A maior rede de estudos do Brasil

Aula 6.3   Extinção do contrato   Rafael Tonassivideo play button

Transcrição


Olá pessoal. Bloco três Vamos começar nosso bloco três Falando da indisciplina e da insubordinação, terminamos o bloco. Dois falam da embriaguez, mostram na diferença de embriaguez e serviços para embriaguez habitual. Vamos para a indisciplina e insubordinação você em sua prova. Quando que você marcaria indisciplina, Quando que você marcaria, Insubordinação medida a professor. Ou seja, são seis apreendido a faculdade, o não cumprimento de ordens indisciplina até aí nada, porque insubordinação também o não cumprimento de ordens. A questão é que tipo de ordens que estão sendo descumpridas se o empregado está descumprindo uma ordem prevista no regulamento interno da empresa, uma ordem geral, ele é inseminado aquele empregado que, por exemplo, vem da aula comendo uma ação, quando na verdade, o regulamento interno não permite que você atenda comendo uma ação. Vendedor. Ele está sem uniforme, ele está fumando no ambiente de trabalho. Ele está comendo no ambiente de trabalho. Ele está falando ao celular, no ambiente de trabalho. Não que isto seja proibido apenas a ele É proibida. Todos são normas de conduta para o bom relacionamento na empresa e aquele empregado a rebelde não se adequar às normas gerais. Então se aprova, trouxer, uma hipótese em que ele não cumpre as normas gerais. O exemplo clássico é fumar no ambiente. Serviço quando fumar é proibido no ambiente. Serviço Ele deve ser dispensado por indisciplina. Agora, todavia, contudo, entretanto, se o descumprimento da ordem não é algo genérico, abstrato e personalíssimo, você deu um pulo lá no outro setor e pegue a pasta com o relatório. Por gentileza, não vou coisa nenhuma que hoje eu não estou a fim de trabalhar. Vou ficar aqui, no meu Facebook falando que os meus amiguinhos, como é que eu vou ter um contrato de trabalho, de uma pessoa que se recusa a cumprir uma ordem direcionada a ele, uma ordem ilícita. Você pede para a sua empregada doméstica fazer frango? Ela fala não. Hoje não vou fazer frango ou carne, Eu quero comer carne, não falamos aqui em casa. Nós vamos comer frangos. Não, eu faço que eu quero, todos jogando de franco mil ontem na minha casa. Hoje eu vou fazer bife à milanesa que para todo o mundo, como é que você mantém uma empregada dessa coisa, que tem empregada abusada? Tem empregado aqui quase que manda na casa há tantos anos, lá que ela manda na casa, mas não tem como manter. Um dos pilares da relação de emprego é a subordinação. Um dos pilares da relação de emprego é a subordinação. Como que a empregada se recusa a cumprir uma ordem? Se isso acontece, é subordinada pelo fato de ser subordinada, ela pode sim ser dispensada por justa causa, então a insubordinação o motivo para esta causa e a indisciplina também. Só ter cuidado para não confundir uma com a outra disciplina é o descumprimento de ordem gerais. É aquele cara rebelde. Insubordinação é o descumprimento de uma ordem direta. É aquele cara que tem um dia de fúria. Lembra do filme Um Dia de fúria? Ele é subordinado. Olha sua tela, então deixamos para trás ato de indisciplina e ato de insubordinação. Por último. Por último, no último ultimo dessa tela o abandono de emprego, esse é fácil. Não tem como você confundiu com outra hipótese O empregado foi viajar com os amigos, foi para Morro de São Paulo para a Ilha do Mel, no Paraná, para Ilha Grande, no Rio de Janeiro, em um local paradisíaco. Deixe eu sou fã de Morro de São Paulo. Quem não conhece deve conhecer. Para mim é um dos lugares mais belos do país. Disputa na minha concepção, com Fernando de Noronha. São belezas distintas, melhorar uma beleza mais natural, agora, morro charmoso de mais. Eu sou fã demais, determinado feriado, ele não se apresenta ao trabalho. Já passou uma semana que ela tinha que se apresenta para trabalhar e não passou. Ele faltou três, quatro dias. Um exemplo. Quando chegar, vai ser suspenso por conta dessa irresponsabilidade, ter faltado ao serviço por quatro dias é que morro de São Paulo estava bom demais. Quase que ele não volta a ficar lá por lá. Só que pensem comigo. Já se passaram dezessete, dezoito, vinte dias ele não apareceu. Vou ser sobe pela boca miúda, que esse cara já não toma banho. Já os quatro dias fez dreads no cabelo. Está trabalhando num bar, está morando com uma gringa que estava de férias lá também alugar uma quitinete, Já se passaram trinta dias. Ele não apareceu, ainda que não tenha dito nada ainda que eles não têm escrito nada. O que ele quis dizer com essa conduta? Ao não comparecer para trabalhar e ficar morando em morro de São Paulo. Mesmo calado, ele gritou com todas as suas forças. Eu não quero mais a vida no mundo moderno. Eu não quero mais trânsito, não quero mais fumaça. Eu não quero discussão por causa de dinheiro. Eu quero viver com pouco aqui em morro de São Paulo e ser feliz. Ele quis trazer para você a intenção em abandonar. É um ânimo, abandonando a intenção de abandonar se configura quando o empregado faltar o serviço por mais de trinta dias de forma injustificada, o empregado faltar o serviço por mais de trinta dias de forma injustificada, configurou o ânimos, abandonou antes, Está na súmula trinta e dois. Olha o que diz Presume se o abandono de emprego se o trabalhador não retornar ao serviço no prazo de trinta dias após a sanção do benefício previdenciário, nem justificar o motivo de não fazer se ele faltou por vinte dias em uma prova objetiva, não aplique o abandono de emprego, aplica desídia ou abandono de emprego. É uma prova de uma caixa e você só vai fazer se a falta for superior a trinta dias. Sabe que eu lembrei a que agora lembrei que eu tinha me comprometido, que vocês, de começar o bloco três com violação de segredo da empresa e acabou que eu por lei, violação, seguia da empresa, já estava marcado. Ali eu achei que tinha dado. Vamos voltar então a violação de segredo da empresa. Apesar de eu ter pulado, devo reconhecer para vocês que não é fazer falta nenhuma, porque eu nunca vi, em toda história uma pergunta sobre violação de segredo da empresa. Porque a resposta ela é lógica, o que é uma conduta quando que o empregado é mandado embora por violação cerca de empresa, quando ele viola o segredo da empresa. A interpretação literal não precisa ser um estudante de direito para ter acertado isso. Quando o examinador faz uma questão, ele quer saber onde você conhecimentos, Ele quer fazer uma questão em que haja uma certa dubiedade para que você fique confuso aprovação. Seguida da empresa, tão simples. Tão simples que todos, sem exceção todos os candidatos, não acertar a questão. Ele narra que o empregado, por ocupar um cargo de gerência, tinha acesso a determinadas informações e passa essas informações para outra empresa para se locupletar de alguma vantagem pessoal que pode justa causa. Essa violação de segredo da empresa seria fácil demais. Então, lembra, nunca caiu uma questão em prova sobre violação séria da empresa. Mas se cair a interpretação literal são os casos clássicos aí, de espionagem industrial. Por exemplo, voltar aqui, voltamos aqui, temos uma violação. Seria da empresa? Passamos por abandono de emprego. Sumula trinta dois, o teste é o que se configura os trinta dias e vamos para o jogo ato lesivo da onda boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa ou ofensas físicas nas mesmas condições, salvo em caso de uma defesa própria ou de outrem. O que isso quer dizer? Vou resumir para vocês em uma palavra borrada. Você chega no restaurante para comemorar o aniversário da sua mãe com toda a sua família. Quando você está entrando com sua família tem dois garçons caindo na porrada. Mesa viram no chão, bandeja voando, Copa quebrando. É ali que você vai comemorar o aniversário da sua mãe naquele ambiente. Para você parar um hospital para você parar numa delegacia, Não perdi toda a sua família. Faça meia volta, volver e vá para o restaurante concorrente na esquina. Imagino o desespero do dono do restaurante, que investiu todo o dinheiro guardado para montar aquele restaurante e ver os clientes embora porque dois garçons estão brigando não indo embora, Só agora aquele cliente nunca mais vol