Curso de memorização aula 4 - administracao

Curso de memorização aula 4

https://img.youtube.com/vi/6Deb67r3emw/sddefault.jpg
Curso de memorização com 12 etapas e exercícios ao final, veja todo os módulos, o tempo de cada um é de 20--30 minutos, será de grande ajuda para Enem, concursos e provas em geral. Técnicas para memorização são utilizados por estudantes em todo o mundo, não descarte esta ferramenta. A prática desses exercícios pode se tornar automática aumentando assim a eficiência do indivíduo. Com uma lista de supermercado, pode-se fazer associações e relacionar situações engraçadas: A cenoura querendo te comer ou um ovo gigante explode no mercado. Para nome de pessoas lembre de algum traço marcante dela e associe ao nome (Marcos, orelha grande) ou mesmo ao conhecê-la pode-se repetir o nome e sobrenome dela três vezes durante a conversa. Essas técnicas são uma forma de afastar o esquecimento da vida, aprender a prestar atenção nos fatos e até mesmo ser um campeão da memória. É o caso de Alberto Dell' Isola, capitão da equipe brasileira de memória e recordista latino-americano. No início, conta Alberto em entrevista ao programa do Jô, ele tinha uma péssima memória. Muitas vezes ia para a faculdade de carro, esquecia, e voltava de ônibus. Ao chegar em casa, não encontrando o carro na garagem, ligava para a polícia denunciando que havia sido roubado. Assim, ele começou a pensar que deveria haver um jeito de ter boa memória. Ao assistir um video sobre Dominic O'Brien (americano com uma técnica de memorização de cartas de baralho, vencedor oito vezes do Campeonato Mundial de Memorização e ganhador de títulos de Cérebro e Mestre da memória, além de escritor de vários livros sobre a mnemotécnica) começou a se interessar mais pelo assunto. lembrar Ele frequentemente esquecia de coisas simples. Na faculdade Alberto sempre esquecia o livro de um colega em casa. Todas as vezes que olhava para o rosto do amigo, mesmo sem falar nada, recordava do livro. Para não causar maiores constrangimentos sempre se escondia. Então, percebeu haver um gatilho de memória, ou seja, ele identificou que a memória (que o lembrava de trazer o livro) estava armazenada num local que ele não conseguia pegar no momento preciso. Com isso, ele cria uma técnica: associar a porta de casa com o livro, por que era a última coisa que ele iria ver antes de sair de casa. Imaginou o livro comendo a porta. Após praticar as técnicas foi para um cassino tentar memorizar as cartas, quebrando o recorde latino americano de memorização de cartas do baralho. Ao final ainda dá dicas: familiarizar-se com o ambiente para não haver confusões de memória e ver a aplicabilidade da memorização no dia a dia, nos mostra que aprender não precisa ser uma coisa chata.
@administracao ESTÁCIO EAD

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!