A maior rede de estudos do Brasil

Qual o melhor tratamento fisioterapeutico em pacientes que tiveram AVC??

Anatomia Humana I

UNIMONTES


5 resposta(s)

User badge image

Flávia

Há mais de um mês

Pacientes com AVC possuem como sequelas lesões complexas, por isso a fisioterapia aquática oferece uma abordagem única e versátil para o tratamento dessas lesões e também de lesões secundárias. Durante a terapia, o calor da água na piscina ajuda a aliviar a espasticidade, mesmo temporariamente.

Pacientes com AVC possuem como sequelas lesões complexas, por isso a fisioterapia aquática oferece uma abordagem única e versátil para o tratamento dessas lesões e também de lesões secundárias. Durante a terapia, o calor da água na piscina ajuda a aliviar a espasticidade, mesmo temporariamente.

User badge image

Francisco

Há mais de um mês

Depende do quadro do paciente. Eu mesmo tive um AVC e possuo os movimentos normais apenas com uma leve perda de sensibilidade do lado esquerdo do corpo.

ja em pacientes com um maior acometimento motor de um hemicorpo, o tratamento vai basicamente girar em torno de ajudar o paciente a conseguir realizar suas atividades diárias, restaurar o máximo de autonomia.

User badge image

Karla

Há mais de um mês

Respiratória

A fisioterapia respiratória para pacientes de AVC tem como objetivo manter a função respiratória e prevenir complicações e a conduta varia de acordo com a fase em que o paciente se encontra.

Fase aguda em pacientes inconscientes

Na fase aguda o objetivo é prevenir retenção e acúmulo de secreções, atelectasias e broncopneumonias, utilizando manobras de higiene brônquica (percussão, vibração e reexpansão pulmonar), drenagem postural e aspiração traqueal.

Mudanças de decúbito são necessárias para prevenção de escaras e para prevenir contraturas articulares.

Fase aguda em pacientes conscientes

Os objetivos nessa fase são os mesmos da fase anterior: prevenir retenção e acúmulo de secreções, prevenir atelectasias e prevenir pneumonias.

As manobras de higiene brônquica (vibração, vibrocompressão, tapotagem, aceleração do fluxo expiratório) podem ser utilizadas, mas agora com o paciente consciente a retirada de secreções através da tosse espontânea pode ser realizada.

Exercícios ativos com o paciente sentado ou em pé fora do leito pode sem realizados para um melhor processo de reabilitação.

Exercícios respiratórios e com incentivadores podem ser utilizados para fortalecimento de músculos expiratórios.

Motora

A conduta na fisioterapia motora também varia de acordo com a fase do AVC em que o paciente se encontra.

Para manter e ganhar a amplitude de movimento alongamentos e mobilizações passivas em todos os planos de movimentos são indicados.

As mobilizações passivas em membros inferiores e superiores também são indicadas para manutenção da força muscular e para prevenção de trombose venosa profunda.

Tipoias e órteses são indicadas para manter a articulação glenoumeral posicionada corretamente e tratar a subluxação de ombro.

Para prevenir as úlceras de decúbito, mudanças de decúbito devem ser realizadas a cada 2 horas.


Fase tardia

Na fase tardia todos os objetivos e condutas da fase aguda se mantém.

E aumentam-se os objetivos abaixo:

  • Normalizar o tônus no hemicorpo acometido
  • Treinar atividades de vida diária (AVD’s)
  • Treinar marcha
  • Treinar memória cinestésica
  • Reaprendizado motor

Para controlar o tônus muscular, o uso do turbilhão com água aquecida é um excelente recurso. O calor afeta o tônus por meio da inibição da atividade tônica. A resposta ocorre logo após a imersão, facilitando a realização dos alongamentos.

Deve-se treinar as trocas posturais, sedestação, bipedestação, treino de auto cuidados e treinos para as AVD’s tradicionais na vida do paciente, preservando as limitações do membro acometido.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes