A maior rede de estudos do Brasil

letra A e B

Nas lições do professor Assis de Toledo: “a ilicitude, na área penal, não se limitará à ilicitude típica, ou seja, à ilicitude do delito, esta sempre e necessariamente típica. Um exemplo de ilicitude a típica pode ser encontrado na exigência da agressão (‘agressão injusta´ significa ‘agressão ilícita’) na legítima defesa. A agressão que autoriza a reação defensiva, na legitima defesa, não precisa ser um fato previsto como crime, isto é, não precisa ser um ilícito penal, mas deverá ser no mínimo um ato ilícito, em sentido amplo, por inexistir legitima defesa contra atos lícitos”.


Por outro lado, encontramos a formidável analise do professor Welzel sobre a ilicitude no conceito analítico de crime, vejamos: “a tipicidade, a antijuridicidade e a culpabilidade são três elementos que convertem uma ação em um delito. A culpabilidade – a responsabilidade pessoal por um fato antijurídico – pressupõe a antijuridicidade do fato, do mesmo modo que a antijuridicidade, por sua vez, tem de estar concretizada em tipos legais. A tipicidade, a antijuridicidade e a culpabilidade estão relacionadas logicamente de tal modo que cada elemento posterior do delito pressupõe o anterior”.


Diante do exposto, com vista a desenvolver a sua competência, deverá discente desenvolver um estudo sobre a antijuridicidade e suas consequências, pergunta-se:


a) É viável juridicamente a hipótese de legitima defesa com aberratio ictus (erro na execução)? Justifique juridicamente.


b) Poderá ser arguida a legitima defesa quando o agente dirige a sua conduta a fim de proteger bens atacados por inimputáveis, ou nessa hipótese, deveria ser erigido o estado de necessidade? Justifique juridicamente.



Direito Penal I

ESTÁCIO


2 resposta(s)

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes