A maior rede de estudos do Brasil

Direito Constitucional - Aula 25 - Poder Judiciário (Parte VI)play_circle_filled

Transcrição


Olá, meus amigos, vamos lá, dando continuidade nosso. Surge competências do Poder Judiciário. Já falamos aqui das competências da Justiça, do Trabalho, da Justiça Eleitoral e agora as competências da Justiça Militar. Isso a Justiça Militar, da União, a Verdade, a Justiça Militar, que também pode ter como sinônimo de justiça castrense, na verdade castrense, difícil, militar quando eu falo e justiça militar da União, dos Amigos eu estou falando aqui na Justiça Militar no que diz respeito ao Exército. Com isso exercitou marinha, aí Aeronáutica, a Aeronáutica, a Justiça Militar da União, Exército, Marinha e Aeronáutica. O artigo cento e vinte e quatro diz o seguinte A Justiça Militar compete processar e julgar os crimes militares. Cuidado, crimes que estão definidos, aonde em lei e que lei poderia ser. O Código Penal Militar decreto lei na verdade, é um decreto lei. O Código Penal Militar define os crimes militares muito bem. Olha só uma observação extremamente importante a competência exclusiva penal. Ou seja, a Justiça Militar só julga crime, tem uma competência exclusivamente criminal penal. Quer dizer que a Justiça Militar não julga, não tem natureza civil, diferentemente Justiça do Trabalho sociável, Justiça eleitoral, criminal e cível e a Justiça Militar só julga crime. A Justiça Militar tem uma competência exclusivamente penal, isto é, não julga nenhuma matéria, não terá civil ou administrativa disciplinar. Paralelo só tem natureza de crime grave isso grave dessa observação, faça um rotular. Chinela, coragem, meus amigos, coragem, competência exclusivamente penal, isto é, não julga nenhuma matéria não penal. Ou seja, não julga nada relacionado à esfera cível ou disciplinar. Uma outra observação importante é que a justiça castrense, mesmo não jogando, não tem natureza civil. Ela poderá julgar um civil. Ela poderá jogar um civil, um particular cuidado Além da julgar o militar que comete crime militar definida em lei, ela pode julgar também um civil que cometeu um crime previsto na legislação militar. Um grande exemplo é um crime contra o patrimônio militar. Imagino civil que vai lá em estrada uma viatura militar, o indivíduo que vai lá e furta algo militar. Na verdade, a competência, patrimônio militar, a competência. Você cometeu um dano, mas o dano, mesmo no sentido, o crime e o furto contra o patrimônio militar, essa competência também da Justiça Militar, contra a ordem administrativa, militar e etc. A competência poderá também ser da Justiça Militar. A nossa observação está muito importante que disse que a Justiça castrense poderá julgar civil, no exemplo de crime contra o patrimônio militar, crime contra a ordem administrativa, militar e etc. Agora, só atenção, cuidado. Preste bem atenção. Nós falamos aqui e Justiça Militar da União, mas é possível criar a justiça militar dos estados. Assim, olha só o que diz o artigo Cento e vinte e cinco, parágrafo terceiro da Constituição Federal, com cuidado, você está com a sua constituição. Aí grife também na sua constituição, Artigo Cento e vinte e cinco, parágrafo terceiro vai dizer que a lei estadual, uma lei do Estado, poderá, mediante proposta, do próprio Tribunal de Justiça do Estado, porque agora nós estamos falando no âmbito estadual, poderá criar a Justiça Militar estadual, constituída em primeiro grau pelos juízes de Direito e pelos conselhos de Justiça e em segundo grau, pelo próprio TJ ou por um Tribunal de Justiça Militar. Nos estados em que o efetivo seja superior a vinte mil já caiu em prova falando que era trinta mil, dez mil integrantes, não vinte mil integrantes, ou seja, pode ser criado tanto no TJ uma Justiça militar ou mesmo ao lado do próprio Tribunal de Justiça TJ Tribunal de Justiça Militar na segunda instância, na verdade faz que fala a construção o Tribunal de Justiça Militar dos Estados que efetivo seja superior a vinte mil, fala que constituirá primeiro grau pelos seus direitos e em segundo grau, pelo próprio tribunal, difícil por um tribunal difícil. Militar pode ser o TJ ou pode ser, está JOTA e na primeira instância e na primeira instância, pode ser um juiz de Direito, um juiz direito qualquer. Isso mesmo pelos conselhos de Justiça, pode ser na primeira instância um juiz militar, um juiz comum. É possível, sim, a criação da Justiça Militar Estadual. Somente nos estados em que o efetivo seja superior a vinte mil, sua efetiva militar for superior a vinte mil, é possível a criação tanto do TJ RJ, quando um juiz militar, juiz auditor, na isso em primeira e em segunda instância. Cuidado com isso. O parágrafo único vai falar o seguinte a lei disporá sobre a organização e o funcionamento e a competência da Justiça Militar, além disporá sobre a organização e o funcionamento e a competência da Justiça Militar. Logicamente, você sabe aqui que é uma lei ordinária. Novamente sobre os códigos a isso parada Fundo fala que a lei disporá sobre a organização, funcionamento e competência da Justiça militar estadual. Sendo assim, terminamos a Justiça Militar e vamos começar o estudo da Justiça comum. Se beleza tranquilo até o nosso próximo encontro. Grande abraço.