A maior rede de estudos do Brasil

Um ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) é suficiente para respaldar a empresa em caso de ação trabalhista por doença adquirida por função ocupacional?


2 resposta(s)

User badge image

Larissa Zanelatto

Há mais de um mês

O Atestado de Saúde Ocupacional é uma garantia de que o trabalhador estará apto para realizar suas funções, sem limitações físicas. O atestado ambém é responsável por revelar os riscos de exercer uma função. Desta maneira, o atestado garante a saúde e bem estar do colaborador. 

Contudo, em caso de desenvolvimento de doença decorrente da função, mesmo mediante ASO que garante a disponibilidade e possibilidade do colaborador trabalhar no meio em que o faz, a empresa não teria vantagem e não seria eximida da obrigação de indenizar o colaborador. Além disso, o ASO tem validade de um ano, portanto, não é garantido que o trabalhador será isentado da possibilidade de desenvolver a doença após o período de validade do atestado. 

O colaborador seria submetido a um perito do INSS ou de uma outra instituição da previdência social para verificar se a doença foi desenvolvida por conta da função que exerce, independente do atestado alegar que ele é apto para executá-la. Se não houver perito do INSS ou de outra previdência social, poderá submeter-se a médico do SESC, SESI, médico indicado pela empresa, médico do SUS ou um particular de preferência do tralhador. 

Observe o dispositivo legal da lei 2.761/1954. 

"§ 2º A doença será comprovada mediante atestado de médico da instituição da previdência social a que estiver filiado o empregado, e, na falta dêste e sucessivamente, de médico do Serviço Social do Comércio ou da Indústria; de médico da emprêsa ou por ela designado; de médico a serviço de representação federal, estadual ou municipal incumbido de assuntos de higiene ou de saúde pública; ou não existindo êstes, na localidade em que trabalhar, de médico de sua escolha."

O Atestado de Saúde Ocupacional é uma garantia de que o trabalhador estará apto para realizar suas funções, sem limitações físicas. O atestado ambém é responsável por revelar os riscos de exercer uma função. Desta maneira, o atestado garante a saúde e bem estar do colaborador. 

Contudo, em caso de desenvolvimento de doença decorrente da função, mesmo mediante ASO que garante a disponibilidade e possibilidade do colaborador trabalhar no meio em que o faz, a empresa não teria vantagem e não seria eximida da obrigação de indenizar o colaborador. Além disso, o ASO tem validade de um ano, portanto, não é garantido que o trabalhador será isentado da possibilidade de desenvolver a doença após o período de validade do atestado. 

O colaborador seria submetido a um perito do INSS ou de uma outra instituição da previdência social para verificar se a doença foi desenvolvida por conta da função que exerce, independente do atestado alegar que ele é apto para executá-la. Se não houver perito do INSS ou de outra previdência social, poderá submeter-se a médico do SESC, SESI, médico indicado pela empresa, médico do SUS ou um particular de preferência do tralhador. 

Observe o dispositivo legal da lei 2.761/1954. 

"§ 2º A doença será comprovada mediante atestado de médico da instituição da previdência social a que estiver filiado o empregado, e, na falta dêste e sucessivamente, de médico do Serviço Social do Comércio ou da Indústria; de médico da emprêsa ou por ela designado; de médico a serviço de representação federal, estadual ou municipal incumbido de assuntos de higiene ou de saúde pública; ou não existindo êstes, na localidade em que trabalhar, de médico de sua escolha."

User badge image

Thais Cardoso

Há mais de um mês

Não, somente o ASO não é suficiente. São necessários outros documentos comprobatórios, como laudos médicos, exames, etc

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes