A maior rede de estudos do Brasil

ORIGEM HISTORICA DA PSICOLOGIA JURIDICA - PHILIPPE PINEL

A origem histórica da psicologia jurídica está atrelada à medicina, mais especificamente, à psiquiatria, em relação aos estudos para se conseguir entender a mente humana, em particular, a do doente mental e do criminoso comum. Para alcançar esses entendimentos, surgiram várias teorias, terapêuticas e vários teóricos. Muitas dessas teorias ajudaram a medicina moderna e outras trouxeram um olhar estigmatizante e preconceituoso para o tema.

Segundo Pinheiro (2013), o médico francês Philippe Pinel inspirou a psicologia clínica e a psicopatologia, pelo fato de lidarem com o mesmo objeto de estudo. Esse médico tornou-se notável devido as suas lutas dentro desse campo.

PINHEIRO, C. Psicologia jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

 

A partir do exposto, comente os principais passos de Pinel e qual era o intuito dessa luta.


3 resposta(s)

User badge image

Henrique Godoy

Há mais de um mês

Com base nisso, Pinel baniu tratamentos antigos, tais como sangrias, vômitos induzidos, purgações e ventosas, substituindo-as por tratamento digno e respeitoso, que inclui terapias ocupacionais. Dentro dessa linha, foi um dos primeiros a libertar os pacientes dos manicômios e das correntes, propiciando-lhes liberdade de momentos por si só terapêutica.

Com base nisso, Pinel baniu tratamentos antigos, tais como sangrias, vômitos induzidos, purgações e ventosas, substituindo-as por tratamento digno e respeitoso, que inclui terapias ocupacionais. Dentro dessa linha, foi um dos primeiros a libertar os pacientes dos manicômios e das correntes, propiciando-lhes liberdade de momentos por si só terapêutica.

User badge image

Marco Antonio Ruibal

Há mais de um mês

Philippe Pinel nasceu em 1745 e faleceu em 1826, na França. Filho de médico formou-se em medicina em 1773. Em 1792 Pinel tornou-se o médico chefe do asilo para homens Bicetrê, em Paris, onde desenvolveu uma nova forma de tratamento aos pacientes, que muitos autores atualmente consideram como a primeira reforma da psiquiatria.

Uma das principais atitudes que Pinel teve foi separar os doentes mentais dos demais marginalizados, isolando estes doentes para realizar o tratamento.

Isso demonstrou que havia diferença entre doente e não doente, diferente do que se podia pensar antes, quando todos enclausurados tinham os mesmos adjetivos e eram aglomerados no mesmo espaço.

Na época os doentes além de confinados eram também acorrentados como precaução contra fugas e agressões. Pinel os libertou das correntes para que eles experimentassem a liberdade de poder caminhar naquele pequeno espaço da sela. Outra ação pioneira deste médico foi durante as crises de agitação e violência utilizarem apenas a camisa-de-força. Além da utilização deste recurso, rotineiramente eram utilizadas também as correntes e imobilizações.

Pinel estava à frente de sua época. Apesar destas formas de tratamento parecer absurdas e violentas para os dias de hoje, para o século XVIII eram consideradas como “avançadas”. E Pinel buscava uma nova forma de tratamento que não maltratasse tanto o paciente.

A ideia inicial de Pinel sobre o isolamento do doente mental pode ser considerada como razoável, pois separou os doentes dos demais e ofereceu tratamento, que para a época foi satisfatório.

O problema do isolamento iniciou-se a partir do longo período de tempo que o doente passava internado, afastado da família e da sociedade. Este fato desencadeou um processo de exclusão e estigmatização do doente mental, ou mais popularmente, do louco.

O número de marginalizados também foi aumentando com o passar dos anos, o que causava uma superlotação naqueles depósitos.

Esquirol nasceu em 1772 e faleceu em 1840.

Conheceu Pinel em 1799, em Paris. E também foi um dos atuantes reformadores das instituições psiquiátricas da época.

Fundou o primeiro curso para tratamento das enfermidades mentais.

Lutou pela aprovação da primeira Lei de Alienados na França.

Em 1827 adquiriu uma grande propriedade onde criou uma casa de saúde para os alienados, nas condições que ele julgava adequadas e necessárias.

O trabalho de Esquirol teve grande influência na criação do Hospício de Alienados Pedro II, no Brasil.

User badge image

diodines caue rodrigues de souza

Há mais de um mês

 A psicologia jurídica busca explicar o indivíduo e como seu comportamento está ligado a situações externas, sendo essas o gatilho que agrega o auxílio as questões da saúde mental de todos os envolvidos em um processo, desde a vítima até os suspeitos enquanto a psicologia do desenvolvimento auxilia na formação autônoma do aluno.

Além disso, a psicologia jurídica não se limita apenas ao campo do tribunal, abrange também os fóruns e dos cartórios, sendo o psicólogo forense uma peça importante para a avaliação clínica e assistência na justiça criminal.


Essa pergunta já foi respondida!