A maior rede de estudos do Brasil

Maria Ottília, inquilina de Elza, sabendo que esta pretende vender o imóvel

Maria Ottília, inquilina de Elza, sabendo que esta pretende vender o imóvel ocupado por ela a Hélio; exerce o seu direito de preferência e, com isso adquire o imóvel. Dias depois, insatisfeita com os serviços de seu jardineiro Nilo, dispensa-o. O exercício do direito de preferência sobre a compra do imóvel e a dispensa do jardineiro configura-se, respectivamente, exercício de:     
Direito potestativo extintivo e direito subjetivo     
Direito subjetivo e dever jurídico     
Direito subjetivo e direito potestativo extintivo     
Direito potestativo constitutivo e direito potestativo extintivo 
Direito potestativo constitutivo e dever jurídico


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Sabemos que o primeiro caso, ou seja, que relata o direito do locatário em ter a preferência de compra do imóvel em que já mora é um direito constitucional, mas este direito pode ser contestado caso a pessoa que está locando o imóvel não se manifeste, logo, é um direito subjetivo. Entretanto, o direito de um empregador de demitir um empregado é algo que não pode ser contestado, ou seja, é um direito que chamamos potestativo.

Por isso, no primeiro caso temos um direito subjetivo e, no segundo caso, um direito potestativo subjetivo. Neste sentido é a quarta alternativa que consegue estabelecer corretamente o que está na constituição.

Sabemos que o primeiro caso, ou seja, que relata o direito do locatário em ter a preferência de compra do imóvel em que já mora é um direito constitucional, mas este direito pode ser contestado caso a pessoa que está locando o imóvel não se manifeste, logo, é um direito subjetivo. Entretanto, o direito de um empregador de demitir um empregado é algo que não pode ser contestado, ou seja, é um direito que chamamos potestativo.

Por isso, no primeiro caso temos um direito subjetivo e, no segundo caso, um direito potestativo subjetivo. Neste sentido é a quarta alternativa que consegue estabelecer corretamente o que está na constituição.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas