A maior rede de estudos do Brasil

Transcrição


Então, a gente falava sobre a competência na competência, tem causas de modificação dessa competência. Vamos revisar que eu disse que só é possível na competência relativa esses dois casos em que estão modificando a competência que a lei havia estabelecido até quatro casos. À parte, ela, elas, partes as partes, elas fazem um acordo, fazem o foro de eleição ou a parte não apresenta, à exceção de competência que ela deveria ter apresentado nesses dois casos. Conexão e continência. Aqui, não conhecendo a continência, morreu nesse processo, no juízo, que a gente chama de juízo, prevento. Para evitar decisões conflitantes, imagine que ajuizar uma ação contra uma determinada empresa, que eu digo que quando ela publicou a matéria, por exemplo, corre Brasiliense causou dano moral, tendo, como o Brasiliense causado dano moral, o juiz, essa ação que corre na décimo Vara Cível de Brasília, Tempos depois, a Rede Globo Pública, a mesma matéria me causa dano moral. Agora, uma juíza, uma segunda ação, mas é relativo ao mesmo tema. E essa segunda ação vai para a mesma Vara Cível. Décimo Vara Cível A ideia é evitar decisões conflitantes, evitar que um juiz diga que tem dano moral e outro juiz diga que não tem a súmula. Dois três cinco vai estabelecer para a gente que só é possível fazer essa reunião. Só é possível reunir se ainda não têm sentença no processo. Se um deles já tem sentença, não precisa reunir bom. Disse que essa reunião ela pode ser de ofício pelo juiz ou a requerimento das partes. O autor faz um requerimento da distribuição, é atribuição por dependência Artigo dois cinco três, inciso primeiro, e pode também fazer por simples expedição. Se é o réu, o réu traz preliminar de contestação que o artigo Trezentos e um lá na contratação dele tem que abrir um tópico para falar dessa preliminar, ou então ele pode fazer por meio de cinco a expedição sempre expedição. Então aí você vê os artigos que trata exatamente da conexão da continência. Fala que o juiz ordena reunião dessas ações propostas para que sejam julgadas simultaneamente. Elas são reunidas como este disse no Juízo Prevento, A questão é saber qual é o juízo Prevento. A gente sempre vem analisando que o juízo Prevento é aquele que determina a situação válida. Nós não é tão simples assim porque o desenho dezanove diz a citação válida torna, prevendo o juízo. Essa informação que a gente tem citação válida torna prevendo o juízo. Ótimo, só disse isso. Só que o artigo cento e seis também fala disso. Ele falou com recém separado, ações conexas perante juízes, que têm a mesma competência territorial. Considera se, por evento, com os euros, prevendo aquele que despachou em primeiro lugar. E agora? Como é que fica? Vale o despacho? Ou vale a citação válida? Qual é o critério? Agora que eu tenho que observar professor, você vai observar os dois. Você vai ter o cuidado com o seguinte aqui em cima. Além disso, correndo em separado ações complexas perante juízes, que tem a mesma competência territorial a mesma competência territorial. Então você tem duas ações em Taguatinga, duas ações do Gama, duas ações em Goiânia, duas ações em São Paulo, duas ações em Belo Horizonte a mesma competência territorial Aí vale esse despacho. O que eles dizem? Que o despacho liminar positivo? O despacho liminar positivo, é aquele que o juiz manda citar ao réu, É o seguinte Se cite se o réu manda citar e aqui no caso de baixo, em dois cem dezanove, é justamente quando não foi o caso de cima, aquele seu dia a dia, juízes com competência territorial diversa, se são o juiz com o governo em setorial, diversa, vale a situação. Então, tem uma ação em Brasília e tem uma ação em Goiânia, a primeira que vão colocar assim. A primeira está em Brasília ou a ação A está em Brasília e a ação está em Goiânia. Ação em Goiânia. Ação essa história. Se eu tenho uma ação em juiz, convidem setorial? Diversa, vale a efetiva situação. Há dados que o cara foi citado, recebeu a cartilha do correio, recebeu o mandado oficial de justiça. Fiz um esquema da situação, valia duzentos e dezanove já havia trabalhado. Você precisa saber isso, construí, mora, interrompe a prescrição esses casos, ainda que o juiz seja incompetente, quando estou em continência, está aí uma explicação, ouvindo que seja a sumula juízo. Prevento a história de que a gente falou a conexão. A lei diz reputamos complexas duas ou mais ações quando eles for comum, a causa de pedir a causa de pedido. Ou então a gente, o objeto, que são os pedidos, Segundo conhecidos, mais ações, contradição como hóspede ou objeto. Se há ou coloquei aqui também a continência de disse. É uma ação com mais requisito, é maior, é a palavra. Os autores dizem que ela é um tipo especial de conexão, é um tipo especial de conexão. Então, aquilo precisa de partes iguais. Também vou precisar de causa de pedido igual. E também o objeto de uma ação é mais amplo que o objeto da outro objeto de uma ação É mais amplo que o objeto da outra. Veja que, por esse simples fundamento, essas causas já seriam reunidos, ou seja, todos dizendo que competência não precisa continência, continência. Não precisam estar em sua gestão. Não só está na lei, mas eu sequer existir porque elas já seriam reunidas pela conexão. E a gente vai falar de conflito, de competência porque o juiz está dizendo que é competente outra dizendo, quer também ou vista dizendo que não é competente. Outra dizendo que também não é então positivo. Quando dois juízes querem julgar a causa positivo, tome nota quando dois vezes querem julgar a causa negativo. Quando ninguém quer julgar a causa, você acha isso no artigo? Cento e quinze? Cuidado que eu sempre quis ser preciso um e dois, inciso três. O três nada mais é do que uma repetição do mundo. Dois. Quem suscita esse conflito? O conflito de competência, olha quem suscita, pode ser o próprio juiz de ofício Olympe. Ou as partes. Aqueles vão fazer por edição. Aí a lei diz para a gente que o MP é sempre ouvido aí a prova do emprego. Eu sempre ouvido apenas aqueles aqueles conflito sustados por ele. Até na até, No conflito solicitado pelo próprio MP, ele terá de ser ouvido sobre as pás. Além disso, quem apresentou exceção de incompetência, à exceção de incompetência, quem apresentou essa exceção não pode. Não pode apresentar o conflito que apresentou. A estação não pode a apresentar conflito. Conflito de competente Você tem estrutura, a explicação cuidado em frente. Ele é ouvido em todo Estado e a parte que apresentou a extensão na verdade, o marido. E diz que é por submarinos. Diz que quem tiver alegada incompetência não pode apresentar em um procedimento da lei você suscita isso? O presidente do Tribunal presidente distribuiu o relator. O relator pede informações ao juiz da causa. Depois, abre prazo para efeito. Depois, levo feito a julgamento e três observações de mulher. O relator. Ele pode determinar que um processo fique parado se o conflito for positivo, porque todo mundo quer jogar eu quero quero quer parar até que eu resolvi no conflito, que é positivo e negativo. Ele sempre tem que designar um juiz para resolver medidas urgentes E o tribunal, quando julga isso, ele se pronuncia sobre a validade dessas medidas urgentes adotadas pelo juiz que foi designada o artigo fala do conflito. A história do europeu é ouvido em todos os conflitos. Todos todos, todos, todos, tem. A qualidade de parte daqueles que designa não pode se dar ao governo a parte que o Brasil oferece, à exceção de competência. Esse artigo final que a gente falou das observações, você tem tudo isso para você dar uma revisada. Gente, muito obrigada, tenho fé que vai dar certo. Vá com calma e leio material. Tem muitos detalhes. No próximo Rio, a gente trata de jurisdição a ação, e aí tá acabando já depois falamos de princípios, muito obrigado a todos, tenham fé, vai dar muito certo. Muito certo mesmo. Vá com calma, persista, você é capaz de um abraço