A maior rede de estudos do Brasil

AVA-Disserte sobre defesas do Executado no âmbito da Execução Fiscal/especificamente quanto aos Embargos do Devedor e à Exceção de Pré-executividade.


1 resposta(s)

User badge image

Geraldo Verified user icon

Há mais de um mês

A execução fiscal judicial para a cobrança de dívida ativa da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e suas autarquias é regida pela Lei número 6.830/80, aplicando-se subsidiariamente, o Código de Processo Civil conforme o artigo 1º da Lei de Execuções Fiscais. Sabendo que um dos princípios gerais de uma execução e a possibilidade da defesa por parte do executado.Assim, temos os embargos do devedor (embargos à execução) previsto no artigo 16 da lei de lei de Execuções Fiscais que prediz.⇒ O executado oferecerá embargos, no prazo de 30 (trinta) dias, contados:§ 1º - Não são admissíveis embargos do executado antes de garantida a execução.Então, em 30 dias, devem ser oferecidos embargos a contar da data do deposito, juntada aos autos da prova da fiança bancaria, seguro de garantia da data de intimação da penhora efetiva em garantia do juízo.O executado deve estar atento a esse prazo para então exerce esse meio de defesa. Na sua aplicação, o executado pode abordar toda e qualquer matéria de defesa, de acordo o artigo 745 do Código de Processo Civil.Lembrando, que na Constituição Federal consta a possibilidade de defesa do executado (princípio do contraditório) e da ampla defesa na realidade da execução, no artigo 5º, LV, que prediz:⇒ Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:LV - Aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;Os legitimados ativos são os previstos artigo 4º, da Lei de Execução Fiscal.Quanto a chamada exceção de pré-executividade constitui uma oposição do executado contra a execução. É a forma do executado interferir no andamento do processo informando ao juiz de alguma barreira no prosseguimento do mesmo.Este procedimento está embasado na doutrina e na Jurisprudência e não há um dispositivo normativo estabelecendo esta modalidade. Seu uso não está atrelado a garantia em juízo, pelo fato de possivelmente haver um problema sério que impeça o andamento do processo. Fato este de tal importância que tornaria desnecessário a garantia.Importante ressaltar que, apesar da pré-executividade não haver dispositivo normativo, esta forma pode ser enquadrada no princípio do contraditório e da ampla defesa previstos, conforme o artigo 5º, LIV e LV, da Constituição Federal que prediz⇒Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal;LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;A exceção de pré-executividade sofre constantemente modificações e aumenta as possibilidades de cabimento e torna-se possível que quando exista prova pré-constituída, qualquer matéria pode ser alegada pela via de exceção.FIM.
A execução fiscal judicial para a cobrança de dívida ativa da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e suas autarquias é regida pela Lei número 6.830/80, aplicando-se subsidiariamente, o Código de Processo Civil conforme o artigo 1º da Lei de Execuções Fiscais. Sabendo que um dos princípios gerais de uma execução e a possibilidade da defesa por parte do executado.Assim, temos os embargos do devedor (embargos à execução) previsto no artigo 16 da lei de lei de Execuções Fiscais que prediz.⇒ O executado oferecerá embargos, no prazo de 30 (trinta) dias, contados:§ 1º - Não são admissíveis embargos do executado antes de garantida a execução.Então, em 30 dias, devem ser oferecidos embargos a contar da data do deposito, juntada aos autos da prova da fiança bancaria, seguro de garantia da data de intimação da penhora efetiva em garantia do juízo.O executado deve estar atento a esse prazo para então exerce esse meio de defesa. Na sua aplicação, o executado pode abordar toda e qualquer matéria de defesa, de acordo o artigo 745 do Código de Processo Civil.Lembrando, que na Constituição Federal consta a possibilidade de defesa do executado (princípio do contraditório) e da ampla defesa na realidade da execução, no artigo 5º, LV, que prediz:⇒ Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:LV - Aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;Os legitimados ativos são os previstos artigo 4º, da Lei de Execução Fiscal.Quanto a chamada exceção de pré-executividade constitui uma oposição do executado contra a execução. É a forma do executado interferir no andamento do processo informando ao juiz de alguma barreira no prosseguimento do mesmo.Este procedimento está embasado na doutrina e na Jurisprudência e não há um dispositivo normativo estabelecendo esta modalidade. Seu uso não está atrelado a garantia em juízo, pelo fato de possivelmente haver um problema sério que impeça o andamento do processo. Fato este de tal importância que tornaria desnecessário a garantia.Importante ressaltar que, apesar da pré-executividade não haver dispositivo normativo, esta forma pode ser enquadrada no princípio do contraditório e da ampla defesa previstos, conforme o artigo 5º, LIV e LV, da Constituição Federal que prediz⇒Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal;LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;A exceção de pré-executividade sofre constantemente modificações e aumenta as possibilidades de cabimento e torna-se possível que quando exista prova pré-constituída, qualquer matéria pode ser alegada pela via de exceção.FIM.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes