A maior rede de estudos do Brasil

Direito Constitucional - Aula 11 - Garantias Individuais (Parte II)play_circle_filled

Transcrição


Olá, meus amigos razoável. Duração do processo A razoável duração do processo está previsto no artigo Quinto inciso sessenta e oito da Constituição Federal, que diz o seguinte são assegurados, no processo judicial ou administrativo, a razoável duração do processo. Nós sabemos que essa razoável duração do processo, no caso concreto, e os meios que garantam a celeridade processual. Na verdade, essa razoável duração do processo será sempre, no caso específico, no caso concreto, e não de maneira abstrata. Existe processos que podem demorar anos, que mesmo assim será razoável e processo que se demorar seis meses, avisa arrazoado. Ou seja, a razoável duração do processo será sempre no caso concreto, muito bem. Lembrando que essa razoável será sempre no âmbito judicial ou administrativo. Muito bem passou um olho só. Outra garantia é a presunção de inocência. Lógico, O artigo quinto inciso sétimo diz que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de uma sentença penal condenatória. Você não pode ser considerado culpado, a não ser somente após o trânsito em julgado, de uma sentença penal, condenatória, lógico, para evitar problemas gravíssimos que já aconteceu no Brasil várias vezes. Isso, caso famoso que nós tivemos aqui, caso dos irmãos Naves, Araguari, os irmãos gêmeos que foram condenados. Na verdade foi antes da Constituição de oitenta e oito, mesmo sendo inocente, presumidamente inocente o cara presumidamente, não sei se foi considerado culpado antes de uma sentença penal condenatória. Na verdade é outro exemplo. Nós temos no mundo agora o ministro Tosca do FMI favoritíssimo as eleições francesas. Lá foi acusado de estuprar uma camareira nos Estados Unidos algemado mundo inteiro, acusando o indivíduo. A regra essas senhoras é uma garantia constitucional. Você é presumidamente inocente, ou seja, você não pode ser culpado a não ser somente após o trânsito em julgado de uma sentença penal condenatória, ou seja, de uma sentença que não cabe mais nenhum recurso antes disso. Você presumidamente inocente, é a regra da presunção de inocência. Beleza direito à não autoincriminação é o famoso princípio. Mesmo tempo neto se detergente nem o teu neto se proteger, inclusive um assunto muito importante na verdade o que eu tenho para dizer sobre o princípio do direito à não autoincriminação. Na verdade, ele é um princípio implícito na Constituição. Ele não é um princípio explícito na CEF. Na verdade, você não é obrigado a produzir provas contra assim mesmo nem o teu neto se proteger eu não sou obrigado a produzir provas contra mim mesmo. Na verdade, era uma locução latina maior. Não é esse o princípio do mesmo, tendo sido, até já dizia que você não é obrigado a ficar nu. Você não é obrigado a mostrar sua própria vergonha. Nós sabemos que os romanos eram peritos em tortura e a maior vergonha para um judeu e tal era perder tirar a sua roupa, na verdade, foi um direito conquistado na luta do constitucionalismo da história do funcionalismo, ninguém é obrigado a mostrar a sua vergonha traduzido hoje aos anseios atuais, ninguém é obrigado a produzir provas contra contra si mesmo. Na verdade, você não é obrigado a ajudar a acusação de processar. Na verdade, essa responsabilidade não é só muito pelo contrário. Você não é obrigado a produzir provas contra si mesmo. Diante disso, uma jurisprudência muito importante, que eu entendo que deva cair em concurso público. O recurso especial no STJ um milhão cento e onze cinco mil e meia, que definiu a possibilidade de outros meios de provas para aferição da embriaguez no volante. Na verdade, se hoje esse recurso entendeu que um sujeito que estava dirigindo brasília- alcoolizado e ele não se submeter ao teste do bafômetro. Mesmo assim, foi oferecido denúncia com base em provas testemunhais. O STJ entendeu que o problema estava na legislação. Antiga legislação do artigo Trezentos e dois do CTB do Código de Trânsito Brasileiro entendia que era apenas dirigir veículo automotor sob efeito de álcool ou substâncias de efeitos análogos. Bastava colocar em risco a ordem pública, mas alterar a legislação entender o que se tivesse zero vírgula seis decigramas de álcool por sangue. O sujeito já poderia ser responsabilizado a problemática? Como você consegue responsabilizar alguém? Alguém sem uma prova material? Somente prova testemunhal sem uma perícia. Logicamente, o STJ entendeu no recurso especial cento e onze, que ninguém é obrigado a produzir provas contra si mesmo. E, na verdade, esse sujeito foi inocentado, porque, na verdade, provas testemunhais não são suficientes para condenar o indivíduo. Beleza Outro direito importante é o direito ao silêncio. Isso o preso olha que diz o artigo quinto inciso sessenta e três da CF. O preso será cientificado seus direitos, entre os quais o de permanecer calado. Na verdade, hoje o acusado o acusado tem direito ao silêncio. O acusado tem direito ao silêncio. A testemunha, não. A testemunha tem que falar. Testemunha não tem direito ao silêncio. A testemunha não tem direito ao silêncio. Somente o acusado tem direito ao silêncio Em. Segundo o STF, o acusado, além do direito ao silêncio e cuidado com isso, tem o direito de alegar, ainda que falsamente a imputação de um fato. Ou seja, o acusado tem o direito de mentir, além do acusado ter o direito ao silêncio. O acusado, que é um direito de mentir beleza se deve à pergunta Você deve estar pensando sacanagem. O acusado ficar calado. Uma coisa mais mentir. Segundo o STF, ser inerente à natureza humana. Ou seja, o sujeito tem o direito de não querer ser preço. Foi você que matou ele, matou e jamais eu faria isso. Até gostava do indivíduo, até constava. Ou seja, além do direito ao silêncio, o acusado eu estou falando do acusado. Não estou falando da testemunha. O acusado tem o direito de alegar, ainda que falsamente a importação. De um fato o acusado tem o direito de vinte beleza. Vamos falar de alguns crimes que estão disciplinadas na Constituição Federal. A verdade sobre os crimes estão previstos no código Penal. Só que existe alguns crimes que merece uma repreensão tão forte por parte do Estado que o constituinte achou por bem discipliná los na própria Constituição Federal são os crimes primeiro grupo de crimes inafiançáveis e imprescritíveis. Crimes inafiançáveis que, por mais que passa o tempo, por mais que passa o tempo, se o sujeito tiver dinheiro para pagar, ele vai responder o processo preso porque ele é inafiançável. Ele não responde em liberdade e crimes imprescritíveis. Primeiro grupo de crimes inafiançáveis imprescritíveis ou seja, por mais que passe o tempo, se o sujeito for encontrado, ele vai responder. São crimes inafiançáveis, que não admite liberdade provisória mediante fiança e crimes imprescritíveis que por mais que passa o tempo, o indivíduo será processado. Crimes inafiançáveis e imprescritíveis O racismo e a ação de grupos armados sobre o racismo e a ação de grupos armados são crimes inafiançáveis e imprescritíveis. E você, por favor, não me confunda na sua prova racismo como injúria racial, que chegava na prova de direito penal. Isso injúria racial não se confunde com o racismo. Isso, injúria racial é o elemento da injúria pejorativo, honra subjetiva o elemento racial. Não confundir injúria racial com o racismo, o racismo que a Segregação, que é um crime previsto em lei, previsto na lei sete mil sete cem, dezesseis, oitenta e nove, é um crime inafiançável e imprescritível. A injúria racial não prescreveu com errado. Com isso, cuidado com isso. Não confunda racismo e à ação de grupos armados não pode fazer uma professora pessoal. Conta que é um caso real. Não sei ou sequer do Rio Grande do Sul. Não sei se é verdade ou não. Sei se admita isso. Conta se uma história no Rio Grande do Sul com a professora. Estava dando aula, uma turma, muitos alunos que, assim, até sexta série, quinta série, crianças pequenas, lá, pré adolescente ainda E a professora falou sim, a partir de hoje, aqui, na minha sala, nós não temos mais negros em bancos. A partir de hoje, todo mundo amarelo entendeu na todo amarelo. Por gentileza os amare