A maior rede de estudos do Brasil

Como fazer uma boa redacao no enem

EnemEscola Parque

4 resposta(s)

User badge image

Alice

Há mais de um mês

• Fique dentro do tema proposto
• Fazer uma alusão histórica.
• Usar conectivos
• Use a norma culta da Língua Portuguesa
• Estude ortografia e gramática, erros como concordância, pontuação, acentuação, flexão e outros.
• Fazer uma boa proposta de intervenção social. Explicar alguns pontos é essencial como: quem vai fazer o quê; como vai fazer; e quem será responsabilizado pela solução proposta para o problema.
• O texto deve ser escrito em terceira pessoa. Não existe ‘eu’ na redação.
• Citar Filósofos ou cientistas.
• Fique dentro do tema proposto
• Fazer uma alusão histórica.
• Usar conectivos
• Use a norma culta da Língua Portuguesa
• Estude ortografia e gramática, erros como concordância, pontuação, acentuação, flexão e outros.
• Fazer uma boa proposta de intervenção social. Explicar alguns pontos é essencial como: quem vai fazer o quê; como vai fazer; e quem será responsabilizado pela solução proposta para o problema.
• O texto deve ser escrito em terceira pessoa. Não existe ‘eu’ na redação.
• Citar Filósofos ou cientistas.
User badge image

Raquiel

Há mais de um mês

Aconselho que você fique atenta as novidades do dia a dia. não somente em jornais na TV mas também leia bastante livros, revistas e blogs de aprendizagem. Faça uma pequena redação sobre cada assunto que você achar interessante, certo?

User badge image

anderson

Há mais de um mês

10 passos para uma redação perfeita


Por Qconcursos 26/05/2014 ÀS 15H12




 Em concursos públicos, a redação exige muita perspicácia do candidato. Por isso, trazemos 10 passos para uma redação perfeita.

São dicas importantes com nosso professor Arenildo Santos para que você saiba como elaborar o melhor texto da sua vida na hora da sua prova.

Veja o Manual de Sobrevivência para a hora da redação

1- Na maioria das provas, é exigida a dissertação argumentativa, o que requer conhecimento de mundo e habilidades da parte do candidato. Quando se trata de estudo de caso, o conhecimento técnico é prioritário.

2- Em se tratando de texto argumentativo, por coerência, os temas têm, em geral, vínculo com a contemporaneidade.

Por isso, é importante que o candidato se mantenha atualizado com as grandes questões sociais de seu tempo.

A leitura de algum grande jornal (ou revista), pelo menos uma vez por semana, é imprescindível.

3- Observar temas de concursos anteriores também ajuda muito. O ideal é que o candidato faça redações sobre alguns desses temas e que as submeta à apreciação de algum professor. Ler e escrever são “faces de uma mesma moeda”.

O bom desempenho requer treinamento constante.

 

×

Aprenda a fazer uma redação Perfeita


Demora e branco têm solução!

4- Boas ideias não garantem uma boa redação. É preciso que o candidato saiba organizá-las.

Para isso, ideal é que ele leia textos argumentativos (em jornais, por exemplo), a fim de que observe como tais textos são comumente esquematizados.

5- Fazer um bom curso de redação – presencial ou a distância – é fundamental. É preciso que o candidato tenha contato com técnicas de redação, as quais envolvem como começar um texto, como desenvolvê-lo e como concluí-lo.

Estudar os mecanismos de coesão referencial e sequencial é de extrema utilidade.

6- Estudar mecanismos de coesão é muito mais do que simplesmente decorar elementos coesivos. Há candidatos que simplesmente decoram algumas expressões coesivas.

Os elementos coesivos são importantes, não há dúvida, mas mais importante é o conteúdo a ser escrito entre eles. É preciso haver coerência sempre.

5 dicas para uma boa prova

7- Dizem que, em um jogo de futebol, o bom juiz é aquele que passa despercebido, que não chama a atenção. De forma análoga, pode-se dizer que a boa redação deve apresentar simplicidade + coerência + clareza + correção gramatical.

Tudo isso dá singularidade e uniformidade ao texto. A linguagem tem de estar de acordo com a norma culta, o que não impede que o linguajar seja simples.

O mais importante é a regularidade, a uniformidade linguística: o candidato pode apresentar linguajar difícil (culto e raro), razoável (construções não cotidianas, mas não raras) ou simples (corretíssimo, mas fluido).

Por vezes, o candidato decora alguns termos (por ele considerados elegantes) e os usa em qualquer redação, independentemente do tema.

Termos como “destarte”, “mister”, “sói”, “aqueloutro” e tantos outros só podem ser usados se o texto apresenta – no todo – um nível compatível com eles.

O ideal, repito, é que a redação esteja correta e simples, fácil de ser entendida.

Ouça um bate-papo especial sobre Preparo emocional para concursos com a psicóloga Renata Xisto

8- Ao fazer uma redação, é importante a leitura prévia do tema e dos textos de apoio, se houver.

O primeiro grande passo é, no rascunho, definir a tese; em seguida, dois ou três argumentos.

Levando-se em consideração uma dissertação em 30 linhas (o mais comum em concursos públicos), o ideal é que o candidato tenha a coragem de selecionar dois ou três argumentos, pois esse número corresponde ao número de parágrafos do desenvolvimento.

No total, a redação fica com quatro ou cinco parágrafos, o que é bastante coerente.

Lembremos que não há como, num texto de trinta linhas, por exemplo, esgotar o tema, e a banca não quer isso. O que se avalia é simplesmente a capacidade de o candidato ser correto, claro e coerente na transmissão de suas ideias.

9- Faça, primeiramente, o rascunho de seu texto. Em seguida faça as demais provas, cuidando do tempo.

Tem de haver trinta e cinco minutos de reserva: dez para a marcação atenta do cartão-resposta, cinco para uma leitura atenta da redação e vinte para a transposição do texto na folha definitiva.

10- Só use título se houver recomendação expressa na prova.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes