A maior rede de estudos do Brasil

Descreva o processo de reconhecimento direto de uma bactéria gram-negativa por componentes da imunidade inata. Alguém me ajuda aqui nessa pergunta???

Imunologia

ESTÁCIO


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Em forma resumida, o método de coloração de Gram torna possível que as bactérias retenham a cor com base nas diferenças nas propriedades químicas e físicas da parede celular.

Se as bactérias, primeiro coloridas de púrpura ou azul, após o tratamento com clareamento perdem a cor, são chamadas de Gram-negativas.

Isso se deve ao fato de os Gram-negativos terem uma parede celular fina, consistindo em não mais que 5% de peptidoglicano, o que permite que o corante penetre e colora a célula, permitindo posteriormente que o descolorante penetre e descolora a célula.

Esta é basicamente a maior diferença que caracteriza e diferencia o Gram positivo do Gram negativo.

Em forma resumida, o método de coloração de Gram torna possível que as bactérias retenham a cor com base nas diferenças nas propriedades químicas e físicas da parede celular.

Se as bactérias, primeiro coloridas de púrpura ou azul, após o tratamento com clareamento perdem a cor, são chamadas de Gram-negativas.

Isso se deve ao fato de os Gram-negativos terem uma parede celular fina, consistindo em não mais que 5% de peptidoglicano, o que permite que o corante penetre e colora a célula, permitindo posteriormente que o descolorante penetre e descolora a célula.

Esta é basicamente a maior diferença que caracteriza e diferencia o Gram positivo do Gram negativo.

User badge image

Mariana santana

Há mais de um mês

O conhecimento de que diferentes tipos de micróbios são combatidos por diferentes componentes da resposta imune data do início dos anos 50, quando ficou documentada a importância dos anticorpos na destruição de bactérias extracelulares. Embora isoladamente os anticorpos por si só não tenham a capacidade de destruir bactérias, anticorpos podem neutralizar os microorganismos, impedindo sua ligação com o tecido do hospedeiro. Adicionalmente, em associação com o complemento, os anticorpos podem lisar bactérias e funcionar como opsoninas, facilitando a fagocitose. Os neutrófilos, eosinófilos e macrófagos exercem sua ação microbicida de forma mais ampla contra vários tipos de agentes e são células importantíssimas para a defesa do hospedeiro. A documentação de que células fagocíticas expressam em sua membrana receptores como o toll-like receptor (TLR), que se ligam especificamente a padrões moleculares existentes em diversos agentes infectantes,3 torna impróprio denominar inespecífica a resposta imune inata. Os neutrófilos têm ação microbicida fundamental contra bactérias; os macrófagos são células importantes na defesa contra agentes intracelulares (protozoários e bactérias intracelulares); e os eosinófilos, não tanto pela atividade fagocítica, mas pela atividade citotóxica contra helmintos. A resposta mediada pelas células T é extremamente efetiva no mecanismo de defesa contra agentes intracelulares, como vírus, protozoários, fungos e bactérias intracelulares. As células T podem exercer sua função através da citotoxicidade mediada por células CD8+ ou através da secreção de citocinas que vão ativar macrófagos para destruir os agentes intracelulares. Outros elementos que podem participar do processo de defesa contra agentes infecciosos incluem o queratinócito e a célula de Langerhans, já que muitas vezes a pele é invadida por diversos microorganismos. Os queratinócitos possuem a capacidade de secretar inúmeras citocinas, dessa maneira ativando e recrutando células inflamatórias e linfócitos para a pele.4 A célula de Langerhans, por sua vez, exerce o papel fundamental de vigilante do território cutâneo, fagocitando desde partículas protéicas inanimadas até vírus, bactérias ou qualquer outro microorganismo invasor. Após a fagocitose a célula de Langerhans migra para o linfonodo regional a fim de realizar a apresentação antigênica aos linfócitos, dando início ao desenvolvimento de imunidade específica protetora, tolerância ou hipersensibilidade

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas