A maior rede de estudos do Brasil

sobre os nervos do sistema nervoso, como eles se dividem? e quantos são?

Psicologia

ESTÁCIO


3 resposta(s)

User badge image

Fabiane Antunes

Há mais de um mês

Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico

Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico

User badge image

Gabrielle Pires

Há mais de um mês

No corpo humano existem 43 nervos. Eles são divididos em crânianos e raquitidianos.

User badge image

Amanda Bissi

Há mais de um mês

Os nervos são estruturas anatômicas, formadas a partir do prolongamento de múltiplos axônios, responsáveis por conduzir os impulsos elétricos nervosos aferentes, de todas as partes do corpo para o sistema nervoso central (denomina-se sistema nervoso central o conjunto formado pelo encéfalo e pela medula espinhal) e eferentes, que saem do sistema nervoso central e enviam impulsos nervosos para diversas partes do corpo.

Os nervos, juntamente com gânglios nervosos e os órgãos terminais, constituem o sistema nervoso periférico. Os nervos podem ser classificados de acordo com sua origem: nervos cranianos (doze pares de nervos ligados ao encéfalo) e nervos espinhais (31 pares ligados à medula).

Os nervos também podem ser classificados de acordo com a função que desempenham: nervos sensitivos (aferentes) e nervos motores (eferentes). Os nervos sensitivos são aqueles que conduzem mensagens de órgãos do corpo (como a pele, músculos, articulações e também os outros órgãos dos sentidos) para o sistema nervoso central. Já os nervos motores, ou nervos eferentes, levam mensagens do sistema nervoso central para os órgãos efetores, como músculos ou glândulas. Também existem os nervos mistos, que contém prolongamentos sensitivos e motores. As fibras nervosas que formam o nervo são sustentadas e protegidas por três revestimentos de tecido conjuntivo: endoneuro, tecido conjuntivo delicado que circunda imediatamente as células do neurolema e os axônios. Perineuro é uma camada de tecido conjuntivo denso que envolve um fascículo de fibras nervosas periféricas, proporcionando uma barreira efetiva contra a penetração das fibras nervosas por substâncias estranhas. Epineuro é uma bainha de tecido conjuntivo espesso que circunda e encerra um feixe de fascículos, formando o revestimento mais externo do nervo; inclui tecido adiposo, vasos sanguíneos e linfáticos. Dentro do endoneuro, as fibras nervosas individuais são cercadas por um líquido de baixa proteína chamado fluido endoneural.[1] Este age de forma semelhante ao líquido cefalorraquidiano no sistema nervoso central e constitui uma barreira nervo-sanguínea semelhante à barreira hematoencefálica.[2] As moléculas são assim impedidas de cruzar o sangue para o fluido endoneural. Durante o desenvolvimento de edema nervoso por irritação nervosa ou (lesão), a quantidade de líquido endoneural pode aumentar no local da irritação. Este aumento no flúido pode ser visualizado através de imagens de ressonância magnética.

Os nervos são organizados como um cabo telefônico: os axônios assemelham-se a fios individuais isolados pelo neurolema e endoneuro; os fios isolados são reunidos pelo perineuro e os feixes são circundados pelo epineuro, que forma o revestimento externo do cabo. É importante distinguir entre  fibras nervosas e nervos, que às vezes são representados como sendo uma única e mesma coisa.[1]

Os nervos espinhais originam-se na medula espinhal como radículas, que convergem para formar duas raízes nervosas. Uma raiz anterior (ventral), formada por fibras motoras (eferentes) que saem dos corpos das células nervosas no corno anterior da substância cinzenta da medula espinhal para órgãos efetores situados na periferia. Uma raiz posterior (dorsal), formada por fibras sensitivas (aferentes) dos corpos celulares no gânglio (sensitivo) espinhal ou  gânglio da raiz posterior (dorsal) que possuem dois prolongamentos, um que se estende em direção à periferia, até terminações sensitivas, e outro que se estende centralmente até o corno posterior de substância cinzenta da medula espinhal.

As raízes nervosas posteriores e anteriores se unem, dentro ou imediatamente proximais ao forame intervertebral, para formar um nervo espinhal misto (motor e sensitivo). O nervo misto se divide em dois ramos: um ramo posterior (dorsal) e um ramo anterior (ventral), estes conduzem informação tanto motora quanto sensitiva, bem como seus ramos subsequentes. Os termos nervo motor e nervo sensitivo são quase sempre relativos, referindo-se à maioria dos tipos de fibras conduzidas por aquele nervo. Os nervos que suprem músculos do tronco ou dos membros (nervos motores) também contêm cerca de 40% de fibras sensitivas que conduzem informações álgicas e proprioceptivas. Por outro lado, os nervos cutâneos (sensitivos) contêm fibras motoras que suprem as glândulas sudoríferas e o músculo liso dos vasos sanguíneos e folículos pilosos. 

Os nervos são categorizados em três grupos com base na direção em que os sinais são conduzidos:

Os nervos aferentes conduzem sinais de neurônios sensoriais ao sistema nervoso central, por exemplo, dos mecanorreceptores na pele. 

Os nervos eferentes conduzem sinais do sistema nervoso central ao longo dos neurônios motores para os músculos e glândulas alvo.

Os nervos mistos contêm axônios aferentes e eferentes e, portanto, conduzem as informações sensoriais recebidas e os comandos musculares de saída no mesmo pacote.

Os nervos podem ser categorizados em dois grupos com base no local onde eles se conectam ao sistema nervoso central:

Os nervos espinhais inervam (distribuem/estimulam) a maior parte do corpo e se conectam através da coluna vertebral à medula espinhal e, portanto, ao sistema nervoso central. Eles recebem designações de número de letras de acordo com a vértebra através das quais se conectam à coluna vertebral. 

Os nervos cranianos inervam partes da cabeça e se conectam diretamente ao cérebro (especialmente ao tronco encefálico). Normalmente, eles são atribuídos números romanos de 1 a 12, embora o nervo craniano zero seja por vezes incluído. Além disso, os nervos cranianos têm nomes descritivos.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes