A maior rede de estudos do Brasil

Diferencie Pré Eclâmpsia de Eclâmpsia.

Saúde da Mulher

Senai Campo Mourao


2 resposta(s)

User badge image

Yasmin Gama

Há mais de um mês

pré-eclâmpsia é uma hipertensão arterial nova ou preexistente que é acompanhada de um excesso de proteína na urina e que surge após a 20ª semana de gestação. Eclâmpsia são convulsões que ocorrem em mulheres com pré-eclâmpsia e que não apresentam outra causa.

  • A pré-eclâmpsia pode desprender a placenta e o bebê pode nascer precocemente, aumentando o risco de ter problemas logo após o nascimento.
  • As mãos, dedos das mãos, pescoço e/ou pés da mulher podem inchar e, se a pré-eclâmpsia for grave e não for tratada, ela pode ter convulsões (eclâmpsia) ou danos aos órgãos.
  • Dependendo da gravidade da pré-eclâmpsia, o tratamento talvez inclua atividade modificada (repouso), internamento hospitalar, medicamentos para baixar a pressão arterial ou fazer o parto do bebê.
  • O sulfato de magnésio é dado pela veia para prevenir ou impedir as convulsões.

Complicações da gravidez, como pré-eclâmpsia e eclâmpsia, são problemas que ocorrem apenas durante a gestação. Elas podem afetar a mulher, o feto ou ambos e surgir várias vezes durante a gestação. No entanto, a maioria das complicações da gravidez pode ser tratada.


Aproximadamente 3% a 7% das gestantes apresentam pré-eclâmpsia. Na pré-eclâmpsia, um aumento da pressão arterial é acompanhado de proteína na urina (proteinúria). Sem tratamento, a pré-eclâmpsia pode causar convulsões (eclâmpsia) repentinamente. A eclâmpsia ocorre em menos de 1% das mulheres com pré-eclâmpsia grave. Se não for tratada rapidamente, a eclâmpsia geralmente é fatal.


A pré-eclâmpsia (com ou sem eclâmpsia) surge após a vigésima semana de gravidez e, geralmente, antes do final da primeira semana após o parto. Um quarto dos casos ocorrem após o parto, geralmente dentro dos primeiros quatro dias, mas por vezes até seis semanas após o parto.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes