Filme Nacional - Barão de Mauá o Imperador - marketing

Filme Nacional - Barão de Mauá o Imperador

https://img.youtube.com/vi/EX105CnUhOU/sddefault.jpg
A história do homem mais rico o brasil: Irineu Evangelista de Souza (1813-1889), o Barão de Mauá, ou Visconde de Mauá foi um notável empresário, industrial, banqueiro, político e diplomata brasileiro. Foi um símbolo dos capitalistas empreendedores brasileiros do século XIX.O Barão de Mauá nasceu em Arroio Grande, município de Jaguarão, Rio Grande do Sul. Órfão de pai viajou para o Rio de Janeiro, em companhia de um tio, capitão da marinha mercante e, aos 11 anos, empregou-se como balconista de uma loja de tecidos. Passando a trabalhar na firma importadora de Ricardo Carruthers (1830), este lhe ensinou inglês, contabilidade e a arte de comerciar.Aos 23 anos tornou-se gerente e logo depois sócio da firma.A viagem que fez à Inglaterra em busca de recursos (1840), convenceu-o de que o Brasil deveria caminhar para a industrialização. Iniciando sozinho afrente do ousado empreendimento de construir os estaleiros da Companhia Ponta da Areia, fundou a indústria naval brasileira (1846), em Niterói, RJ, e, em um ano, já tinha a maior indústria do país, empregando mais de mil operários e produzindo navios, caldeiras para máquinas a vapor, engenhos de açúcar,guindastes, prensas, armas e tubos para encanamentos de água. Da Ponta da Areia saíram os navios e canhões para as lutas contra Oribe, Rosas e López. A partir de então, dividiu-se entre as atividades de industrial e banqueiro.O Barão de Mauá foi pioneiro no campo dos serviços públicos: fundou uma companhia de gás para a iluminação pública do Rio de Janeiro (1851),organizou as companhias de navegação a vapor no Rio Grande do Sul e no Amazonas (1852), implantou a primeira estrada de ferro, da Raiz da Serra a cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro (1854), inaugurou o trecho inicial da União e Indústria, primeira rodovia pavimentada do país, entre Petrópolis e Juiz de Fora (1854), realizou o assentamento do cabo submarino (1874) e muitas outras iniciativas.Em sociedade com capitalistas ingleses e cafeicultores paulistas, participou da construção da Recife and São Francisco Railway Company, da ferrovia dom Pedro II (atual Central do Brasil) e da São Paulo Railway (hoje Santos-Jundiaí).Iniciou a construção do canal do mangue no Rio de Janeiro e foi o responsável pela instalação dos primeiros cabos telegráficos submarinos, ligando o Brasil à Europa.No final da década de 1850, o visconde fundou o Banco Mauá, MacGregor &Cia, com filiais em várias capitais brasileiras e em Londres, Nova Iorque,Buenos Aires e Montevidéu.Liberal, abolicionista e contrário à Guerra do Paraguai, forneceu os recursos financeiros necessários à defesa de Montevidéu quando o governo imperial decidiu intervir nas questões do Prata (1850) e, assim, tornou-se persona non grata no Império. Suas fábricas passaram a ser alvo de sabotagens criminosas e seus negócios foram abalados pela legislação que sobretaxava asim portações.O Barão de Mauá foi deputado pelo Rio Grande do Sul em diversas legislaturas, mas renunciou ao mandato (1873) para cuidar de seus negócios,ameaçados desde a crise bancária (1864). Com a falência do Banco Mauá(1875) o visconde viu-se obrigado a vender a maioria de suas empresas acapitalistas estrangeiros. Doente, minado pelo diabetes, só descansou depois de pagar todas as dívidas, encerrando com nobreza, embora sem patrimônio.
@marketing UNINTER

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!