Eles se Atreveram — A Revolução Russa de 1917 - historia-conte

Eles se Atreveram — A Revolução Russa de 1917

https://img.youtube.com/vi/OTHsAeo66a0/sddefault.jpg
EM HOMENAGEM AOS 90 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA Um filme realizado por Contraimagem Eles se Atreveram — A Revolução Russa de 1917 O filme "Eles se atreveram" narra a história da maior revolução de todos os tempos, que despertou as esperanças dos oprimidos do mundo inteiro e abriu o caminho às revoluções do século XX. Produzido pelo IPS (Instituto do Pensamento Socialista Karl Marx), o filme assume o desafio de combater as falsificações stalinistas e burguesas sobre a grande Revolução Russa. Enfrenta, por um lado, a história oficial da antiga burocracia soviética que eliminou o protagonismo das massas, os Sovietes e os verdadeiros dirigentes de Outubro; e, por outro lado, a produção de todo tipo de documentários de TV que tentam identificar a Revolução, o Partido Bolchevique e Lênin com a barbárie stalinista posterior. "Eles se atreveram" relata os feitos revolucionários tomando seu nome das célebres palavras de Rosa Luxemburgo em defesa da Revolução Russa: "Não se trata desta ou daquela questão secundária sobre táticas, mas da capacidade de ação do proletariado, sua força para atuar, da vontade de poder do socialismo como tal. Neste sentido, Lênin, Trotsky e seus companheiros foram os primeiros a dar o exemplo ao proletariado mundial. São ainda os únicos que até agora podem gritar: 'eu me atrevi!'." O relato deste documentário foi feito a partir da adaptação de textos revolucionários de Leon Trotsky, Lênin, Rosa Luxemburgo, poesias do genial Maiakovski e outros autores. A base fundamental do roteiro foi "A História da Revolução Russa" de Leon Trotsky, um livro "cinematográfico", como já foi dito diversas vezes. De Lênin, Rosa Luxemburgo e novamente de Trotsky foram utilizadas várias declarações da época, seus balanços sobre 1905. Outros relatos também foram fundamentais, entre os mais importantes: "Os Dez Dias Que Abalaram o Mundo" de John Reed e "A História do Partido Bolchevique" de Pierre Broué. O documentário foi construído com base em uma cuidadosa seleção material de arquivos, documentos e fragmentos do cinema soviético. As imagens documentais foram utilizadas respeitando seu lugar e seu momento histórico. Neste sentido, podemos ver imagens do documentário de Esther Shub, "A Queda da Dinastia Romanov" e centenas de imagens jamais recompiladas em um único filme — a vida do Czar, as jornadas de julho, a revolução de fevereiro a outubro, a guerra civil, etc. Há também cenas de "Entusiasmo" (1930) de Dziga Vertov; "A Greve" (1924), "O Encouraçado Potemkin" (1925) e "Outubro" (1927) de Sergei Eisenstein; "Arsenal" (1928), de Alexander Dovzhenko; "Mãe" (1926) e "O Fim de São Petersburgo" (1927) de Vsevolod Pudovkin, entre outros filmes. A montagem final é complementada com animações russas e soviéticas da época, algumas muito originais. A trilha sonora inclui uma seleção de músicas elaboradas especialmente, muitas das quais de autoria do compositor soviético Dimitri Shostakovich junto com outra seleção de cantos revolucionários russos e populares. A participação especial das vozes de Eduardo "Tato" Pavlovsky e Silvia Helena Legaspi transmite no presente a paixão daqueles acontecimentos históricos que abalaram todo o mundo. "Eles se Atreveram" não foge das perguntas sobre o fracasso da URSS, em seus minutos finais busca dar respostas para compreender o caminho da experiência de liberdade e progressividade dos dias iniciais da revolução à instauração de uma sociedade despótica, chauvinista e contrarrevolucionária sob o bonapartismo stalinista. Esta realização de Contraimagem busca ser uma contribuição à tarefa de transmitir a vigência do socialismo e as ideias revolucionárias aos jovens e trabalhadores revolucionários de hoje. Nos 90 anos da Revolução Russa, o filme reivindica esta grande façanha que influenciou todo o século XX que pode ser resumido em uma frase do documentário: "Recuperar a memória revolucionária para preparar a vitória de amanhã, ou melhor, recuperar a memória revolucionária para amanhã saber vencer". O filme foi estreado no cinema Gaumont de Buenos Aires e foram realizadas apresentações bem-sucedidas em várias localidades da Grande Buenos Aires, na cidade de Neuquén, La Plata, Rosário, Santa Fé, Córdoba, Mendonza, Bahía Blanca, Santa Rosa, San Salvador de Jujuy, "El Alto" e Huanuni (Bolívia), Montevidéu (Uruguai), entre outras. Em um mês reuniu mais de 3.000 espectadores, vendendo centenas de cópias em todo o país. Para solicitar informação, projeções ou adquirir o documentário: www.contraimagen.org.ar contraimagen@contraimagen.org.ar Para solicitar a legenda: marcelo1917@gmail.com
@historia-contemporanea-ii ESTÁCIO EAD

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!