A maior rede de estudos do Brasil

CSp3_0149video play button

Transcrição


esta é a nossa segunda aula de jurisdição. Jurisdição são vários vídeos em razão da profundidade da matéria. Quem não vamos, vamos, Nós vamos agora entender as características da jurisdição, a primeira característica da jurisdição. Inércia. Como assim amigo? Você não vai encontrar juiz na rua, perguntando se alguém precisa dos serviços dele, não vai encontrar um juiz. Está no gabinete aguardando que você contrate um advogado, mas não têm condições de contratar um advogado. Tudo bem a Constituição lidar advogado de primeira e prestação jurisdicional gratuita, através da Defensoria Pública qualquer. Mas houve a Defensoria pública, houve advogado, O Estado fica esperando você entrar com a ação para poderão que para poder se movimentar, por isso que a jurisdição é inerte, amigão a jurisdição, porque é porque o direito de ação, que é esse direito de ao Estado e clamar por justiça, é um direito subjetivo, você entra no processo civil, você entra com ação, se quiser. Se não quiser, você não lembra. Você pode pegar a pretensão nunca trazer ao Poder Judiciário, Como vimos na aula passada. Então a jurisdição inet o artigo segundo do Código de Processo Civil. Ele diz assim nenhum juiz prestará a tutela jurisdicional senão quando devidamente invocado, viu devidamente homologado ou você contrata um advogado já ou vai na Defensoria Pública e entre a competição inicial eu já era porque nenhum juiz vai para estar à jurisdição senão quando devidamente invocado, tomem cuidado com isso. A jurisdição é ynet toda a via. Existem alguns casos especiais em que o juiz é que abre o processo, ele inicia um processo, mas isso é possível. É possível sim, mas isso não é a regra, isso é a exceção. Por exemplo, no caso de inventar, você sabia que se na localidade aonde o juiz está como juiz, não houver não houver absolutamente ninguém para abril, o inventário de alguém que morreu? O juiz de ofício determina abertura de inventar, mas amigo isso é exceção, porque a regra é o princípio da inércia. Então ele, se cada característica gera um princípio próprio, já estão matando duas matérias em uma pancada só então a característica inércia vai gerar, por consequência, o princípio da inércia, ou quer uma geral princípio da inércia. E o que é o princípio da inércia é aquela que diz que a jurisdição absolutamente inerte, ela guarda a propositura da ação pela parte que agora tome muito cuidado com isso, segundo a característica da jurisdição secundária. Idade secundária idade O que é a característica da secundária idade acham de injeção em atividade secundária secundária? Por quê? Porque ela realiza aquilo que primariamente as partes deveriam ter feito. Não entendi tudo bem, vamos juntos um pai que tem um filho. Ele, se for um bom pai, não vai colocar dentro de casa o arroz, o feijão, meu amigo. Ele não vai colocar carne a laranja bem which termômetros prevê Eu tenho um filho seu, que isso não vai colocar dentro de casa os alimentos. Na verdade, então essa atividade primária, se eu devo eu tenho que pagar. Ninguém tem que não obriga a pagar não primariamente. Eu tenho que pagar agora em razão da belezinha do pai Não colocar alimentos em casa é que a criança venha juízo, entra com ação. E aí de forma secundária, o Estado vai determinar que se faça aquilo que primariamente já deveria ter sido feito. Por isso que a jurisdição atividade secundária, porque ela realiza o que primariamente as partes deveriam ter feito a terceira característica da jurisdição substituto tividade sobre o instituto tividade, pode ser interessante tomem muito cuidado com isso, porque quando alguém entra com petição inicial, quando alguém entra com petição inicial, eu tenho que entender que ela está trazendo uma vontade para o Estado. Ela está trazendo a vontade de ser indenizada, ela está trazendo a vontade de ter os seus créditos recebidos agora, o Estado vai citar a outra parte, aquele que pode trazer a resistência. E esse vai trazer também uma vontade a vontade de não pagar a vontade de não prestar. E aí o juiz vai analisar, colher as provas e o juiz vai trazer a sentença e a sentença É a vontade do Estado para aquele caso específico. E olhe que interessante a vontade do Estado vai prevalecer sobre a vontade das partes, daí o princípio da Hawker Substitutivo. Idade A característica da substitutivo Idade O Estado, ao julgar, substitui a vontade das partes e se impõe a vontade das partes às partes, querendo ou não Bom para quem ganhou a ação, quem perdeu oito agora que o Estado substitui da vontade das partes, impondo a vontade da lei, isso ele vai fazer. Daí vem um princípio fantástico daqui vem um princípio chamado princípio da. Vi esta idade. Tome muito cuidado com isso dessa característica da substitua atividade vem o princípio da Hawker Inevitabilidade e o que é o princípio da inevitabilidade? Você ao provocar o poder jurisdicional, não pode evitar a atuação dele ele vem ele atua, ele defende e você, autor? Você réu você exequente, vão ser executado Você, requerente vão ser requerido? Vão ser que entrou com um processo de conhecimento do processo de execução. Processo cautelar Você agora não pode evitar a vontade do Estado, não pode evitar a atuação do Estado e vai ter que se subordinar a atuação dele. Daí o princípio da inevitabilidade. Agora vamos juntos, característica da definitividade O que é a característica da definitividade? Quando o estado diz o direito, o estado está dizendo de forma definitiva, você até pode recorrer da sentença, porque na sentença, o juiz decide tudo por uma pode até recorrer, mas vai chegar um momento em que não caberá mais recurso. Bote isso na cabeça não caberá mais recurso, não tem o que fazer, um caberá mais recursos. Eu quero que você entenda, de forma muito clara que, nesse momento, quando não cabe mais recurso, a decisão do magistrado se torna definitiva, gerando o que nós chamamos de ou que com a coisa julgada coisa julgada uma E aí não tem mais o que fazer. O que está decidido está decidido, gerando a coisa julgada material. Então cuidado com o principio cuidado com a característica da define positividade e a característica da imparcialidade. Ah, desculpe ou a secundária idade gera um princípio da um dá tanto faz falar característica. Como princípio, a definitividade gera a coisa julgada e gera o princípio da de dados, que é o princípio da definitividade. O Estado decidirá o lide e resolverá a lide de forma definitiva. Uma hora não caberá recurso e decidirá ali de forma definitiva, isso só a jurisdição faz porque existem outros processos em processo administrativo, tem processo fiscal, meu amigo, nenhum deles tenha essa característica marcante da definitividade. Agora olhe para cá. Imparcialidade que característica O juiz que julgar a causa tem que ser imparcial? Ele não? Onde está ligado as partes com a causa por nenhum motivo o professor pela mão de Deus. Mas aí o princípio da imparcialidade, porque da característica da imparcialidade vai gerar se o princípio da se a nulidade. Ah, que interessante de cada característica surge um princípio sim para as provas de direito processual civil de segundo grau É o que estamos gravando agora. É lógico que sim, está mais para ir para o que é a característica da imparcialidade do juiz não pode ter ligação com nenhuma das partes, daí imparcial. Um ligado às Farc, mas como eu sei que um juiz vai ter ligação com a parte, como é que eu sei que um juiz vai ter algum tipo de elo com as partes? Existem dois artigos no Código de Processo Civil que você não tem para onde correr além de lei em que decorar que não vai chegar Canto nenhum o artigo cento e trinta e quatro o artigo cento e trinta e cinco Série o artigo cento e trinta e quatro fala de uma coisa chamada de momento e o artigo cento e trinta e cinco fala de algo chamado Sou suspensão. Um juiz só é imparcial se não for impedido ou se não for suspeito, porque se o juiz for impedido, ele é parcial seu juiz for suspeito, ele é parcial. Mas de onde você tirou esta moção? Quando se pega o artigo cento e trinta e quatro dias Assim o juiz não poderá julgar a causa quando for o pai do auto