A maior rede de estudos do Brasil

Transcrição


Olá, aluno e aluna! Eu sou professor. Helena deu kiharu e vamos hoje refletir e estudar a disciplina Tópicos da atuação profissional, Unidade um e esta disciplina ela tem como objetivo abordar a educação formal e a educação não formal. É uma disciplina que ela tem uma forte ligação com a pedagogia integrada, porque ela decorre de uma mudança do curso de pedagogia, ao apresentar um alargamento de possibilidades que a pedagogia traz hoje para você, futuro professor. Então nós temos que apontar para você as possíveis áreas de atuação do Pernambuco e para apontar essas possíveis áreas de atuação do pedagogo, nós temos alguns conceitos, algumas palavras chaves importantes que definem as suas possibilidades de atuação, a cultura e as suas derivações. Que adiante nós faremos um detalhamento maior a questão da educação formal e a educação informal, tratada por alguns autores como informal. Mas na verdade, ela significa atuação não formal e à sociedade, Então nós vamos abordar a educação formal a educação não formal. Aqui no texto, ela aparece como informal porque alguns autores tratam a educação formal. A educação não formal, como informal, mas eu vou abordar sempre para você gravar como não formal e o conceito de sociedade. É importante você saber a diferenciação da educação formal, não formal e informal. A educação formal é aquela que você está muito habituado àquela que acontece na escola, num espaço institucionalizado, ela é representada na figura dos professores. O agente é o professor, ele tem um currículo previamente estabelecido. Então essa ação ela certifica. Você sai com uma certificação? Esta é a educação formal, A educação informal todos nós também conhecemos muito, é aquela que acontece no seio da família, no clube, na igreja, nos relacionamentos que eu tenho com o outro, mas são, foi relacionamentos carregados de sentimento, de emoção, de pertencimento. Ela não nos dá nenhuma certificação, ela não tem uma metodologia própria, ela chamada de educação informal. E nós temos a educação não formal, como eu já fiz. A observação para você é fácil mais alguma vez. Alguns autores tratam esta educação não formal e informal. A educação não formal é aquela que acontece em espaços coletivos. Então acontece das organizações não governamentais, nas associações, nos conselhos de escola, presente dentro das unidades. Ela não tem este caráter formal, ela não tem uma metodologia. No entanto, ela tem por trás toda uma proposta política social, cultural, ambiental e que aconteceu especialmente nos séculos vinte e vinte e um. Então, é importante você entender essa diferenciação para perceber que você, enquanto o futuro pedagogo, tem necessidade de conhecer as Inter relações que estão presentes na sociedade e a influência cultural que isso traz para o seu trabalho, enquanto um educador. Então, é importante você guardar esses conceitos chaves, o conceito que nós veremos agora de cultura, o conceito de educação formal e não formal e informal e a sociedade na qual nós estamos viver. Então, aqui, após uma análise de conceito de cultura, diante de grandes abordagens, abordagens sociológicas, antropológicas, nós temos alguns temas importantes que nós teremos que detalhar com você, a questão do relativismo cultural, do determinismo e da diversidade da cultura. Então, estudar a educação significa entender esta visão, que é uma visão eminentemente política. Nós ensinamos aquilo que nós acreditamos, então, estudar a educação e em diferentes ambientes, como nós viveremos nós não estudaremos a educação só sobre o ponto de vista escolar. Nós estudaremos a educação sobre outros aspectos, como, por exemplo, a educação hospitalar ou a educação empresarial. É importante que nós tenhamos um entendimento ampliado de sociedade, de cultura e de educação, então para isso, a gente precisa ter essa compreensão para poder atuar em outros espaços que não sejam só os espaços escolares. Então a palavra cultura. Então agora, nós iremos abordar o conceito de cultura, a palavra cultura. Ela tem uma origem latina que deriva de colo, ou seja, cultivar. E esta palavra, ela também tem uma substituição com o advento do pensamento grego, que vem aí a palavra, a ideia. O que significa então esta cultura, esta ideia de ensinarmos de construirmos coletivamente como alvo ou um conjunto de conhecimentos que deveriam ser transmitidos à criança? Então vejam num determinado momento da história a ideia de ensinar. Ela está atrelada numa transmissão de conhecimento e a posse? A construção dos mais diversos conhecimentos. Ela sempre ocorreram em tempos e condições desiguais, o que é natural, posto que as respostas às necessidades e as adaptações são diferentes. Então nós temos diferentes momentos históricos e diferentes respostas desta sociedade em função daquele momento. Então aqui a gente tem uma imagem que nos leva a pensar da importância da diversidade e o respeito que a gente tem, a diversidade hoje, mas nem sempre foi assim. Historicamente, nem sempre nós tivemos esta ideia de respeitar a diversidade. Muitas vezes, se pensou que algumas culturas fossem mais evoluídas e avançadas que outro Então, o que é aqui? A cultura? É tudo aquilo que nasce, junto com o ser humano, construído coletivamente, e faz parte, então, de uma construção grupal e muitas vezes até individual, mas faz parte daquela representação daquele grupo uma cultura desenvolvida, aí a gente já tem então uma concepção pouquinho mais apurada, porque podemos pensar que tem valores, a maneira de você se vestir, a forma como você organiza os laços de amizade, a forma como você constrói uma habitação, enfim, é tudo aquilo que é absolutamente construído pelo homem, que nos torna humanos e sociais. Então, um lembrete para você cultura é todo um conjunto de conhecimentos, de hábitos, de saberes de crenças que construímos e que conhecemos ao longo da vida. Em outras palavras, tudo aquilo que não nasceu com o nosso nós vamos adquirindo no contato com os outros humanos. Nós vamos nos apropriando da relação na interação, vamos olhar, então a valoração da cultura Será que a gente sempre pensou desta maneira? Será que em alguns momentos da história nós não demos um valor diferenciado. Então, no início, dentro do que eles chamam aqui do evolucionismo, nós tínhamos uma explicação para as coisas que estavam pautadas nos dogmas de Deus. Então, todas as respostas e as perguntas que nós tínhamos eram respondidas através de um Deus, de um criador. Neste momento, nós temos então uma educação bastante pautada no autoritarismo, no poder centralizado na mão de poucos, porque empunham para o outro, aquele dogma, aquela fé, como o tempo nós temos o advento do evolucionismo biológico. Ou seja, eu começo a perceber que talvez este mundo não tenha vindo das mãos de Deus. Talvez esse mundo mundo tenha surgido de uma evolução natural. E aí nós temos a presença de dar que vem da para nós, outras explicações, avançando um pouquinho mais, nós temos a questão do evolucionismo cultural, ou seja, entendido como um raciocínio, por meio do qual todas as sociedades passariam por um processo de evolução esta com o avanço ou melhoria. Então vocês percebam que, ao longo da história, nós fomos vivendo diferentes conceitos de cultura. Nós somos modificando alguns conceitos em função da própria evolução do homem e das relações que ele estabelece com a natureza, com a própria cultura, então o evolucionismo cultural ele defende a existência de uma linha evolutiva da qual todos fazem parte. Todos evoluem em estágios diferentes, sempre com os mais avançados na frente. Então a ideia do evolucionismo cultural é ter alguma cultura, alguma sociedade mais avançada do que o outro também é um conceito que não é um conceito atual. Então se eu nasci na Europa eu vou ser mais valorizado do que aquele que nasceu na África. Será que é a essa determinação geográfica? Então esse determinismo que é chamado de determinismo geográfico é a teoria que explica que certas culturas e certos povos são mais desenvolvidos em função da localidade que eles vieram. O relativismo cultural é a tese que defende que não