENTRADA SAÍDA CONCEITO DE ENTRADA (input): Entrada é o que o sistema importa do meio ambiente para ser processado. Pode ser: Dados: permitem planejar e programar o comportamento do sistema; Energia de entrada: permitem movimentar e dinamizar o sistema; Materiais: são os recursos a serem utilizados pelo sistema para produzir a saída. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE SAÍDA (output): Saída é o resultado final do processamento de um sistema. Pode ser: Informação: são os dados tratados pelo sistema; Energia de saída: é a energia processada pelo sistema; Produtos: são os objetivos do sistema (bens, serviços, lucros, resíduos,...) FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA Abordagem sistêmica em ergonomia Posição Serial O sistema alvo situa-se numa posição serial e recebe entradas de um sistema que lhe é anterior – o sistema alimentador – e, por sua vez, produz saídas para um sistema que lhe é posterior – o sistema ulterior. As entradas são processadas pelo processo característico do sistema alvo. 11/59 “O que deve ter o sistema para funcionar?” META (Missão do sistema) “Para que serve o sistema?” SAÍDAS Resultados do processo realizado pelo sistema alvo (produtos, informações, serviços...) SISTEMA ALVO Sistema Homem-TarefaMáquina recortado SISTEMA ULTERIOR Sistema que recebe as saídas do sistema alvo REQUISITOS SISTEMA ALIMENTA DOR Sistema que fornece as entradas para o sistema alvo RESTRIÇÕES Coações fixas que dificultam a implementação dos requisitos ENTRADAS Elementos que serão processados pelo sistema (matérias primas, informações, pessoas...) AMBIENTE DO SISTEMA: Coações fixas no entorno do sistemas: culturais, sociais, políticas, econômicas que obstaculizam o atingimento da meta do sistema Caracterização e posição serial do sistema Resultados Despropositados Saídas Indesejadas: Resultados gerados pela falta de conformidade das entradas ou pelo não atingimento dos requisitos Aquilo que não estava previsto. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina Definições importantes para a modelagem do SHTM:  Meta do sistema: compreende o propósito, a missão principal, a função básica do sistema – o para que serve o sistema. É por onde se começa a análise do sistema em operação – do o que é o sistema. A meta define determinantes para o desempenho do sistema. Implica, portanto, requisitos e funções. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Requisitos do sistema: características que o sistema deve ter para que se atinjam as metas. Consistem em definições qualitativas e, sempre que possível, quantitativas. Os requisitos derivam da meta e estão em oposição aos problemas, já que são justamente os problemas que prejudicam o atingir da meta. A consecução dos requisitos implica o desempenho de determinadas funções. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Funções do sistema: a função é o objetivo de uma ação, implica na consecução de um requisito do sistema e é desempenhada por um subsistema ou componente. As funções implementam os requisitos. O ponto de partida para a determinação das funções do sistema é a análise dos requisitos do sistema. Deve-se sempre definir a função como um verbo (atuando sobre algo) e um substantivo (objeto sobre o qual o verbo atua). Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Componentes do sistema: são os responsáveis pelo desempenho das funções. O pensamento com relação aos componentes visa descobrir os componentes cujas medidas de rendimento são verdadeiramente relacionadas com a medida de rendimento do sistema global. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Restrições do sistema: influências do ambiente no sistema sobre as quais não se tem controle, ou nada pode ser feito para alterá-las e que afetarão o funcionamento, a obtenção e, consequentemente, os resultados do sistema. É possível que uma limitação imposta ou uma restrição atue por um certo tempo no desenvolvimento do sistema, mas, em algum momento, cesse de afetar o sistema, seja pelo seu desaparecimento ou mudança. A restrição funciona como um impeditivo à implementação das funções e, consequentemente, à consecução dos requisitos. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Entradas (recursos requeridos): entradas (recursos) são o conjunto de objetos fornecidos ao sistema para que sua existência seja preservada e seus objetivos sejam atingidos. Entradas ou insumos (inputs) compreende tudo o que ingressa no sistema para fazê-lo funcionar – caracterizam as forças que fornecem ao sistema o material, os dados, a informação e a energia para a operação ou processo. Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema Homem-Máquina  Saídas (resultados esperados): correspondem aos resultados do processo de transformação das entradas. As entradas devidamente processadas e convertidas em resultados são exportadas de novo para o ambiente, na forma de informações, produtos, serviços ou novos comportamentos. As saídas devem apresentar coerência com a meta do sistema. Sistematização do SHTM Caracterização e Posição Serial SISTEMA ALVO Posto de Trabalho do Arrecadador de pedágio META Executar a tarifação, interagindo com os usuários da via SAÍDAS Veículos autorizados a seguir viagem SISTEMA ULTERIOR Rodovia SISTEMA ALIMENTADOR Rodovia ENTRADAS Veículos motorizados a passar usuário REQUISITOS Ambiente físico favorável Boas acomodações Comunicação Bobinas para reposição Numerário para troco Ritmo de trabalho adequado Manutenção constante Segurança Pessoal para substituição temporária no Posto Treinamento RESTRIÇÕES Arranjo espacial Condições ambientais Atual Política de RH e Saúde Ocupacional SAÍDAS INDESEJADAS Acidentes do Trabalho Doença Ocupacional Congestionamento AMBIENTE DO SISTEMA Praça do Pedágio Ordenação Hierárquica Posiciona o sistema alvo de acordo com sua continência ou inclusão em outros sistemas hierarquicamente superiores. Mais ainda: explicita os sistemas contidos no sistema alvo. Tem-se, portanto, a partir do sistema alvo, níveis hierárquicos superiores que são o supra sistema e o supra-supra-sistema, até o ecossistema, e níveis hierárquicos inferiores constituídos de subsistemas e subsubsistemas. ORDENAÇÃO HIERÁRQUICA DO SISTEMA ECOSSISTEMA SUPRA-SUPRA-SISTEMA SUPRA-SISTEMA SISTEMA ALVO Subsistema 1 Subsistema 2 Subsubsistema 1 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 3 Subsubsistema 2 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 4 Subsub subsistema 3 Subsubsistema 1 Subsub subsistema 1 Subsub subsistema 2 Subsub subsistema 5 Subsub subsistema 4 Subsub subsistema 3 Subsub subsistema 4 ECOSSISTEMA: CONCESSIONÁRIA SUPRA-SUPRA-SISTEMA – PRAÇAS DE PEDÁGIO DA EMPRESA SUPRA-SISTEMA – PRAÇA DO PEDÁGIO KM 104,4 SISTEMA- ALVO – Posto de Trabalho do Arrecadador de Pedágio Subsistema 3: Apoios Sub-subsistema 1 Apoios do funcionário Cadeira Suporte para pés Sub-subsistema 2 Apoios do Equipamento Sub-sub-subsistema 2: Painel das leitoras Face externa Face interna Sinalizador sonoro alto Sinalizador sonoro baixo Leitora alta Leitora baixa Sub-sub-subsistema 1: Bancada Superfícies Gaveteiro Subsistema 1: Controle de numerário Gaveta móvel Tampa da gaveta Subsistema 2: Comunicações Interfone Alarme pedioso Subsistema 4: Controle de variáveis físicas Ar condicionado Lâmpadas da cabine Tubo Insuflador Subsistema 5: Processamento de informações Sub-subsistema 1: Processamento Informatizado CPU Monitor Teclado Impressora Leitora de cartões Sub-subsistema 2: Processamento Manual Planilha de controle de numerário Planilha de ocorrências na via Ordenação Hierárquica Modelagem Comunicacional- Funcionamento do sistema homem-máquina Lida basicamente com a transmissão de informação, compreendendo os subsistemas humanos de tomada de informação (sentidos humanos envolvidos), respostas humanas (através da palavra, gestos, postura e deslocamentos ) e componentes acionais. Modelagem Comunicacional- Funcionamento do sistema homem-máquina  A máquina emite informações para o homem através de dispositivos para tomada de decisões.  Informações: recebidas através de orgãos sensoriais: visão, audição, tato e as articulações do corpo(cinestesia).  Gerando as ações sobre as ativid . Marília de Carvalho Almeida/Acesso:md.claretiano.edu.br em 07/07/2019.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes