A maior rede de estudos do Brasil

qual as fases da meiose

Genética I

UNINASSAU FORTALEZA


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Meiose 1:

Profase 1: É dividida em diferentes fases

Leptoteno: O primeiro estágio do Profase I é o estágio do leptoteno, durante o qual os cromossomos individuais começam a condensar-se em longos filamentos dentro do núcleo.

Zigoteno ou zigonema: Os cromossomos homólogos começam a se aproximar até serem recombinados por todo o seu comprimento.

Paquiteno: Uma vez que os cromossomas homólogos são perfeitamente compatíveis em estruturas que são denominados fenómeno ocorre bivalente cruzamento cromossómico (crossing-over), na qual os cromatídeos homólogas irmãs não troca de material genético.

Diplotene: Os cromossomos continuam a condensar até que você possa começar a observar as duas cromátides de cada cromossomo.

Diaquinese: Os cromossomos e quiasmas um pouco mais condensados. O fim da diacinese e, portanto, da prófase meiótica I é marcado pela ruptura do envelope nuclear.

Metáfase 1: O fuso acromático parece totalmente desenvolvido, os cromossomos estão localizados no plano equatorial e conectam seus centrômeros aos filamentos do fuso.

Anáfase 1: Nessa fase ocorre a separação dos cromossomos com a ajuda do fuso acromático.

Telófase 1: Agora, cada célula filha possui metade do número de cromossomos, mas cada cromossomo consiste em um par de cromátides. Os microtúbulos que compõem a rede mitótica do fuso desaparecem, e um novo envelope nuclear envolve cada sistema haplóide.

Meiose 2: A meiose II é semelhante à mitose. As cromátides de cada cromossomo não são mais idênticas devido à recombinação. A meiose II separa as cromátides produzindo duas células filhas, cada uma com cromossomos (haploides), e cada cromossomo possui apenas uma cromátide.

Meiose 1:

Profase 1: É dividida em diferentes fases

Leptoteno: O primeiro estágio do Profase I é o estágio do leptoteno, durante o qual os cromossomos individuais começam a condensar-se em longos filamentos dentro do núcleo.

Zigoteno ou zigonema: Os cromossomos homólogos começam a se aproximar até serem recombinados por todo o seu comprimento.

Paquiteno: Uma vez que os cromossomas homólogos são perfeitamente compatíveis em estruturas que são denominados fenómeno ocorre bivalente cruzamento cromossómico (crossing-over), na qual os cromatídeos homólogas irmãs não troca de material genético.

Diplotene: Os cromossomos continuam a condensar até que você possa começar a observar as duas cromátides de cada cromossomo.

Diaquinese: Os cromossomos e quiasmas um pouco mais condensados. O fim da diacinese e, portanto, da prófase meiótica I é marcado pela ruptura do envelope nuclear.

Metáfase 1: O fuso acromático parece totalmente desenvolvido, os cromossomos estão localizados no plano equatorial e conectam seus centrômeros aos filamentos do fuso.

Anáfase 1: Nessa fase ocorre a separação dos cromossomos com a ajuda do fuso acromático.

Telófase 1: Agora, cada célula filha possui metade do número de cromossomos, mas cada cromossomo consiste em um par de cromátides. Os microtúbulos que compõem a rede mitótica do fuso desaparecem, e um novo envelope nuclear envolve cada sistema haplóide.

Meiose 2: A meiose II é semelhante à mitose. As cromátides de cada cromossomo não são mais idênticas devido à recombinação. A meiose II separa as cromátides produzindo duas células filhas, cada uma com cromossomos (haploides), e cada cromossomo possui apenas uma cromátide.

User badge image

Diogo Ribeiro

Há mais de um mês

Profase
Metáfase
Anáfase
Telófase
Profase
Metáfase
Anáfase
Telofase

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas