A maior rede de estudos do Brasil

faça um breve relato sobre a história do SUS

Concursos

Humanas / Sociais


7 resposta(s)

User badge image

Joberlene de Souza

Há mais de um mês

Em 1988 foi criado o SUS Sistema Único de Saúde pela Constituição Federal Brasileira, através desta Constituição ficou determinada que o Estado deve garantir a saúde para todos os Brasileiros. Em 1990a Lei Orgânica da Saúde foi aprovada pelo Congresso Nacional que prioriza o funcionamento do sistema.

O Sistema Único de Saúde SUS é um dos maiores Sistemas Públicos de Saúde no mundo, o Brasil é o único País com 100milhoes de pessoas que garante assistência integral e atendimento gratuito à toda a população. No ano de 2014 foram feitas 4, 1bilhoes de atendimentos ambulatórios e 1,4 de consultas médicas pelo SUS. 

Todas as pessoas que procuram as unidades de saúde ou precisam de atendimento de urgência e emergência têm atendimentos gratuidos. Os atendimentos prestados pelo SAMU são oferecidos pelo SUS e todos têm esse direito. A Emenda Constitucional foi aprovada em setembro de 2000,o SUS é administrado de forma tripartite, seus recursos são provenientes dos orçamentos da União dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios. Os responsáveis pela administração são os gestores, que administra os recursos, a sua implantação e sua qualidade. 

O SUS existe há 27anos,o SUS conquistou uma série de avanços para a saúde da população Brasileira. É reconhecida Internacionalmente, o Programa Nacional de Imunização (PNI) é responsável por 98%das vacinas e está sendo um dos destaques. 

O Brasil garante à população atendimento gratuido e acesso às vacinas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que disponibiliza 17vacinas que serve para combater mais de 20doencas, também existem mais de 10tipos de vacinas especiais utilizada em casos específicos, uma delas é para portador de HIV

User badge image

Joberlene de Souza

Há mais de um mês

O Sistema Único de Saúde (SUS) foi instituído pela Constituição Federal de 1988 para atender ao mandamento constitucional que classifica a saúde como um direito de todos e dever do Estado, regulado pela Lei nº. 8.080/1990. A partir da sua criação, toda a população brasileira passou a ter direito à saúde universal gratuita, financiada com recursos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, em conformidade com o artigo 195 da Constituição. A Constituição também estabelece cinco princípios básicos que norteiam o SUS juridicamente, são eles: universalidade (artigo 196), integralidade (artigo 198 – II), equidade (artigo 196 – “acesso universal e igualitário”), descentralização (artigo 198 – I) e participação social (artigo 198 – III).

 Portanto, o Sistema Único de Saúde é formado por todas as medidas executadas direta ou indiretamente pelo Estado para melhorar a saúde pública.

O SUS é financiado por recursos da seguridade social de todos os entes federativos e possui as seguintes diretrizes:

Descentralização

Para atender todas as regiões do país de forma direcionada às necessidades locais, o SUS divide-se em órgãos regionais com poder de administração. No âmbito nacional, a administração do SUS acontece através do Ministério da Saúde. Nos estados, Distrito Federal e municípios, a administração fica por conta das Secretarias de Saúde, ou órgãos equivalentes.

Integralidade

O SUS deve atender todos os indivíduos, sem distinção de qualquer espécie. Além disso, o serviço deve dar ênfase nas atividades preventivas (campanhas de conscientização, vacinas, etc) sem que isso implique na cobertura de tratamentos e medidas curativas.

Participação da comunidade

A participação do povo deve acontecer através de conselhos e conferências de saúde nas quais a população pode votar e decidir quais questões sanitárias devem ser priorizadas.

Princípios da saúde pública


A saúde pública no Brasil gira em torno dos seguintes princípios previstos na Lei Orgânica da Saúde:


• universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência

• integralidade de assistência

• preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e moral

• igualdade da assistência à saúde

• direito à informação, às pessoas assistidas, sobre sua saúde

• divulgação de informações

• utilização da epidemiologia para o estabelecimento de prioridades

• participação da comunidade

• descentralização político-administrativa, principalmente nos municípios

• integração entre saúde, meio ambiente e saneamento básico

• conjugação dos recursos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios

• capacidade de resolução dos serviços em todos os níveis de assistência

• organização de atendimento público específico e especializado para mulheres e vítimas de violência doméstica em geral, que garanta, entre outros, atendimento, acompanhamento psicológico e cirurgias plásticas reparadoras. Com a exceção do último princípio (que foi inserido na lei apenas em 2017), essas são as bases da saúde pública no país desde 1990, quando a Lei Orgânica da Saúde entrou em vigor.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes