A maior rede de estudos do Brasil

) Por que os corticoides apresentam atividade imunossupressora? Descreva quais são as utilidades clínicas destes fármacos com base nesta ação?

Farmacologia I

Biológicas / Saúde


2 resposta(s)

User badge image

Roberta Ribeiro

Há mais de um mês

Corticoides, como conhecemos, são uma classe de medicamentos de ação anti-inflamatória e imunossupressora - ou seja, usada para suprimir os mecanismos de defesa do corpo, um procedimento necessário para a realização de transplantes e enxertos, por exemplo. Este medicamento é confeccionado a partir de um hormônio produzido pelo nosso corpo chamado de cortisol, que é produzido nas glândulas suprarrenais. O corticoide, portanto, é um derivado sintético deste hormônio, com o mesmo núcleo, mas a estrutura dele é modificada para potencializar a sua ação e função no organismo.


Os corticoides, também conhecidos como corticosteroides, glicocorticoides e anti-inflamatórios esteroidais, são muito potentes e têm as mais diversas indicações para uso. Contudo, por serem uma espécie de hormônio sintético, eles não atuam apenas onde está o problema, e podem acabar alterado o funcionamento de todo o organismo. Seu uso requer cuidados e a indicação médica é fundamental, assim como seguir as orientações de posologia à risca e o protocolo de retirada do medicamento do organismo também.

O glicocorticoide, muitas vezes colocado como sinônimo de corticosteróide, é o cortisol mais importante no corpo humano e também é produzido naturalmente, sendo responsável por regular e sustentar várias ações do organismo, como funções metabólicas, cardiovasculares, imunológicas e homeostáticas. É nessa classe decorticoides que se concentram os fármacos utilizados como imunossupressores e anti-inflamatórios, sendo, assim, de grande importância para o tratamento de doenças autoimunes, como o Lúpus.


Os mineralocorticoides fazem parte da segunda classe de hormônios esteróides, responsáveis pela formação dos corticoides. Sua principal função se deve ao hormônio aldosterona. Possui grande influência no equilíbrio electrolítico (íons e água) e é também responsável pelo equilíbrio do sódio, pois atua diretamente nos rins, colaborando com o bom funcionamento desses órgãos.

O corticoide é indicado para grande parte das reações inflamatórias e em alguns casos de imunossupressão. Entre as doenças que utilizam os corticoides no tratamento estão:


Ele também pode fazer parte das medicações utilizadas como imunossupressores (necessários em casos de transplantes, por exemplo), como antiemético (diminui náusea e vômitos); no protocolo de um tipo de câncer comum em crianças, a leucemia linfoide aguda; e em alguns casos em que há risco do bebê nascer prematuro.

É importante ressaltar que normalmente o corticoide é utilizado por curtos períodos de tempo, e quando o seu uso é mais recorrente ou longo, outros remédios são necessários para tentar conter os seus efeitos colaterais mais significativos.

Corticoides, como conhecemos, são uma classe de medicamentos de ação anti-inflamatória e imunossupressora - ou seja, usada para suprimir os mecanismos de defesa do corpo, um procedimento necessário para a realização de transplantes e enxertos, por exemplo. Este medicamento é confeccionado a partir de um hormônio produzido pelo nosso corpo chamado de cortisol, que é produzido nas glândulas suprarrenais. O corticoide, portanto, é um derivado sintético deste hormônio, com o mesmo núcleo, mas a estrutura dele é modificada para potencializar a sua ação e função no organismo.


Os corticoides, também conhecidos como corticosteroides, glicocorticoides e anti-inflamatórios esteroidais, são muito potentes e têm as mais diversas indicações para uso. Contudo, por serem uma espécie de hormônio sintético, eles não atuam apenas onde está o problema, e podem acabar alterado o funcionamento de todo o organismo. Seu uso requer cuidados e a indicação médica é fundamental, assim como seguir as orientações de posologia à risca e o protocolo de retirada do medicamento do organismo também.

O glicocorticoide, muitas vezes colocado como sinônimo de corticosteróide, é o cortisol mais importante no corpo humano e também é produzido naturalmente, sendo responsável por regular e sustentar várias ações do organismo, como funções metabólicas, cardiovasculares, imunológicas e homeostáticas. É nessa classe decorticoides que se concentram os fármacos utilizados como imunossupressores e anti-inflamatórios, sendo, assim, de grande importância para o tratamento de doenças autoimunes, como o Lúpus.


Os mineralocorticoides fazem parte da segunda classe de hormônios esteróides, responsáveis pela formação dos corticoides. Sua principal função se deve ao hormônio aldosterona. Possui grande influência no equilíbrio electrolítico (íons e água) e é também responsável pelo equilíbrio do sódio, pois atua diretamente nos rins, colaborando com o bom funcionamento desses órgãos.

O corticoide é indicado para grande parte das reações inflamatórias e em alguns casos de imunossupressão. Entre as doenças que utilizam os corticoides no tratamento estão:


Ele também pode fazer parte das medicações utilizadas como imunossupressores (necessários em casos de transplantes, por exemplo), como antiemético (diminui náusea e vômitos); no protocolo de um tipo de câncer comum em crianças, a leucemia linfoide aguda; e em alguns casos em que há risco do bebê nascer prematuro.

É importante ressaltar que normalmente o corticoide é utilizado por curtos períodos de tempo, e quando o seu uso é mais recorrente ou longo, outros remédios são necessários para tentar conter os seus efeitos colaterais mais significativos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes