A maior rede de estudos do Brasil

Mercado Financeiro Revisão das aulas 1 a 5video play button

Transcrição


Olá, seja bem vindo à nossa aula de revisão da disciplina Mercado financeiro, eu sou a professora Emiliana. Nessa aula, nós vamos revisar alguns conceitos sobre o sistema financeiro nacional. Falaremos também um pouquinho sobre o funcionamento da economia E porque a necessidade do sistema financeiro nacional para o melhor funcionamento e desenvolvimento das economias mundiais? Vamos conhecer organismos internacionais do sistema financeiro internacional, Essa parte dos organismos internacionais do sistema financeiro internacional. Não falamos durante aula, então peguei um espacinho da aula de revisão hoje para falar um pouquinho sobre ela rapidamente, para que vocês possam ter conhecimento, porque são instituições importantíssimas, que ajudam no funcionamento global do sistema financeiro. Vamos começar a falar, Então vamos falar sobre os agentes econômicos, Eu queria falar um pouco para vocês sobre o funcionamento de uma economia, sobre a necessidade do surgimento do sistema financeiro internacional, a necessidade do surgimento de um sistema de intermediação financeira, a economia, o estudo da economia, ela é é baseado no pressuposto de que, na economia existe escassez de produtos. Existe escassez de recursos dentro da economia. Nós temos um objeto de estudo qual é o objeto de estudo da economia? O que a economia estuda economia, isto da distribuição de recursos de modo a satisfazer as necessidades das pessoas. Então, imagine comigo é um jogador de futebol, Mas que você é um jogador de futebol e que você já tem um. Você trabalha num time, no exterior, você ganha muito bem, seja ganha lá seu um milhão por mês E aí, de fazer uma oferta, você quer trabalhar em tal, Tinha só que você vai para um outro país. Só que você vai ganhar três. Você vai ter que mudar de país, o país acesa um pouco diferente, o país, às vezes, as fundações não muito adequada. Tem que levar sua família fica mais complicado. Será que você aceita A maioria das pessoas? Certamente aceitaria, porque para ganhar três milhões, eu me pergunto o que uma pessoa faz com três milhões, que ela não faria com, Mas as pessoas querem, as pessoas se dispõem até passar por situações não muito agradáveis e sair de uma situação melhor para conseguir um emprego que gere mais recursos, para que você tem uma renda maior. Inicialmente, as pessoas querem satisfazer as suas necessidades e todo mundo tem necessidade de habitação, vestuário, alimentação, mas com tempo as pessoas querem casas melhores carros melhores alimentos melhores. Elas querem ir para o lugar para lugares melhores. Viajada, Você quer viajar pelo Brasil depois que a viajar para o exterior? E assim são seres humanos. Todos maioria. Isso é inerente ao ser humano. O ser humano é o eterno insatisfeito, então ele tem o desejo. Ele tem primeiro as suas necessidades. Depois ele tem os seus desejos e ele quer satisfazer os seus desejos. Como é que ele sabe se faz os seus desejos? Como você sabe se faz o seu desejo de alimentação? Alimentos de vestuário com roupas não é de transporte com veículo Meios de transporte É assim que você satisfaz as suas necessidades comprando coisas, adquirindo bens e serviços. Porém, como é que esses bens e serviços são produzidos dentro de uma economia são produzidos com os recursos naturais. Os recursos naturais são finitos dentro da sociedade. Nós vivemos num mundo em que as pessoas querem cada vez mais, mas os recursos são finitos. Se os recursos não fossem finitos e havia tudo para todo mundo o tempo todo, não haveria necessidade de distribuir os recursos. Todos mundo poderia ter tudo do bom e do melhor não haveria problema nenhum de distribuição. É assim que acontece? Não, não sabemos que não é. No mundo que nós vivemos os recursos são distribuídos. Quanto mais bem distribuídos são esses recursos, melhor É gerenciado. Uma economia, o melhor é administrado uma economia. Se esses recursos são mal distribuídos, isso significa que aquela economia é mal administrada, é mal gerida. É assim que funciona. Baseado no pressuposto é preciso distribuir os recursos, porque eles são limitados. Porque eles são esses casos. Eles têm que ser distribuídos essa distribuição. O ideal é que ela seja cada vez mais igualitária. Mas pode ser que ela não seja. Pode ser que muitas pessoas fiquem com uma pequena parcela da renda e poucas pessoas com sentem muita parcela da renda. Pode ser que uma pessoa ganha uma renda que possibilite economizar, fazer poupança. Pode ser que as suas contas dos seus gastos sejam inferiores ao que ela ganha. Não pode ser. E pode ser que na outra ponta eu tenho alguns agentes econômicos para para os quais falta recursos. Aquelas pessoas que têm uma renda, porém tem conta. Superiores a essa renda, eles não conseguem arcar com as pessoas com então numa conta eu tenho aquelas pessoas para as quais sobra dinheiro. Aquelas pessoas que são as pessoas poupadoras de de e, por outro lado, eu tenho aquelas pessoas para as quais falta dinheiro, aquelas pessoas que são as pessoas, que são as tomadoras de recursos. Então eu tenho superavitários poupadores eu tenho os deficitários tomadores de recursos são os dois lados do sistema financeiro, O Nacional. São os dois lados da intermediação. O que acontece gente, era preciso haver uma maneira de intermediar essa transferência. Se você precisar de dinheiro e ninguém à sua volta, pode te emprestar dinheiro a quem você vai recorrer. Você vai recorrer a alguma instituição que faça isso. Ela pega o dinheiro de quem tem sobrando e distribuir esse dinheiro para pessoas que precisam. Para os deficitários. Então é preciso que exista. É preciso que existam instituições que façam essa intermediação entre poupadores de recursos e tomadores de recursos, porque não é todo mundo que tem tudo vai sobrar para alguns e vai faltar para outros os poupadores, porque eles poupam o seu dinheiro, porque eles fazem investimentos, colocam dinheiro na poupança, aplicam no CCBB, nos fundos de investimento. Eles fazem isso para ter um retorno. O investimento nada mais é do que você abre mão de um consumo presente por uma por um, retorno no futuro. Então, você deixa de comprar. Hoje, pega esse dinheiro, deixa lhe aplicado porque você espera uma recompensa no futuro e recompensa o rendimento. Você espera ter um rendimento se valor que este valor seja corrigido. Você espera que esse dinheiro valia mais? Você está reservando o poder de compra lá para o futuro? Eu quero comprar meu carro, quero comprar minha casa, então vou guardar um dinheiro durante um tempo e lá na frente eu vou, Eu vou ter a recompensa por isso vou ter os juros que eu guardei. Vão poder comprar a minha casa, é assim que funciona, mas enfim, nós temos. Então, nós já falamos até agora sobre os agentes econômicos, os agentes econômicos são as pessoas que fazem parte da economia que tomam as decisões econômicas. São as pessoas ou as instituições que atuam no mercado. Agentes econômicos são todas as pessoas são as famílias, são as empresas. É o governo, todo mundo que está ali tomando as decisões e que fazem o mercado do mercado que ele é. Então, dentro de uma economia, tento do sistema financeiro nacional. Nós temos os agentes superavitários, que são os poupadores. São os indivíduos que não gastam totalmente sua renda com o pagamento de todos os produtos e serviços adquiridos no tempo presente. São as pessoas que pagam as suas contas e que fazem tudo o que precisam no dia a dia. Pagam suas contas, compram o seu alimento, tem o seu lazer, é mesmo assim? Sobra um pouco de dinheiro, são os poupadores. Eles são superavitários, sobra dinheiro dessas pessoas. O que essas pessoas fazem? Essas pessoas pegam esse dinheiro, colocam numa a instituição financeira, aplicam, investem esse dinheiro para guardar esse dinheiro. E tem algum retorno desse investimento. E na outra ponta nós temos os agentes deficitários, que são os tomadores de empréstimo. São os indivíduos que gastam mais do que recebem de moeda, o que faz com que precisem emprestar para compensar o excesso de gastos Presentes. Não são aquelas pessoas que têm uma renda de dois mil reais