A maior rede de estudos do Brasil

descreva regulaçao hormonal do sistema reprodutor masculino?


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os hormônios masculinos são: hormônio folículo estimulante e o hormônio luteinizante. Eles influenciam o desenvolvimento das gônadas e são produzidos pela hipófise.

O primeiro hormônio é também conhecido como hormônio estimulador das células intersticiais. Sua função é estimular a célula Leydig, responsável por liberar testosterona e desenvolvimento dos órgãos sexuais.

O testosterona também é responsável pelas características secundárias, ou físicas, como barba, desenvolvimento da musculatura, pelos em geral, produção de espermatozoide, etc..

Os hormônios são responsáveis por regular a produção de testosterona.

Os hormônios masculinos são: hormônio folículo estimulante e o hormônio luteinizante. Eles influenciam o desenvolvimento das gônadas e são produzidos pela hipófise.

O primeiro hormônio é também conhecido como hormônio estimulador das células intersticiais. Sua função é estimular a célula Leydig, responsável por liberar testosterona e desenvolvimento dos órgãos sexuais.

O testosterona também é responsável pelas características secundárias, ou físicas, como barba, desenvolvimento da musculatura, pelos em geral, produção de espermatozoide, etc..

Os hormônios são responsáveis por regular a produção de testosterona.

User badge image

Tales Junior

Há mais de um mês

Ainda durante o desenvolvimento embrionário, há produção de testosterona, a principal hormona masculina. Esta hormona é produzida pelas células de Leydig nos testículos por acção da hormona hipofisária lúteo-estimulina LH (hormona luteinizante , do inglês luteinizing hormone), responsável pelo desenvolvimento e diferenciação dos órgãos sexuais. A partir da puberdade, os níveis de testosterona aumentam, tendo como consequência o desenvolvimento dos órgãos sexuais primários (aumento do tamanho do pénis dos testículos, das vesículas seminais, da próstata e dos epidídimos) e dos caracteres sexuais secundários (aumento da pilosidade, mudança de voz, aumento da massa muscular e crescimento em geral) e início da espermatogénese.

A espermatogénese durará de forma ininterrupta o resto da vida e os níveis de testosterona no sangue são regulados pelo funcionamento do complexo hipotálamo-hipófise, num mecanismo de retroacção negativa (do inglês negative feedback). As hormonas gonadotrópicas, segregadas pela hipófise, regulam o funcionamento testicular, quer ao nível da espermatogénese quer da produção de testosterona. Destas hormonas destacam-se a folículo-estimulina, FSH (do inglês folicle-stimulating hormone) e a LH. O hipotálamo, por seu lado, produz as designadas hormonas de libertação, RH ou GnRH (do inglês releasing hormone ou gonadotropin-releasing hormone), que actuam na hipófise estimulando a produção da FSH e LH.

Este mecanismo de retroacção negativa (fig.1) é induzido quando a testosterona atinge concentrações elevadas no sangue, reduzindo ou inibindo a libertação de GnRH pelo hipotálamo, que por sua vez fará diminuir a produção, na hipófise, de LH e FSH. A redução dos níveis destas hormonas no sangue faz diminuir a secreção de testosterona, o que leva a um novo aumento de produção de GnRH. Nas células de Sertoli é produzida a inibina, que participa no controlo da produção hormonal do complexo hipotálamo-hipófise. Níveis elevados desta hormona inibem o funcionamento do hipotálamo, diminuindo a produção de GnRH e, consequentemente, a produção das hormonas hipofisárias, FSH e LH, reduzindo os níveis de testosterona no sangue. Os níveis hormonais no sangue são mantidos relativamente constantes através dos mecanismos de retroacção permitindo um funcionamento equilibrado do sistema reprodutor masculino.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas