A maior rede de estudos do Brasil

Guia da Restituição do ICMSvideo play button

Transcrição


bem vindo ao canal direito para calouros. Neste vídeo, vamos entender o que é a tão falada restituição de ICMS em devido na conta de energia elétrica, o que fazer e onde eu para reaver seu dinheiro pago indevidamente? Primeiro, devemos entender o seguinte o ICMS um imposto legítimo previsto na Constituição que deve ser pago. O que ocorre é que a maneira que estão cobrando errada o ICMS é um imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços. É um tributo estadual, com cada estado estipulando seu próprio índice. É pacífico o entendimento e ganharia como mercadoria. E devemos saber também que o Estado não pode fazer nada que não esteja devidamente previsto em lei. Para entender o próximo passo, saiba que ter o é referente à tarifa de transmissão e ter o referente à tarifa de distribuição. A lei estipula que o ICMS incida sobre operações relativas à circulação de mercadorias e serviços de transporte e comunicação. O Superior Tribunal de Justiça já tinha decidido que, para quem se do ICMS sobre a energia elétrica, ela deve ser consumida pelo consumidor. Outros processos ou cursos relativos ao fornecimento de energia não podem integrar a base de cálculo do ICMS. A base para o cálculo do ICMS em sua conta não deve conter a transmissão distribuição encargo apenas o consumo efetivo em impostos. Caso você se pergunte Sim, você paga o imposto sobre o imposto de transmissão e distribuição não configuram circulação de mercadoria. Existe jurisprudência sobre o assunto. Ele tem vivido tudo isso. Vamos lá. A conta de energia elétrica é formada por transmissão, distribuição, consumo, encargos, impostos. Isto é inquestionável. Porém, não é sobre todos que devem ser aplicadas ICMS e sim apenas sobre o consumo em portos. Aí está o ponto. Eu sei que aos olhos de alguns parecerá pouco, mas você pode pedir o pagamento do valor indevido dos últimos sessenta meses, com correção monetária e talvez em dobro com juros. Então, o ICMS não deveria ser cobrado sobre valores dos encargos de transmissão e distribuição. Esse valor excedente de cobrança, você pode reaver para entender, pegaria uma contra qualquer. Essa é a base de cálculo. Estado em questão significa que pegarem o valor a base e cobrarem mais doze por cento dela no caso deu oito reais e cinco centavos. E foi lá para os detalhes do valor a ser cobrado. Acontece que esta base de cálculo aqui engloba estes valores aqui energia, distribuição, transmissão e encargos, e tributos que deram sessenta e sete onze. Porém, lembra que a transmissão distribuição encargos não deveriam estar nesta conta para a base de cálculo, e sim, apenas no caso a energia e tributos. Aí que está a base de cálculo do ICMS dessa conta não deveria ser sessenta e sete reais e once centavos vezes doze por cento, que deu oito reais e cinco centavos e sim trinta reais e quarenta e seis centavos que vezes doze por cento da área três reais, sessenta e cinco centavos desta conta. O imposto excedente seria quatro reais e quarenta centavos. Você paga assim pela distribuição, transmissão e encargos. Você não deve pagar pelo ICMS em cima deles, você consegue utilizando se unidade consumidora e alguns dados suas sessenta últimas faturas sobre a maneira mais fácil e rápida de se fazer o cálculo deixarem o link para o vídeo do canal, desmistificando o direito onde é ensinado uma maneira muito boa para calcular e aplicar a correção monetária. Agora, que já sabemos de tudo isso vem as grandes dúvidas onde e quais documentos levar bom. Estes casos são de competência da Justiça estadual para ajuizar uma ação Você deve ir no Juizado Especial da Fazenda Pública, nas Varas Cíveis Comuns, nas Varas da Fazenda Pública. Caso você tenha assistido meu vídeo sobre como conseguir assistência jurídica gratuita, você lembrou que o Juizado Especial lá não precisava um advogado para entrar com ações em causas de até vinte salários mínimos mais visado Especial da Fazenda Pública também não precisa. Caso esteja sem confiança, vai até um dos locais indicados para ter uma assistência jurídica gratuita e olhar seu caso. Para entrar com ação, sem precisar de advogado, as regras do Juizado Especial da Fazenda Pública varia de estado para estado. No estado do Paraná, por exemplo, julgam causas de até quarenta salários mínimos. E caso sua causa não passe, os vinte salários mínimos, você não precisa de advogado para ajuizar a ação, basta ser uma pessoa física capaz no Juizado Especial da Fazenda Pública. Pode ser ajuizar ação contra o Estado, o município e autarquias, como Detran RBS. E em outra Casa, outra parte tem um advogado. Você pode obter assistência judiciária de órgão instituído junto ao Juizado, por exemplo, do Núcleo de Prática Jurídica de uma faculdade de Direito do juizado. Você fará o pedido e passará pela Secretaria do Juizado pelo setor de triagem, para orientação sobre o caso. A documentação necessária é importante. Nunca faltaram uma data marcada pelo Juizado e se mudar de endereço avisar imediatamente, pois em caso de falta data marcada, você perderá sua causa. Terá que pagar as custas do local mais indicado para licitar os documentos necessários para ingressar com a ação no próprio juizado. Mas aí vai a lista do que você geralmente vai precisar dos documentos do autor. G, CPF, Comprovante de residência, Declaração de Hipossuficiência, quando for o caso, a sessenta Últimas contas de energia faturas dos últimos cinco anos que você pegou no site da distribuidora Para fazer o demonstrativo de cálculo que você aprendeu no vídeo do desmistificando o direito, os documentos do reclamado, o nome completo, endereço completo, CPF, CNPJ ou se informe no juizado quanto aos demais documentos necessários, pode ser um pouco trabalhoso, mas você economizará até treze por cento com o advogado para recuperar o dinheiro que nunca deveria ter saído do seu bolso. Está em decisão ainda instância superior este caso do ICMS devido. Até o momento, quase todos os julgamentos foram favoráveis ao consumidor e o Estado teve que pagar as cobranças indevidas. Torcer para que nenhuma decisão política seja tomada. Prevaleça o direito do brasileiro, pois como os estados estão quebrados com a corrupção, não estão nem um pouco felizes por cobrar menos impostos ou devolver o excedente. A Justiça não é um bicho de sete cabeças. Basta ligar, perguntar, questionar, ir atrás de algum lugar que se não puderem ajudar, vão informar o lugar que pode. Você tem o direito constitucional de acesso gratuito à Justiça. Faça valer curto vídeo. Inscreva se no canal, compartilho conhecimento, corra atrás do seu direito.