A maior rede de estudos do Brasil

Com relação as vias de administração porque a via escolhida foi a Intravenosa?

Um jovem de 17 anos, masculino, branco, solteiro, estudante, foi atendido pelo

serviço de emergência, juntamente com várias pessoas que apresentavam um quadro

semelhante, porém de intensidades variáveis. Apresentava cólicas abdominais intensas,

náuseas, vômitos, hipertermia e repetidas evacuações diarréicas. Na anamnese foi verificado

que todos estes pacientes, inclusive o

rapaz, haviam jantado em um mesmo restaurante na noite anterior, onde entre os alimentos

consumidos estava um patê. Da família duas pessoas não apresentavam os sintomas, pois

foram as únicas que não provaram o patê. Foi estabelecido o diagnóstico de intoxicação

alimentar, provavelmente secundárias a toxina bacteriana presentes no patê deteriorado. Foi

administrada uma ampola (I.V.) de um espasmoanalgésico (escopolamina+dipirona), prescrevendo-

se as demais medidas dietéticas e medicamentosas.

Com relação as vias de administração porque a via escolhida foi a Intravenosa? Por que outra via

não foi considerada neste caso? Qual a biodisponibilidade atingida nesta via utilizada e por que

recebe esta classificação?

Farmacotécnica

ANHANGUERA


2 resposta(s)

User badge image

SABRINA OLIVEIRA TORRES

Há mais de um mês

A via escolhida foi a intravenosa, justamente pelo quadro clínico deste paciente, visto que ele apresenta um quadro grava de intoxicação, sendo assim, como ele está apresentando: cólicas abdominais intensas, náuseas, vômitos, hipertermia e repetidas evacuações diarréicas, ele corre um grande risco de desidratação severa. Por isso a via mais adequada é a intravenosa, pois o medicamento já cai diretamente na via sistêmica, com isso reduz seu tempo de ação, consequentemente, vai agir mais rápido, amenizando os sintomas.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes