A maior rede de estudos do Brasil

Teoria Comportamental Pirâmide de Maslow Fatores de Herzberg Teorias X e Y e Muitovideo play button

Transcrição


Olá. Na aula de hoje nós falaremos sobre a teoria comportamental da administração, também chamada de guerra terrorista, em função da palavra em inglês behavior, que significa comportamento ou conduta e coloca uma nova direção e um novo enfoque dentro da teoria administrativa, a abordagem das ciências do comportamento ao estudar a motivação humana, suas necessidades básicas, definir estilos de administração, caracterizar as organizações como sistemas sociais, cooperativos esses temas de decisões. Assim, a teoria comportamental se preocupa com os processos organizacionais, como o comportamento das pessoas nas organizações e com comportamento organizacional como um todo. Pensando nisso, esse vídeo aborda o estudo do comportamento humano por meio das contribuições, da pirâmide de necessidade de mais do que satisfatório, de Rosberg, da teoria dos dois fatores e dos sistemas de lei que o administrador, ele deve conhecer as necessidades humanas para compreender o comportamento humano e utilizar a motivação como meio para melhorar a qualidade de vida nas organizações. Por isso, é importante que você se aprofunde nesses conhecimentos e descubra a melhor forma para motivar as pessoas nas empresas. Então vamos lá. A teoria comportamental da administração ou teoria behaviorista surge no final da década de quarenta como uma redefinição dos conceitos anteriores e uma forte crítica à teoria das relações humanas. A publicação de O comportamento administrativo por Herbert Alexander Saimon em mil novecentos e quarenta e cinco marca o início da teoria comportamental, que dá ênfase ao comportamento das pessoas dentro do contexto organizacional. A teoria comportamental representa um desdobramento da teoria das relações humanas, porém reformou alguns conceitos dos quais discordavam. Para a teoria comportamental, o administrador deve conhecer as necessidades das pessoas, compreender o comportamento humano e motivar os funcionários. A teoria comportamental introduz ainda a ideia do homem administrativo, um homem que procura uma maneira possível para fazer algo e não a maneira ideal. É excelente o homem administrativo. Procure a maneira satisfatória de realizar as suas atividades e não uma maneira ótima, contenta se com aquilo que está o seu alcance, o que pode ser feito dentro das suas possibilidades. Ao tomar uma decisão, o homem administrativo não procura a melhor decisão, mas sim aquela adequada para o momento. Nos primórdios da teoria comportamental, Chester Barman defende que as pessoas não atuam isoladamente, mas por meio de interações com outras para poderem, juntas, alcançar seus objetivos. Nas relações sociais. As pessoas se influenciam mutuamente. Uma organização de sistemas sociais nacionais somente existe quando ocorrem conjuntamente interação entre duas ou mais pessoas. Desejo de exposição para a cooperação e finalidade de alcançar um objetivo comum. Veja bem a cooperação é o elemento essencial da organização e varia de pessoa para pessoa. A contribuição de cada pessoa para o alcance do objetivo, como é variável e depende do resultado das satisfações e insatisfações obtidas realmente ou percebidas imaginariamente pelas pessoas como resultado da sua cooperação. Já a cooperação é fruto da decisão de cada pessoa em função dessas satisfações e vantagens pessoais. Daí a necessidade de buscar incentivos à cooperação, perceber o que para essa teoria, o administrador precisa conhecer as necessidades humanas para melhor compreender o comportamento humano e utilizar a motivação humana como poderoso, meio para melhorar a qualidade de vida dentro das organizações. Então, para analisar como as pessoas se comportam, é importante que você conheça os estudos da motivação humana. Abrabar, psicólogo e consultor americano, apresentou uma teoria da motivação segundo a qual as necessidades humanas estão dispostas em níveis numa era aqui, a tinha importância e influência nessa área. Aqui das necessidades a pirâmide de Madhu, encontram se cinco níveis necessidades, autorrealização, estima sociais, segurança e fisiológicas. As necessidades fisiológicas são relacionadas com a alimentação só no repouso de abrigo e outras. Esse grupo de necessidades tem a ver com a sobrevivência do indivíduo e com a preservação da espécie. As necessidades de segurança, como o próprio nome diz, estão relacionadas à segurança, estabilidade, busca de proteção contra a ameaça à privação e fuga do perigo. As necessidades sociais são relacionadas à associação. Participação a aceitação por parte dos companheiros, a troca amizade, ao afeto e ao amor. As necessidades de estimação relacionadas com a maneira pela qual a pessoa se vêem, se avalia envolvem a auto apreciação, autoconfiança, necessidade de aprovação social e respeito à necessidade de estados. Prestígio em consideração As necessidades de auto realização estão relacionadas. As necessidades humanas mais elevadas estão lá no topo da hierarquia. São as necessidades de cada pessoas de realizar o seu próprio potencial e de alta das envolver se continuamente ser constantemente mais do que é ouvir a ser tudo o que pode ser. Como nem tudo são flores, a teoria de mais longo ela teve críticas onde vai as pesquisas não chegaram a provar cientificamente a teoria e algumas delas até a revalidaram. Contudo, a teoria de Mazola suficientemente bem estruturada para poder oferecer um esquema orientador e útil para o comportamento das pessoas, Frederick formulou a teoria dos dois fatores para explicar o comportamento das pessoas no trabalho. Para esse pesquisador, existem dois fatores que orientam o comportamento das pessoas nesse ambiente. Conheça alguns exemplos de cada um deles. Os fatores higiênicos hoje extrínsecos, tem a ver com como o empregado se sente em relação à empresa, suas condições de trabalho, salários e prêmios de produção, benefícios e serviços sociais com as políticas da organização e também com as relações com a chefia e os colegas. Já os fatores motivacionais ou entre físicos tem a ver com como o empregado se sente em relação ao cargo. Por exemplo, o trabalho é sempre o mesmo. Como está A sua realização pessoal tem reconhecimento no trabalho Progresso profissional responsabilidade sintetizando fatores higiênicos. Dois Treze músicos estão relacionados ao ambiente ou as condições de trabalho controlados pela empresa e não pelo indivíduo. Quando ótimos, evitam a insatisfação, mas não são suficientes para causar satisfação por muito tempo. Exemplo Salários Estilo de chefia Condições físicas de trabalho, políticas e diretrizes da empresa. Clima organizacional e outros fatores. Os fatores motivacionais ou entre físicos estão relacionados com que um indivíduo faz onde desempenha, portanto, aquilo que está sob seu controle, quando ótimos, provocam satisfação. Quando precários inibem a satisfação, envolvem sentimentos de crescimento individual, reconhecimento profissional e autorrealização. Exemplo o desejo de conquistar um cargo de direção, uma promoção ou até mesmo o reconhecimento do gestor. A principal aplicação dessa teoria é que uma concentração dos fatores de higiene apenas pode impedir a insatisfação no trabalho. Os fatores higiênicos e motivacionais são independentes e não vinculados. Para que os empregados fiquem plenamente satisfeitos e obtém um desempenho melhor que os padrões mínimos, é preciso incorporar motivadores ao trabalho. Por isso resguarda. Entende que, para propiciar continuamente a motivação no trabalho, é preciso o enriquecimento de tarefas. Mas o que seria um enriquecimento de tarefas? O Diabo é o investimento que consiste em uma constante substituição de tarefas mais simples, elementares do cargo por tarefas mais complexas, a fim de acompanhar o crescimento individual de cada empregado, oferecendo lhe condições de desafio de satisfação profissional no cargo. Segundo, para sem garantir a motivação continua no trabalho, é necessário o enriquecimento contínuo do cargo, onde as tarefas que pode ser vertical, como acréscimos de tarefas mais complexas ou horizontal, com o acréscimo de novas tarefas com o mesmo grau de dificuldade ou