A maior rede de estudos do Brasil

Regras do uso da próclise

Português

Colegio Tiradentes Pmmg


2 resposta(s)

User badge image

Karine Amorim

Há mais de um mês

Primeiramente, na PRÓCLISE não se usa o hífen (-) entre o pronome e verbo.
Mas e então, como saber se a PRÓCLISE deve ou não ser utilizada? Quando ela pode ser usada?

Palavras ou Expressões Negativas

Esse é justamente o porquê da frase “Não deixe-se abater” estar errada.
Acontece que, quando há uma palavra ou expressão negativa (não, nunca, jamais, nada, ninguém, nem, de modo algum) antes do verbo que se liga ao pronome (no caso, DEIXE), o pronome é atraído por essa palavra negativa, formando assim a PRÓCLISE.

2 – CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Quando a oração possuir uma conjunção subordinativa (quando, se, porque, que, conforme, embora, logo, que) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído por essa conjunção.

3 – ADVÉRBIOS

Quando a oração tiver um advérbio (aqui, sempre, talvez, muito, infelizmente, etc.) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído pelo advérbio.

4 – PRONOMES RELATIVOS, DEMONSTRATIVOS E INDEFINIDOS

Quando há um pronome relativo (que, quem, cujo, onde, etc.), pronome demonstrativo (aquele, isto, esse, etc.) ou pronome indefinido (alguém, nenhum, ninguém, nada, etc.) antes do verbo, o pronome é atraído.

Primeiramente, na PRÓCLISE não se usa o hífen (-) entre o pronome e verbo.
Mas e então, como saber se a PRÓCLISE deve ou não ser utilizada? Quando ela pode ser usada?

Palavras ou Expressões Negativas

Esse é justamente o porquê da frase “Não deixe-se abater” estar errada.
Acontece que, quando há uma palavra ou expressão negativa (não, nunca, jamais, nada, ninguém, nem, de modo algum) antes do verbo que se liga ao pronome (no caso, DEIXE), o pronome é atraído por essa palavra negativa, formando assim a PRÓCLISE.

2 – CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Quando a oração possuir uma conjunção subordinativa (quando, se, porque, que, conforme, embora, logo, que) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído por essa conjunção.

3 – ADVÉRBIOS

Quando a oração tiver um advérbio (aqui, sempre, talvez, muito, infelizmente, etc.) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído pelo advérbio.

4 – PRONOMES RELATIVOS, DEMONSTRATIVOS E INDEFINIDOS

Quando há um pronome relativo (que, quem, cujo, onde, etc.), pronome demonstrativo (aquele, isto, esse, etc.) ou pronome indefinido (alguém, nenhum, ninguém, nada, etc.) antes do verbo, o pronome é atraído.

User badge image

Mesla S

Há mais de um mês

Primeiramente, na PRÓCLISE não se usa o hífen (-) entre o pronome e verbo.
Mas e então, como saber se a PRÓCLISE deve ou não ser utilizada? Quando ela pode ser usada?

Palavras ou Expressões Negativas

Esse é justamente o porquê da frase “Não deixe-se abater” estar errada.
Acontece que, quando há uma palavra ou expressão negativa (não, nunca, jamais, nada, ninguém, nem, de modo algum) antes do verbo que se liga ao pronome (no caso, DEIXE), o pronome é atraído por essa palavra negativa, formando assim a PRÓCLISE.

2 – CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Quando a oração possuir uma conjunção subordinativa (quando, se, porque, que, conforme, embora, logo, que) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído por essa conjunção.

3 – ADVÉRBIOS

Quando a oração tiver um advérbio (aqui, sempre, talvez, muito, infelizmente, etc.) antes do verbo que se liga ao pronome, ele é atraído pelo advérbio.

4 – PRONOMES RELATIVOS, DEMONSTRATIVOS E INDEFINIDOS

Quando há um pronome relativo (que, quem, cujo, onde, etc.), pronome demonstrativo (aquele, isto, esse, etc.) ou pronome indefinido (alguém, nenhum, ninguém, nada, etc.) antes do verbo, o pronome é atraído.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes