A maior rede de estudos do Brasil

Gestão Atuarial Aula 3video play button

Transcrição


um aluno de todo o Brasil será bem vindo. Será muito bem vinda. Hoje vamos iniciar essa terceira aula que a falar um pouquinho sobre a estrutura do mercado de operador nacional. Saulo igualmente importar Ela nos permite não avançada, muito interessante em relação ao tema para razão muito simples, porque você hoje vai compreender como funciona a dinâmica dos agentes que orbitam nesse mercado Vamos, então Começarei. A nossa escalará muito bem. Na aula de hoje, vamos ver três tópicos importantíssimos. O período da estrutura do mercado internacional, Quais são os principais agentes não funcionaram muito interações para que você veja, foram um pouco mais detalhada, quem são esses agentes e como eles funcionam como seus limites de responsabilidade. Vamos ver, portanto, também ainda é o Sistema Nacional de Seguros Privados, Quem quem é importante que você compreendo, quem a quem? Até porque eu creio que esse quem a quem ele pode ser facilmente cobrado em qualquer prova, qualquer tipo de avaliação de desempenho. E, por último, quais são os componentes do mercado, secretário nacional e suas respectivas atribuições? Porque existem algumas entidades que operam nesse mercado e que precisam ser compreendidas como tal nos, portanto, direto ao assunto muito bem. Eu uma breve explanação para vocês sobre o mercado segurador nacional. Essa será minha casa do aluno, minha querida. Não estou no Brasil, que esses lá especificamente está, está em complemento à matéria que vocês já viram. Não é de aula no ambiente virtual, porque eu entendia que era muito importante que você estivesse uma compreensão da dinâmica desse mercado segurador, porque vocês então entendam o quanto ele é, representa motivo. Primeiro, um bom crescimento na cidade cinquenta no Brasil em relação à participação no Produto Interno Bruto, não vou entrar em detalhes de quanto cresceu quando deixa de crescer. Não seria relevante, mas com certeza há uma evolução muito significativa na operação de seguros, principalmente para aqueles que não não conheçam pesquisa na internet, algo que seja. A partir do momento em que houve o Plano Real, você estabilizou a moeda. Para quem nunca ouviu falar em inflação, ela ela era muito elevada. A partir daí, um nível, uma camada da população que então não tinha possibilidade de compra de seguro, acabou entrando nesse mercado, fazendo com que ele levasse significativamente a sua participação. A gente costuma dizer, no meio comum, mercado segurador que as economias mais desenvolvidas no mundo inteiro tem um setor de seguros fortes. Então, no nosso caso, o desenvolvimento do setor de seguros ele consequentemente leva um país mais sólido, um país mais mais forte, muito bem marcado, também muito maduro. Não se iludam, não tem nenhum roubo operando nesse mercado, nenhum tipo de negócio e tem que ser assim por ser muito risco. Por ter muito controle, por envolver cifras muito significativas, ele precisa ser marcado robusto. Então hoje nós chegamos a um grau de maturidade, Está a ordem em que dificilmente você acaba observando. Incongruências fiscais, em como essas financeiras, relatorias. Nesse nosso mercado, a sociedade em geral. Porque esse setor, a setor bem regulamentado. Ele é muito bem regulamentado. De uns anos para cá, passou a servir como marco regulatório para muitos outros países mundo afora. Justamente porque houve um entendimento do governo. É ponto importante para o desenvolvimento da sociedade e, consequentemente, do país. Então, o marco regulamentou o marco regulamentar dele. Realmente interessante esse mercado, também marcado com muitos agentes e muito competitivo, muitos agentes. Então você vai encontrar centenas de seguradoras, operados em vários vários ramos. Você encontra dezenas de milhares de corretores de seguros. Você vai encontrar centenas de milhares de profissionais trabalhando nesse mercado, o que significa dizer que há uma compreensão da dinâmica dele muito interessante. Por isso é feito um controle um pouco maior, dada a quantidade de agentes envolvidos. Ele tem também um forte marco regulatório. Gente fala forte, marco regulatório, que vai dizer se você tem normas e regras muito rígidas para que você possa então, dar a ficar na frente caso precise que a sua organização seja paga por conta disso? A recessão contábil e o controle vetorial são muito fortes, são muito rígidos e um fato muito interessante nessa colocação, parte atuarial da parte parte contábil. Primeiro, porque são poucos os contadores, que tem um domínio amplo da dinâmica do mercado de seguros. Segundo, que são poucas as pessoas que têm condição técnica, também é de conhecimento da dinâmica de como funciona a gestão setorial. Por conta disso, para ambas as profissões em geral, os salários acertados, mercado segurador são muito significativos, muito profissionais muito bem remunerados, dada a escassez de mão de obra em terceiro e último item. No nosso caso, fica igualmente importante que eu vou pedir para que vocês vejam, e agora nossa, o nosso estágio ele fala um pouquinho do consumidor do consumidor de seguros, o consultor de segundo números anos no Brasil. Especificamente, ele passou a ser um pouco mais consciente dos seus direitos. E, por conta disso mais crítico existe aqueles que dizem que ele é mais chato, não é chato. Via de regra, o consumidor seguros não é um ser chato. Ele alguém que, por conta da facilidade de informação na internet, quantidade de funções disponíveis no ambiente, acabou, de uma forma ou de outra, entendendo que têm uma compreensão na ordem econômica dos agentes, de como funcionam esses, esse tipo de negócio. Esse contexto, portanto, ele passou a ser um pouco mais exigente, mais ou menos. O mesmo exemplo daqueles nossos amigos, quando vão ao médico, já vão com diagnóstico pronto, mediante consulta prévia na internet. A gente, você não tem exatamente aquele quadro clínico para ter que chega nós por conta disso, Profissional, habilitada, que vai dizer que você tenha que você não tem nesse nosso caso é nada. Mas a mesma coisa, o consumidor de seguros. E realmente é, hoje, muito diferente do que era há alguns anos atrás, muito bem. Quando a gente fala em uma estrutura do mercado segurador, que é o nosso próximo. A gente vai observar claramente que existe uma legislação específica na legislação própria e muito rígida. Não não. Se tudo hoje em dia vocês terem uma ideia do grau de importância desse tipo de assunto, normalmente, quando se fala em controle interno, gestão de risco, o que quer que seja a um diretor técnico, não a seguradora numa resseguradora, seja que responde não só pela condição técnica do negócio, mas também mas também o seu patrimônio, caso haja uma concorrência qualquer na questão técnica. Isso significa dizer que a preocupação com a legislação específica é muito grande, muito grande e a partir desse contexto, passou a não ter tantos problemas como tinha anteriormente em relação a esse modelo de negócio. Também compete também ao governo federal formular as políticas necessárias para o bom desenvolvimento desse mercado e ainda fiscalizar as operações do seguro no mercado nacional. E ele faz isso em geral, através da Susepe. Todas essas reguladoras, muito bem riscos diferentes para suponha nomenclaturas diferentes e também das nações diferentes, e também agências diferentes. Então, por exemplo, dizer que não controla segundo saúde que deveria contratar seguro saúde nos, em tese, em comum acordo com a CET. Mas isso não é tão simples quanto parece muito, seguindo aqui, com o nosso conteúdo nosso a abril no bairro. Vamos ver então o que a gente tem de assunto importante em relação ao tema, no abrindo um junto à imagem cheia. Hoje, uma imagem da quadrilha aqui tem um quadrinho muito interessante, que mostra a dinâmica do nosso negócio em relação aos principais agentes desse mercado. Primeiro, todos eles você observa bem nos dos seus raios, meu querido alunos estão subordinados, o Ministério da Fazenda, o ministro da Fazenda, então mudou o ministro da Fazenda. A gente pressupõe que alguns desses agentes mudem os seus gestores, mas é naturalmente