A maior rede de estudos do Brasil

qual a contraindicação para o uso da prancha ortostática

Cinesioterapia

FACERES


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Nos tratamentos fisioterápicos é muito comum a utilização de equipamentos especiais como, por exemplo, as pranchas ortostáticas.

Este equipamento consiste de uma maca com controle de elevação que consegue prender o corpo do paciente. A sua função é prevenir a fraqueza muscular e recuperar a capacidade de locomoção de pacientes. Porém, caso o paciente tenha ou esteja sofrendo de instabilidade hemodinâmica, lesão medular na fase aguda, choque séptico, fraturas bilaterais dos membros inferiores, monitorização de pressão intracraniana ou grandes queimaduras, o uso da prancha é contraindicado.

Portanto, as contraindicações do uso da prancha ortostática são em casos de instabilidade hemodinâmica, lesão medular na fase aguda, choque séptico, fraturas bilaterais dos membros inferiores, monitorização de pressão intracraniana e grandes queimaduras.

Nos tratamentos fisioterápicos é muito comum a utilização de equipamentos especiais como, por exemplo, as pranchas ortostáticas.

Este equipamento consiste de uma maca com controle de elevação que consegue prender o corpo do paciente. A sua função é prevenir a fraqueza muscular e recuperar a capacidade de locomoção de pacientes. Porém, caso o paciente tenha ou esteja sofrendo de instabilidade hemodinâmica, lesão medular na fase aguda, choque séptico, fraturas bilaterais dos membros inferiores, monitorização de pressão intracraniana ou grandes queimaduras, o uso da prancha é contraindicado.

Portanto, as contraindicações do uso da prancha ortostática são em casos de instabilidade hemodinâmica, lesão medular na fase aguda, choque séptico, fraturas bilaterais dos membros inferiores, monitorização de pressão intracraniana e grandes queimaduras.

User badge image

Anna Souza

Há mais de um mês

As contraindicações para o uso da prancha são: Instabilidade Hemodinâmica, Lesão Medular (fase aguda), Choque Séptico, Fraturas Bilaterais de MMII, Monitorização de Pressão intracraniana (relativo), Grandes Queimados (relativo). As sessões não devem ser realizadas mais de uma vez ao dia. Já o número de sessões semanais pode variar de 01 a 05 vezes por semana, dependendo da tolerância do paciente e do objetivo no tratamento

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas