A maior rede de estudos do Brasil

Políticas de Saúde e Princípios do SUS e PSF

Simulado de Políticas de Saúde e Princípios do SUS e PSF-C

Conforme o Decreto 99.438/90, as atribuições e competências do Conselho Nacional de Saúde incluem, EXCETO:

 

 formulação de estratégia e controle da execução da política nacional de saúde em âmbito federal;

 decidir sobre divergências levantadas pelos Conselhos Estaduais e Municipais de Saúde, bem como por órgãos de representação na área da saúde;

 opinar sobre a criação de novos cursos superiores na área de saúde, em articulação com o Ministério da Educação e do Desporto;

 é proibida a participação ampla da sociedade, a exemplo do observado em relação aos conselhos municipais e estaduais.

A base legal do SUS é constituída fundamentalmente por três documentos que expressam os elementos básicos que estruturam e organizam o sistema de saúde brasileiro. São eles:

  A Constituição Federal de 1988, o SESP (Serviço Estadual de Saúde Pública) e o SUDS (Sistema Unificado e Descentralizado de Saúde).

 A Constituição Federal de 1988, a lei 8.080, de 19 de setembro de 1990, também conhecida como a Lei Orgânica da Saúde e a lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990.

 A Constituição Federal de 1988, o Decreto 99.438/90 e Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990.

 A Constituição Federal de 1988, a Portaria nº 1.886, de 18 de dezembro de 1997 e Programa Saúde da Família.

A respeito do PSF, considere as assertivas abaixo em verdadeiras (V) ou falsas (F), em seguida, assinale a alternativa correta:

(  ) O Programa Saúde da Família deve ser um instrumento de implementação do modelo assistencial.

(  ) O PSF evidencia as fragilidades e limitações do modelo tradicional.

(  ) O PSF deve pressionar sua expansão e sua adoção, de forma exclusiva, nas áreas de maior risco e junto às populações mais carentes.

(  ) Na atuação do PSF território passaria a ser um mero depositário de atributos da população.

 

 F, V, V, F.

 V, V, F, F.

 F, V, V, V.

 F, F, V, V.

A legislação do SUS e suas Normas Operacionais (NOB-SUS) definem as atribuições comuns da União, distrito federal, estados e municípios, bem como o papel e as responsabilidades de cada esfera do governo na organização e operacionalização do SUS. Esta NOB aponta para uma reordenação do modelo de atenção à saúde, na medida em que redefine, EXCETO:

 

 os papéis de cada esfera de governo e, em especial, no tocante à direção única.

 os instrumentos gerenciais para que municípios e estados superem o papel exclusivo de prestadores de serviços e assumam seus respectivos papéis de gestores do SUS.

 os vínculos dos serviços com os seus usuários, privilegiando os núcleos familiares e comunitários, criando, assim, condições para uma efetiva participação e controle social.

 a população a ser atendida pelo SUS, que passará a ser unicamente as pessoas com baixa renda e busca o desempenho com qualidade.

A lei 8.080 dispõe sobre a necessidade de regionalização e hierarquização da rede de serviços. A respeito deste assunto, considere as assertivas abaixo:

I- Essa diretriz diz respeito a uma organização do sistema que deve focar a noção de território, onde se determinam perfis populacionais, indicadores epidemiológicos, condições de vida e suporte social, que devem nortear as ações e serviços de saúde de uma região.

II- Essa concepção aproxima a gestão municipal dos problemas de saúde, das condições de vida e da cultura que estão presentes nos distritos ou regiões que compõem o município.

III- A lógica proposta é: quanto mais perto da população, maior será a capacidade de o sistema identificar as necessidades de saúde e melhor será a forma de gestão do acesso e dos serviços para a população.

IV- A rede de ações e serviços de saúde, orientada pelo princípio da integralidade, deve se organizar apenas pelas ações de promoção e prevenção, sem se preocupar com as ações de maior complexidade, como recursos diagnósticos, internação e cirurgias.

 

É correto apenas o que se afirma em:

 

 Apenas I, II e III.

 Apenas II, III e IV.

 Apenas I e IV.

 Apenas III e IV.

O SUS possui instâncias colegiadas de participação popular em cada esfera de governo. São elas:

 

 Conselho Nacional de Saúde, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Municipal de Saúde.

 Os conselhos de saúde e as conferências de saúde.

 O PSF e os ACS.

 O PACS e o PSF.

São os princípios básicos do SUS:

 

 cadastramento e a vinculação dos usuários, centralização, participação do governo e integralidade.

 universalização, descentralização, integralidade e participação da comunidade.

 unificação, centralidade, participação social, saúde e qualidade de vida.

 centralização, participação da comunidade, atendimento hospitalar e vacinação.

A Portaria n. 1.886, de 18 de dezembro de 1997, na parte de Diretrizes operacionais, nos permite identificar alguns requisitos importantes para a delimitação das áreas e microáreas do Programa Saúde da Família. A referida Portaria, regulamenta que o PSF deve incorporar os seguintes aspectos na delimitação dos recortes territoriais, EXCETO:

 

 A área deve conter um valor máximo de população de modo a permitir um atendimento às suas demandas de saúde (um agente de saúde deve ser responsável por no máximo 150 famílias ou 750 pessoas);

 O agente deve ser um morador da sua microárea de atuação há pelo menos dois anos;

 Os limites da área devem considerar barreiras físicas e vias de acesso e transporte da população às unidades de saúde.

 A área deve conter uma população sempre heterogênea do ponto de vista sócio-econômico e epidemiológico, caracterizando “áreas heterogêneas de risco”.

A respeito do SUS assinale a alternativa INCORRETA:

 

 O Sistema Único de Saúde (SUS) é formado pelo conjunto de todas as ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público.

 A iniciativa privada não é permitida participar desse Sistema nem de maneira complementar.

  Os princípios do SUS apontam para a democratização nas ações e nos serviços de saúde que deixam de ser restritos e passam a ser universais, da mesma forma, deixam de ser centralizados e passam a nortear-se pela descentralização.

 O SUS possibilitou uma nova concepção de saúde, compreende-se que os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do país.

São consagrados na Carta Magna como direitos sociais 

 

 a previdência, a proteção à infância e a igualdade social.

 a segurança, o trabalho e a proteção à livre iniciativa 

 a saúde, a assistência social e a dignidade da pessoa humana.

  a saúde, o trabalho e a moradia.


Ainda não temos resposta. Você sabe responder?