A maior rede de estudos do Brasil

Transcrição


e aí tudo na paz! Tranquilão, eu não conto a regra cara quando começa a assistir às aulas esse modo a que ele mais nova que até tanto a regra assim. Pois é, os casos fazem lá, eu venho, não adianta. Me xinga, Área de falei não adianta. Me xinga, muito xingamento, mãezinha deixou aqui. Está lá a culpa na minha. Não estou só aqui de intermediário entre que os criativos fazem nas suas provas. E o que eu tenho que deixar registrado para você então? Então, vamos nessa pronto! Está sempre me avisando os conteúdos. São importantes ou não o conteúdo desse vídeo que é importante para caramba para caramba, assim como foi o meu vídeo anterior. Negação de elogiou. Eu falei que cai muito. Outra regra de negação, que cai para caramba é a regra de negação do coletivo. Se então, o que é que a gente vai ver aqui dentro desse bloco, e que se você tiver realmente antenado com o que estou falando, eu já expliquei essa regra, negação do coletivo se então não foi, só explicou. Não estou aqui com as minhas anotações ou está tudo aqui no esquema, não falou. Nada sobre regras, negação, do coletivo. Se então não já mencionei no bloco anterior, lembra que a gente viu que dava para negar o colectivo é com o coletivo? Se então? Pois bem, aguardo uma regra lá, levou duas a promoção, guardam uma está levando duas. A regra, como se apresentar nesse bloco, teoricamente, não é para ser novidade, é uma regra importante, sempre os fiscais da sua prova. Então ligação bateria, Os três atrizes em dois lados estiver desanimado, então não abra Civil, não volta para assistir esse vídeo que não estiver ligada. Está bom, apesar da sua atenção, que vão acontecer uma situações aqui importante, Então vem comigo, fui a negação do coletivo. Se então minhas redes sociais estão na tela, embora para regras, negação do comércio. Se então é o seguinte a regra da maneira que a gente a gente já viu isso quando eu nego e com sim, Então, eu mantenho a primeira e nega a segunda para negado. Se então com ele vou manter primeiro, nega a segunda, como que eu demonstro isso por tabela, verdade você precisa ver para acreditar uma demonstração disso para você não simplesmente engole a coisa. Então vá lá, construa tabela, verdade disse então que construa tabela verdade de pirão, que você vai perceber que combinações iguais vão gerar resultados diferentes. É por isso que vou poder colocar esse não aqui na frente, porque você vai perceber que o resultado que você obtém para uma combinação na proposição, se então que é o oposto do resultado que você encontra para a mesma combinação como você faz para não, que também é verdade, com quatro linhas monteil rapidinho que você acredita uma outra boa vontade que eu tenho que te mostrar que essa regra que daqui a válida vamos relembrar comigo aqui, equivalência com que é equivalência, Equivalência do Sim, então falei para mim, coletivo se então ele pode ser equivalente a quem ou a qual coletivo aqui fica estranho. O colectivo se então pode ser equivalente à qual outro coletivo? Abrão ao próprio coletivo. Se então isso ou ao coletivo, ou que a regra do Neymar do sim, então parou isso mesmo, então esta aplicar regra do Neymar, nega a primeira, não perca e mantém a segunda, que é o que se organize, é assim mesmo. Tem hora que vai dar um norte, são muitas regras, mas estou com você, então o negócio é o seguinte Eu tenho aqui um sim, então eu transformei se assim, então no coletivo, ou isso aqui é a equivalência. Agora vamos falar numa outra língua. Falar sobre negação foi fiel. Não. Aqui na frente, a negação de CPI. Então, que é claro que ela tem que ser igual, a negação de não pelo que porque essas não são iguais na gente. Então aqui ou a alegação do CPI, então que ela acaba sendo equivalente a negação de não. Pelo que e o que me dá, a negação de não, pelo que eu já sei fazer, isso sabe, foi o que a gente comentou, o nosso bloco anterior olha, negação de conectivos ou negação de coletivo, ou tem a ver com leite da morna? A negação do conectivo? Ou eu nego tudo e troca conectivo ou pelo coletivo? Então eu vou negar tudo que daqui olha, não vai se transformar em pé ou vai se transformar em É. E o que, mas se transformar, não quer? Então, veja aí o que eu acabei de mostrar. Eu acabei de mostrar que a negação disse então que ela é equivalente a negação de não, pelo que que é a mesma coisa que pensam que quando eu nego não pelo que isso que acaba se transformando em pirão, que daí então a gente tira a conclusão da regra do Mané se aqui eu tenho um se então e outros transformar se então não era o que eu faço, eu mantive a primeira, troquei assim pelo neguem a segunda. Por isso que eu fiquei aqui então não quis que é então a minha regra do manejo, então o negócio é o seguinte o que você tem que ter a cabeça é isso que daqui pra lá para cá e se então faz aí seu resumindo os seus mnemônicos, Enfim, você não tem que ter isso que tatuada e na sua cabeça o colectivo em O coletivo, se então eles se relacionam como por negação em si, então não são equivalentes. Lembra se então equivalente do outro o eu se então então em são opostos, Porque e como que o ex se relaciona com, sintam através da alegria do Mané, Então uma lembra que acima o né, É de negação a gente fecha com né? Porque quando falo Sarney marcam Neymar também. A agregação que tem o Enem não é? O Mané fechou com mané negação É isso que se precisa aguardar a cara que vai valer para os dois lados. Está bom doer sim, Então, e do sim, então Proer, Como que esses dois meninos se relacionam por um processo de negação? E como que essa regra, a regra de maneira fechado? Porque com isso está aqui. Eu estou mencionando com vocês o que nós estamos vendo desde dentro desse bloco e parte do que eu comentei com vocês no bloco anterior lá. Eu falei de negação do conselho então e agora tô te dando aqui. Se então, com ele e só para deixar claro, quando eu coloco isso, que olha, ele conseguiu então lembrar que estão, faz e com sintam, assim como vale se então com ele colocar e consegue então sim. Então, com a negação através da regra do Mané, então bora dar uma olhada nos exemplos porque sobre a regra não tem mais o que falar agora tem colocar essa regra em prática. Comentei que pode demonstrar isso por construção. Está pela verdade, pode demonstrar, até por regra de equivalência, que Valencia do se então parou e depois a negação do outro. Enfim, a justi cativa já foram dados agora a gente mostrar como se pode aparecer em prova. E olha que ela entrar entrar com o seguinte dizer que não é verdade. Se Carlos é baiano, então Bernardo não é capixaba, logicamente equivalente. Quer dizer que, logicamente equivalente a dizer que é verdade que olha esse anunciado? Ele está aqui E não é à toa, vira e mexe, aparece em prova e vira e mexe. Não sei se é bem o objetivo do examinador, mas talvez ele consiga até sem querer, o que é fazer com que vários candidatos se confundam na questão. Na dúvida se vai ter que fazer uma equivalente. Ou digo mais nenhuma dúvida Muitos candidatos acabam usando regra de equivalência nessa questão, sendo que não é para vocês utilizarem regra de equivalência na realidade que tem que chamar atenção seguinte. Não menciona isso no bloco anterior. Mas fica que o reforço, todas as regras de negação, eu apresento para vocês aqui no curso. Elas acabam funcionando como regras também de equivalência. Quando eu falo isso para não caiu regras, negação, equivalência, tudo a mesma coisa sim, no final das contas, sim. Moçada tenta entender o seguinte Quando vocês colocam o símbolo de equivalência na representação de uma proposição é como se tivesse na matemática, colocando um sinal de igual. Então, quando eu falo para vocês lá para cá, quando eu digo para vocês, que a negação do sim, então olha o símbolo que estou colocando a que hora esse símbolo da que é o símbolo de igualdade na lógica o cinto de equivalência, só que aqui é como se estivesse falando. Então, olha que a negação de uma condicional é equivalente, há uma conjunção porque eu vou estar com vocês, Fiquem atentos. Então é o seguinte a construção que eu trago para vocês aqui, como