sem duvidas, apenas divididos materiais..

  • Pergunta 1

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Leia o excerto a seguir.

“Um dos mais fascinantes mistérios da Pré-história é o surgimento do ser humano. Até 1859, apenas livros religiosos, como a Bíblia, davam resposta a esse enigma, naturalmente em sua linguagem simbólica. Nesse ano, o naturalista inglês Charles Darwin publicou seu livro ‘A origem das espécies’, apresentando evidências de que as espécies animais são capazes de modificações gradativas, ou de evolução, através do tempo, de modo que novas espécies possam surgir”.

(UOL EDUCAÇÃO. Pré-história: o surgimento do ser humano e os períodos pré-históricos. Pedagogia & Educação, 16 fev. 2015, p. 3. Disponível em: <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/pre-historia-2-o-surgimento-do-ser-humano-e-os-periodos-pre-historicos.htm>. Acesso em: 19/02/2018.)

Considerando o excerto lido e os estudos no texto-base da disciplina, é correto afirmar que os primeiros Homo sapiens surgiram em qual continente?

     

Resposta Selecionada:

a. 

África.

Resposta Correta:

a. 

África.


 

 

Feedback da resposta:

O surgimento da locomoção bípede-vertical adaptada exclusivamente ao meio terrestre ocorreu por volta de 2,5 milhões de anos apenas, mais ou menos coincidente com o surgimento do gênero Homo na África. O Homo sapiens surgiu neste mesmo continente há cerca de 200 mil anos.

     
  • Pergunta 2

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Leia o excerto a seguir.

“Todo racismo, inclusive o culturalismo racista dominante no mundo inteiro, precisa escravizar o oprimido no seu espírito e não apenas no seu corpo. Colonizar o espírito e as ideias de alguém é o primeiro passo para controlar seu corpo e seu bolso. De nada adianta americanos e europeus proclamarem suas supostas virtudes inatas, se africanos, asiáticos e latino-americanos não se convencerem disso. Do mesmo modo, de nada adianta nossa elite do dinheiro construir uma concepção de país e de nação para viabilizar seus interesses venais se a classe média e a população como um todo não for convencida disso”.

(SOUZA, J. A elite do atraso. Rio de Janeiro: Leya, 2017, p. 24.)

Considerando a leitura do excerto e os conteúdos abordados no texto-base sobre a noção de colonização, analise as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.

I. São muitos os impactos da colonização para a sociedade brasileira, um deles é ainda o fato de perpetuar papéis sociais fundados na escravidão.

PORQUE

II. Um dos sentidos de colonização está relacionado à introjeção de marcadores construídos pela lógica eurocêntrica, a qual impõe a outras etnias – que não a branca europeia – uma condição de inferiorização e invisibilidade. Essa inculcação ocorre ao longo dos séculos de colonização e, além disso, contamina a elite brasileira, assim como os intelectuais e a população em geral.

A seguir, assinale a alternativa correta:

     

Resposta Selecionada:

b. 

As asserções I e II são verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.

Resposta Correta:

b. 

As asserções I e II são verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.


 

 

Feedback da resposta:

As duas asserções estão corretas. Os impactos da colonização no Brasil estão no nosso cotidiano, sobretudo, os valores sociais advindos da escravidão.

     
  • Pergunta 3

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Ao entrarmos em contato com povos diferentes e observarmos suas culturas, poderemos dizer que:


I. Um povo é inculto porque não recebe os valores culturais que caracterizam uma civilização em estágio de evolução mais avançado;

II. O conceito de cultura não admite a utilização do termo como desvalorização dos diferentes conhecimentos humanos;

III. A palavra "cultura" às vezes é utilizada para indicar a quantidade de conhecimentos adquiridos por um indivíduo por meio da educação;

IV. Todas as sociedades humanas possuem cultura, sejam simples ou complexas.Assinale a alternativa correta:


 


 

     

Resposta Selecionada:

a. 

Apenas as alternativas II, III e IV são verdadeiras.

Resposta Correta:

a. 

Apenas as alternativas II, III e IV são verdadeiras.

 

Feedback da resposta:

Apenas as alternativas II, III e IV são verdadeiras.

A seguinte assertiva está errada: " Um povo é inculto porque não recebe os valores culturais que caracterizam uma civilização em estágio de evolução mais avançado".Para a Antropologia, as múltiplas dimensões culturais da humanidade devem ser estudadas, analisadas e, sobretudo, respeitadas dentro de suas especificidades. Não existe, portanto, um plano de categorização de culturas, que estabeleça hierarquias entre elas.

     
  • Pergunta 4

0,25 em 0,25 pontos

   
 

“Eu não sou racista, mas....” ou “Eu tenho até um amigo negro, a questão não é essa” são duas falas ainda bastante comuns. Em realidade, elas escondem o preconceito racial latente na sociedade brasileira, a que chamamos, comumente, de “racismo à brasileira”.

De que maneira podemos definir o termo “racismo à brasileira”?

     

Resposta Selecionada:

e. 

“Racismo à brasileira” é um termo utilizado para falar do racismo como ele aparece no Brasil: um racismo velado que aparece por trás do discurso de que não somos racistas, porque somos um povo só, misturado e harmonioso.

Resposta Correta:

e. 

“Racismo à brasileira” é um termo utilizado para falar do racismo como ele aparece no Brasil: um racismo velado que aparece por trás do discurso de que não somos racistas, porque somos um povo só, misturado e harmonioso.

 

Feedback da resposta:

Racismo à brasileira é o termo utilizado para descrever o tipo de racismo que acontece no Brasil. Trata-se de um racismo velado, que se manifesta acima do discurso oficial, de que somos um país harmonioso para todas as raças e cores, misturados e capazes de oportunidades iguais.

     
  • Pergunta 5

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Faz-se urgente a discussão sobre a necessidade de ações afirmativas na educação contra atos racistas, uma vez que a III Conferência Mundial Contra o Racismo, organizada pela ONU, impôs que o Brasil reconhecesse a existência deste preconceito no país.

Sobre a atuação do movimento negro no Brasil, analise as afirmativas a seguir.

I. O conceito de raça, construído negativamente para marginalizar e diminuir a população indígena e negra, é retomado pelo movimento negro. Por meio de experiências e práticas históricas, são atribuídos outros sentidos ao conceito.

II. O movimento negro no Brasil busca ressignificar e politizar a ideia de raça, sendo encarada como fator emancipador e não conservador, demonstrando sua importância para a construção de identidades étnico-raciais.

III. A noção de raça passa a ser um instrumento de reivindicação para melhorias – principalmente na educação – e não um estorvo para a igualdade de direitos. É preciso o reconhecimento na diferença para que todos sejam tratados com igualdade de direitos.

IV. O movimento negro vem reivindicando direitos na última década e se utilizando do mito da democracia racial, tão arraigado em nossa sociedade.

Está correto apenas o que se afirma em:              

     

Resposta Selecionada:

b. 

I, II e III.

Resposta Correta:

b. 

I, II e III.


 

 

Feedback da resposta:

O movimento negro tem sido responsável pela reconstrução de identidades, por discussões e questionamentos, ressignificando e politizando conceitos sobre ele próprio e sobre a sociedade a que pertence.

     
  • Pergunta 6

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Leia o excerto a seguir.

“Como se deu a construção do paradigma racista/culturalista entre nós [brasileiros]? Como é possível que alguns de nossos indivíduos mais inteligentes tenham construído concepções de mundo que nos humilham, nos rebaixam e nos animalizam?”.

A formação que busca a descolonização do currículo escolar passa a entender o Brasil, inclusive, a partir de intelectuais brasileiros. Porém, como nos alerta Jessé Souza (2017), boa parte dos nossos intelectuais também ajudaram a solidificar uma visão culturalista do povo brasileiro, que passa a ser tratado como inferior.

(SOUZA, J. A elite do atraso. Rio de Janeiro: Leya, 2017, p. 23.)

Considerando as informações apresentadas e o conteúdo estudado no texto-base, qual é o termo amplamente utilizado na antropologia para qualificar a visão de uma pessoa (ou grupo) que se julga superior e utiliza critérios culturais para essa classificação?

     

Resposta Selecionada:

b. 

Etnocentrismo.

Resposta Correta:

b. 

Etnocentrismo.


 

 

Feedback da resposta:

Etnocentrismo consiste em um conceito antropológico referente a um indivíduo, ou grupo social, que discrimina outras pessoas por não possuírem os mesmos hábitos, pela diferença na vestimenta ou pelas diferentes especificidades culturais.

     
  • Pergunta 7

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Edward Blyden foi o primeiro filósofo africano a defender a urgência na mudança de ensino no continente porque ele entendia que a educação africana era baseada em modelos europeus, o que incentivava o mimetismo servil e, não, as identidades locais. Já Léopold Sédar Senghor, foi um outro filósofo, de origem africana, que destacou a questão da negritude como uma proposta afirmativa de que o negro é tão ser humano quanto qualquer outro e que, portanto, sua identidade tem que ser resgatada.

Tanto Blyden quanto Senghor estão discutindo diretamente com um dos conceitos mais complexos para o tema das diversidades e identidades étnico-raciais. De que conceito estamos falando?

     

Resposta Selecionada:

a. 

Do conceito de colonização, em seu sentido mais amplo; não apenas econômico e político, mas também (e principalmente) ideológico e como chave de leitura.

Resposta Correta:

a. 

Do conceito de colonização, em seu sentido mais amplo; não apenas econômico e político, mas também (e principalmente) ideológico e como chave de leitura.

 

Feedback da resposta:

Quando Blyden fala sobre a necessidade de repensar o currículo das escolas africanas a partir de sua realidade e quando Senghor coloca no centro do debate a questão da negritude, eles estão falando sobre tornar as etnias africanas protagonistas de suas discussões, ou seja, descolonizaram-se dos saberes trazidos por europeus durante o período de colonização.

     
  • Pergunta 8

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Por que quando falamos da chegada dos portugueses e espanhóis à América, podemos falar em invasão e não apenas colonização?

 

     

Resposta Selecionada:

b. 

Porque entender que eles vieram civilizar aos bárbaros que aqui viviam, é pensar de forma eurocêntrica e desconsiderar o fato de que os nativos eram os legítimos donos da terra, embora não necessariamente trabalhassem com a categoria de posse privada.

Resposta Correta:

b. 

Porque entender que eles vieram civilizar aos bárbaros que aqui viviam, é pensar de forma eurocêntrica e desconsiderar o fato de que os nativos eram os legítimos donos da terra, embora não necessariamente trabalhassem com a categoria de posse privada.

 

Feedback da resposta:

As ciências foram, por muito tempo, europocêntricas, ou seja, centrada na Europa. Então, elas compraram o discurso que pensava na vinda dos europeus para a América como uma aventura de colonização. Com o tempo, contudo, algumas delas, como a Antropologia, passou a criticar esse discurso, apontando para o fato de que as diferentes nações indígenas que aqui habitavam eram, de fato, legítimas donas das terras (as terras lhes pertenciam por direito de ocupação) e que, portanto, estavam sendo invadidas e dominadas.

     
  • Pergunta 9

0,25 em 0,25 pontos

   
 

A filosofia ocidental foi utilizada durante séculos como meio de colonização, para justificar a dominação, as injustiças e a barbárie. Os povos colonizados eram considerados inferiores.

Sobre essa realidade, observe as seguintes afirmações:

I. Somente os humanos do Ocidente (os brancos) eram dotados de razão.

II. O não branco (índios e negros) é considerado como força de trabalho, mas desprovido de inteligência.

III. A filosofia africana tem como preocupações a identidade do africano, a supremacia do branco, a desconstrução dos mitos eurocêntricos.

IV. A inferioridade dos povos colonizados contava com o suporte da filosofia imperialista da época.

V. Os africanos não podem formular correntes de pensamentos que provoquem mudanças.

Quais dos argumentos acima demonstram o “olhar” superior do europeu sobre os africanos, responsável pela construção de um discurso racista que se manifesta até os dias de hoje em nossas sociedades?

     

Resposta Selecionada:

e. 

I, II, IV e V.

Resposta Correta:

e. 

I, II, IV e V.


 

 

Feedback da resposta:

A filosofia africana (conjunto de textos escritos por africanos e considerados filosóficos pelos seus autores) destaca a essência da afrocentricidade, uma teoria que determina que os africanos precisam ver o mundo sob uma perspectiva própria e colocar os seus ideais em primeiro plano na hora de analisar sua cultura, considerando o meio onde esta cultura é produzida. Nesse sentido, só a assertiva III não reforça o olhar de superioridade do europeu sobre os africanos e não faz parte da construção do discurso racista.

     
  • Pergunta 10

0,25 em 0,25 pontos

   
 

Leia o texto a seguir.

“Fragmentada em pequenos grupos, fragilizada pela ausência de algum tipo de organização ampla, tendo que carregar o peso do preconceito racial que se transfere do negro para a cultura negra, a religião dos orixás tem poucas chances de se sair melhor na competição — desigual — com outras religiões. Silenciosamente, assistimos hoje a um verdadeiro massacre das religiões afro-brasileiras. Sem um projeto novo de expansão e de reorientação num quadro religioso que se tornou extremamente complexo e competitivo, a umbanda talvez tenha menos recursos que o candomblé para enfrentar a nova conjuntura. Os dados dos censos mostram que é da umbanda que vem o encolhimento demográfico do segmento religioso afro-brasileiro, e o vigor do novo candomblé não tem sido suficiente para compensar as perdas”.


PRANDI, R. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, p. 223-238, set./dez. 2004, p. 231. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000300015>. Acesso em: 18/04/2018.


O texto trata de um tipo específico de preconceito. O preconceito, como sabemos, diz respeito a noções pré-estabelecidas que temos em relação a determinado grupo ou modo de viver, o que causa repercussões negativas em nossa sociedade: violação de direitos, males psicológicos, desigualdades sociais, manifestações de violência, entre tantas outras.


Tendo em vista as diferentes formas que adquirem no âmbito social, essas ideias e comportamentos de teor etnocêntrico acabam assumindo diferentes designações. A partir disso, relacione as colunas a seguir.

1. Intolerância religiosa

2. Desigualdade de gênero

3. Discriminação

4. Preconceito racial


(   ) Concepções pré-estabelecidas de que uma raça ou etnia seja pior ou possua incapacidades inatas em relação a determinado campo, como o cognitivo ou intelectual.

(   ) Maneira como os preconceitos podem ser manifestados, o tratamento diferenciado que é despendido à vítima deste mal. Transgride os direitos de certa pessoa de maneira infundada ou com base em uma ideia acrítica em relação a ela.

(   ) Falta de respeito à crença alheia e que pode ser manifestada por meio de depredações e violências físicas e simbólicas.

(   ) Desequilíbrio social no que tange ao tratamento e ao acesso a oportunidades entre homens e mulheres. Problemática que, até hoje, apresenta-se de maneira profunda na realidade brasileira.

Agora, assinale a sequência correta.


 

     

Resposta Selecionada:

c. 

4, 3, 1, 2.

Resposta Correta:

c. 

4, 3, 1, 2.

 

Feedback da resposta:

Parabéns, a resposta está correta! O preconceito racial se trata de ideias concebidas a priori, a partir de uma concepção de que há uma hierarquia valorativa entre diferentes raças ou etnias. A discriminação, por outro lado, é o ato de diferenciar de maneira preconceituosa e excludente. Por fim, a desigualdade de gênero se caracteriza pela diferença de oportunidades de forma prejudicial às mulheres.

     

 

Disciplina:Identidades e Diversidades Etnico-raciais1.519 materiais