A maior rede de estudos do Brasil

O principio da Imperatividade e o principio da irrenunciabilidade, ambos tambem são chamados indisponibilidade, apesar de ser principios distintos.

alguem pode me explicar pfvr?


3 resposta(s)

User badge image

Renato Viana

Há mais de um mês

O Princípio da Imperatividade das normas trabalhistas, estabelece que as normas que regem relação de emprego sejam obrigatórias, não podendo haver transações, renúncia em relação a essas normas ou direitos trabalhistas, artigo 9º da CLT:“ Serão nulos de pleno direito os atos praticados com o objetivo de desvirtuar, impedir ou fraudar a aplicação dos preceitos contidos na presente Consolidação.” Portanto, o empregador não poderá tentar ludibriar a Lei, criando situações com má-fé.

Já o Princípio da Irrenunciabilidade dos Direitos Trabalhistas, é a impossibilidade que o empregado tem em renunciar, voluntariamente, garantias e vantagens que são seus direitos. Artigo 468 da CLT:“Nos contratos individuais de trabalho só é lícita a alteração das respectivas condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem, direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da cláusula infringente desta garantia.”

O Princípio da Imperatividade das normas trabalhistas, estabelece que as normas que regem relação de emprego sejam obrigatórias, não podendo haver transações, renúncia em relação a essas normas ou direitos trabalhistas, artigo 9º da CLT:“ Serão nulos de pleno direito os atos praticados com o objetivo de desvirtuar, impedir ou fraudar a aplicação dos preceitos contidos na presente Consolidação.” Portanto, o empregador não poderá tentar ludibriar a Lei, criando situações com má-fé.

Já o Princípio da Irrenunciabilidade dos Direitos Trabalhistas, é a impossibilidade que o empregado tem em renunciar, voluntariamente, garantias e vantagens que são seus direitos. Artigo 468 da CLT:“Nos contratos individuais de trabalho só é lícita a alteração das respectivas condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem, direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da cláusula infringente desta garantia.”

User badge image

Renato Viana

Há mais de um mês

Ambos são indisponíveis, porque não se podem renunciar ou deixar de existir em uma relação empregatícia.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes