A maior rede de estudos do Brasil

Extensivo Química - Aula 18 - Química Orgânica - Aldeídos - (parte 1 de 1)video play button

Transcrição


fala, galera, beleza. Hoje a gente começa com mais humor do vestibulando. Deveremos hoje química orgânica com o assunto de aldeídos. Nomenclatura. Isso porque o pessoal queria deixar um recado para vocês. Inscrevam se no nosso YouTube, porque só assim você vai ficar a par de todas as nossas novidades. Beleza pessoal, como agir de palco, acreditavam não só agora sobre a visão geral aldeídos, olha só esses carinhas fazem parte das funções oxigenadas, assim como algo que a gente já viu na passada os aldeia dos que só vão apresentar o grupo. Se olha só o que é chamado de grupo for mil e esse grupo for mil, o segundo Ele, por sua vez, é formado por uma Carboni lá o seu dupla e pelo menos um átomo de hidrogênio que está ligado ao mesmo carbono. E detalhe isso numa extremidade da cadeia. Uma outra coisa importante é que a serra aqui pode ser eventualmente um outro gênio feito problema algum ou claro um outro carbono. E nós podemos ter a continuação de uma cadeia carbônica. A gente vai ver mais exemplos disso nos próximos quatros, a nomenclatura desses caras, muito parecida com a nomenclatura dos hidrocarbonetos e o sufixo que os determina ao ao de aldeia do óbvio outra coisa pessoal com relação a sua mobilidade desses carinhas. Os aldeídos de baixa massa molecular vão ser bastante solúveis e a solubilidade claro, vai diminuindo à medida que se aumenta a cadeia carbônica. Porque porque a tendência é que a cadeia seja cada vez menos popular, ou seja, mais apolar, portanto menos compatível com a água, que é uma substância. Como a gente bem sabe polar, vamos lá, gente, nomenclatura a gente sabe, conforme a gente já havia dito pra vocês que o sufixo que determina essa categoria de compostos ao e a composição do nome é bem fácil, basta que o coloque o prefixo e fixo mais alto, por exemplo Olha esse carinho, nós temos um carbono como nós temos apenas um carbono, met ligações simples e como nós temos a presença do grupo funcional que determina o aldeído, ou seja, a presença do grupo for mil, nós vamos ter o sufixo ao. Portanto, nesse caso, meta nao lembrando claro que meta nao é o nome oficial e o PAC? Esse cara vai receber o nome não oficial, ou seja, uma visual de formaldeído. Daqui a pouquinho eu vou falar porque mais do formaldeído aqui, o pessoal que nós temos, nós temos mete apenas ligações simples entre carbonos, presença do dupla ou no final da cadeia. Portanto, é etanol ao que comumente chamado de acetaldeído. E finalmente aqui nós temos o Mette proprio, apenas ligações simples, vamos ter. Então, como nós temos aqui novamente ser dupla em final de cadeia, nós temos o profissional que comumente chamado de próprio na aldeia do que ela era outra coisa importantíssima. Eu falo final da cadeia, mas lógico, a gente sabe que a molécula espacial a gente sabe que esse cara todo esse grupinho pode ser empregado para a esquerda. Então mais correto é quando nós tivermos este grupinho funcional na extremidade da cadeia, nós vamos ter um aldeído tranquilo a gente, Então vamos lá continuando. Agora a gente vai mostrar pra vocês como que a gente dá nome a uma cadeia, um pouco mais complexo, a primeira, coisa a se fazer como vocês sabem, Vocês já estão acostumados a fazer isso Conforme nós vimos do álcool, a contar a partir da extremidade que contém o grupo funcional, então eu vou começar a ver onde está o meu grupo funcional para que logo esse vai ser o meu carbono um. Eu não posso começar da esquerda para direita. Eu tenho que começar da direita para a esquerda Friso da extremidade mais próxima do grupo funcional. Essa é a prioridade na nomenclatura, então nós temos um dois, três, quatro cinco. Percebi então que o grupo metil está na posição cinco Tanto esse metil como esse outro mentiu como são dois metil, nós vamos chamar de de metil como está na posição cinco ambos cinco vírgula cinco ficou então cinco vírgula cinco dimetil e a cadeia principal contém um dois, três quatro cinco seis, portanto é que sanar aula porque nós temos também ligações simples e aqui pessoal. Desse outro lado nós temos novamente esse mesmo cara, só que na representação em bastão. Para que isso, para que você se acostume com essa representação, porque ela é também cobradas nos vestibulares. Olha que legal, nós temos aqui carbono carbono carbono carbono carbono carbono na Pontinha nessa polícia nessa também. Em resumo, quando você tem uma dobra, uma inflexão ou uma extremidade, exceto essa extremidade que representa o dupla homem. Nós temos aqui o oxigênio, nós vamos ter um carbono, então nós temos na cadeia principal um dois três quatro cinco seis carbonos, por isso apenas ligações simples entre os carbonos. Friso Nós temos aqui um dupla na extremidade da cadeia Dica para vocês essa é a forma mais fácil de se identificar um ruído, portanto, ao e claro, na pessoal esses carinhas. Esses dois metidos aqui estão na posição um, dois, três quatro cinco. Como os dois estão na posição cinco, cinco vírgula cinco e como são dois de metil de dois ficou então cinco vírgula cinco dimetil canal continuando pessoal em cadeias fechadas, nós vamos ter a seguinte regrinha Ciclo hidrocarboneto mais carnal do Ido é muito fácil, olha só a que nós temos cinco carbonos ligações simples nós temos então ou se complementando Esse cara nós já vimos quando nós estudamos hidrocarboneto muito fácil, agora pessoal, anexo grudadinho entre aspas. Nesse ciclo pinta ano nós temos um cedo pela org a essa parte vai ser o cara valdeido, ficou então ciclo pintando o cardeal daí do que a mesma coisa. Essa partezinha, sendo pela simples, a gente vai chamar de Carnaval, daí do fica no final e como nós temos um benzeno, adivinha benzeno Carnaval devido esse cara o benzeno Carballido a gente também vai falar porque o devido aqui há pouco. Por enquanto, é bom que você saiba que o nome usual dele bens aldeia muito famoso, continuando pessoal, vão. Então agora a gente vai dar uma breve descrição para vocês os aldeídos. Gente, eu vou ser sincero. Normalmente, os assuntos relativos à aldeia dos não ocupam tanto as páginas dos livros de química. Existem na verdade poucos detalhes que você precisa saber a respeito desses caras regular. Primeiro que os bombeiros de baixo peso molecular normalmente vão possuir o odor forte irritante, como é o caso do meta nao formaldeído que a aldeia do mais simples é a gente violou comece da aula, deixavam estava vocês o meta, nao o formaldeído aldeia do mais simples esse cara quando em solução, ele vai ser chamado de forma informal. Você já ouviu falar, pois é para que serve o formol para a conservação de peças anatômicas, Ou seja, partes de cadáveres. Se você já visitou uma faculdade de medicina ou de veterinária, você já deve ter percebido braços, cabeças e outras partes mergulhadas em um líquido que é meio amarelado o formou em si. Ele não é uma nublado, mas ele fica por causa das substâncias que estão presentes nessas peças, que estão imersas para quem já ficou numa sala cheia de formal. Gente é extremamente irritante, o olho começa a arder, a narina começa a coçar terrível. Além disso, esse nosso amigo formal, ou melhor, o formaldeído, porque o formol é a solução de formaldeído, ele vai ser aplicado na fabricação de explosivos e plásticos, como por exemplo daquele tipo. E olha que legal também nós temos que um aumento da cadeia, o odor vai se tornando mais agradável e para isso tenho dois exemplos. O primeiro é o transferiu para o penal eu não com que aqui, mas não é difícil construir essa cadeia e esse carinho para só é utilizado como essência de canela. Olha que agradável Rubens aldeído, por sua vez que eu já mostrei, inclusive mostrei aqui nesse quadrinho, por falar um pouquinho pra você ficar agora formular ele vai possuir um forte aroma de emendas. Então em pequeníssimas concentrações Rubens aldeído pode ser usado como uma essência de amêndoas e lógico. Existem outras aplicações também, inclusive na área de farmácia. Já o etanol, ao o acetaldeído, é um cara que muita gente conhece. Tem gente que quase convive com as ficará todo dia porque? Porque