A maior rede de estudos do Brasil

Cite os equipamentos de medição ambiental para monitoramento do agente de risco: Ruído e Radiação não ionizantes.


3 resposta(s)

User badge image

Mariano De

Há mais de um mês

Decibelímetro - faz leitura imediata dos níveis de ruído.

Dosímetro - realiza a medição do ruido com calculos automáticos

 

Decibelímetro - faz leitura imediata dos níveis de ruído.

Dosímetro - realiza a medição do ruido com calculos automáticos

 

User badge image

Raphael Garcia

Há mais de um mês

As radiações não ionizante como agente físico insalubre, destacado na NR-15 anexo VII:

 

1. Para os efeitos desta norma, são radiações não-ionizantes as microondas, ultravioletas e laser.

 

2. As operações ou atividades que exponham os trabalhadores às radiações não-ionizantes, sem a proteção adequada, serão consideradas insalubres, em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.

 

3. As atividades ou operações que exponham os trabalhadores às radiações da luz negra (ultravioleta na faixa => 400-320 nanômetros, UVA) não serão consideradas insalubres.

 

 

 

NOTA: As radiações ultravioleta são classificadas em UVA (400 – 315 nm), UVB (315 – 280 nm) e UVC (280 – 100 nm). A radiação UVB, apesar de grande parte ser absorvida pela atmosfera, é a mais prejudicial à saúde humana.

 

Na luz visível a variedade de comprimentos de onda em que a radiação é visível não tem fronteiras nítidas. A banda de comprimento de onda vai de 380 nm a 780 nm. Há uma sobreposição com a faixa de comprimento de onda UV que se estende até 400 nm e na faixa superior com raios infravermelhos.

 

 

 

As medições de radiações ópticas é uma necessidade para o reconhecimento de risco nos processos de inspeções no ambiente de trabalho. No item 2 do anexo VII da NR 15, quando destacado a necessidade de laudo técnico com a análise das proteções e medidas de controle adequadas; deixa claro a necessidade de medições desse agente físico.

 

Não há como a partir de meras observações e interpretações subjetivamente avaliar se os colaboradores próximos as fontes de radiações ópticas estão expostos acima dos limites insalubres ou se as medidas de controle são adequadas. Pode-se atualmente considerar uma imperícia e um risco profissional, pois hoje existem diversas normas e critério de avaliação internacionais, além de equipamentos adequados que atenderem adequadamente a todas as faixas de radiações ópticas.

 

A gravidade com relação a esse agente físico é a falta de conhecimento. Conforme normas técnicas as radiações ópticas seguem os mesmos critério dos valores tetos de emissões, isto é, quando pode haver o dano na exposição do dia; dependendo das faixa das emissões e intensidade. Assim como em outras faixas também como nos outros agentes de riscos, leva-se em consideração uma média ponderada no tempo, o TWA, que considera um valor diário médio a partir de exposições contínuas e habituais durante a semana; normalizando os limites de exposição para 8 horas diárias.

 

Nesse contexto da proteção do trabalhador, o INSS também destaca diversas doenças relacionadas com as radiações ópticas, considerando a necessidade de avaliações quantitativas para estabelecer o nexo causal com a atividade especial, dando o ensejo a aposentadoria especial. Um direito do trabalhador.

 

User badge image

Luciano Projetista

Há mais de um mês

Eu tenho esse material e so me seguir e salvar no meu perfil nas listas

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes