A maior rede de estudos do Brasil

Como funciona a supercompensação?


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Acerca da supercompensação, é um fenômeno onde o corpo tenta se equilibrar, onde esse equilíbrio será chamado de homeostase, que o mesmo equilibra o a parte interna do organismo. De modo geral, quando se há a quebra da homeostase respectivamente irá ocasionar um processo de adaptação, que tem como base a supercompensação.

A supercompensação pode ser aplicada em práticas esportivas, não sendo apenas aplicada a musculação, ou seja, pode ter sua aplicação em qualquer atividade física ou algum esporte. Ela deve levar em conta alguns aspectos pois pessoas que treinam, os seus músculos por muitas vezes levam até dias para sua total recuperação. Então, para isso é recomendável que a pessoa tenha uma boa alimentação, tenha uma rotina diária de exercícios e um bom condicionamento físico.

Acerca da supercompensação, é um fenômeno onde o corpo tenta se equilibrar, onde esse equilíbrio será chamado de homeostase, que o mesmo equilibra o a parte interna do organismo. De modo geral, quando se há a quebra da homeostase respectivamente irá ocasionar um processo de adaptação, que tem como base a supercompensação.

A supercompensação pode ser aplicada em práticas esportivas, não sendo apenas aplicada a musculação, ou seja, pode ter sua aplicação em qualquer atividade física ou algum esporte. Ela deve levar em conta alguns aspectos pois pessoas que treinam, os seus músculos por muitas vezes levam até dias para sua total recuperação. Então, para isso é recomendável que a pessoa tenha uma boa alimentação, tenha uma rotina diária de exercícios e um bom condicionamento físico.

User badge image

Guilherme

Há mais de um mês

  A homeostasia define um estado de equilíbrio fisiológico de funcionamento do organismo humano. O processo de funcionamento dinâmico normal de um órgão ou sistema, bem como, sua interrelação funcional com os demais órgãos/sistemas corporais define o processo homeostático. Assim, podemos citar diversas variáveis fisiológicas que funcionam em equilíbrio homeostático, como: temperatura corporal (relativamente constante em situação de repouso sem doença), Pressão Arterial (PA) com valores referenciais de funcionamento (120-80 mmHg, aproximadamente em repouso sem fatores patológicos associados), Frequencia Cardíaca de Repouso (FCRep) com valores normais em valores em torno de 60 a 80 bpm, assim como funcionamento renal, metabolismo ósseo e tantos outros exemplos fisiológicos.

exercitação física quebra o estado homeostático de algumas variáveis fisiológicas como, por exemplo, uma corrida de 60 minutos a 10km/h eleva FC, PA, temperatura corporal e consome o glicogênio muscular, por exemplo, do grupo tríceps sural. Tal consumo de energia (glicogênio muscular) é uma quebra da homeostasia energética de glicose no músculo.

     Essa “quebra” da homeostasia é “entendida” pelo organismo como uma forma de agressão ao seu funcionamento fisiológico normal. Se estas “quebra homeostática” for repetida várias vezes de forma sistemática ao longo de um período de tempo de um a dois meses o organismo além de recuperar-se da “agressão sofrida” (perda de glicogênio muscular) irá se precaver de uma nova agressão. Este aumenta a taxa de glicogênio muscular como forma preventiva contra agressão que é denominada comumente em fisiologia como SUPERCOMPENSAÇÃO. Ou seja, além de recuperar as perdas sofridas (repõem glicogênio consumido durante a corrida), recupera-se além do que havia estocado anteriormente.

User badge image

Pedro

Há mais de um mês

Sistme de Supercompensação! 

você estimula seu corpo, através de um treino, gera um processo de exaustão e de quebra de homeostase. O corpo precisa recuperar tanto as vias energéticas, como as fibras musculares, tendões e outros elementos presentes no treino.

O corpo, após o treino, vai entrar em um processo bastante acelerado de regeneração. Afinal, ele quer, o mais rápido possível, regenerar o estado de homeostase. Dependendo da intensidade de seu treino, esta fase pode variar em termos de duração.

Porém, o corpo não apenas regenera tudo o que foi impactado pelo treino. Para que haja uma adaptação mais adequada, o corpo recupera as vias energéticas e outras estruturas, mas em um nível acima do que aquele que tínhamos antes do estímulo.

Desta maneira, se um novo estímulo for implementado, na fase em que o corpo atinge o “topo” da curva de supercompensação, teremos um desenvolvimento otimizado.

Na imagem, é possível ver na curva que precisamos de um estímulo aproximadamente, no ponto onde temos a parte mais alta da curva.

Se não houver um novo estímulo neste ponto, teremos uma involução, voltando ao ponto que estávamos antes do treino.

Ou seja, os treinos feitos neste ponto, não serviram para nada. Por isso, na periodização para musculação,  ou para qualquer outro esporte ou objetivo, precisamos tanto da continuidade.

Basicamente, estou resumindo em algumas poucas palavras, um processo altamente complexo e que tem influência de inúmeros fatores. Por exemplo, a supercompensação não terá o mesmo efeito, se tivermos uma alimentação adequada ou você não dormir o suficiente.

Além disso, não há formas muito fáceis e simples de sabermos quando é o ponto mais alto da curva de supercompensação. Aqui, o feeling do treinador é fundamental, além da continuidade e constância nos treinamentos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas